.
.

sábado, 1 de setembro de 2007

Ração de Combate

(Diário de Leiria)

(...)

O empresário Fernando Esperança fez um dos discursos mais eloquentes da noite. “Por muito menos do que isto, já virámos tudo do avesso”, lembrou. “Não podemos admitir que o SAP encerre. Melhorem os serviços durante o dia”, acrescentou, para concluir: “Se quisermos não fecham nem uma porta, mas é só se nós quisermos”.

4 comentários:

Pirolito disse...

Essa é de homem!
Vamos manter as portas do SAP abertas, de qualquer forma, nem que seja com sacrifício da própria vida.
Lembremos o lendário feito de velho Martim Moniz.
Assim, tenho esperança que ainda vamos ver o nosso Fernando Pança a dar o corpo ao manifesto atravessando-se na porta de entrada do dito SAP para que, tal Afonso Henriques, o nosso joão Barbas Zuarte, possa entra por aí dentro com toda a malta manifestante.
Vai ser um grandessíssimo feito, ó se vai!

Anónimo disse...

deviam era cá vir à Marinha, isso é que era bonito, faz-lhes falta cá virem.

Anónimo disse...

Estás mortinho para dar umas "democráticas pauladas", para reviver velhos tempos, sem perceberes que quem capitaliza são os agredidos e ofendidos.
Nunca mais aprendem. Talvez que com uma reciclagem na Rússia de Putin, onde até podem aumentar conhecimentos e utilizar a técnica do Plutónio.

Esmagado pela Realidade disse...

Comentário para o primeiro anónimo:
Quantos são? Quantos são? Perguntaria o Valenteiro Lourim.
P´los jeitos os extremos tocam-se. Da direita a uma certa esquerda, venha o diabo e escolha!