.
.

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

"Comissão Política Concelhia do PSD demite-se em bloco"

O PSD da Marinha Grande está sem liderança desde o início da semana, depois da demissão da estrutura concelhia, dizendo-se insatisfeita com a gestão autárquica da coligação PSD/CDU.
Adirecção da Comissão Política Concelhia (CPC) do PSD da Marinha Grande, liderada por Pedro Fonseca, demitiu-se em bloco na segunda-feira à noite, em sinal de protesto contra a gestão autárquica de coligação PSD/CDU.
“Entendemos que o PSD da Marinha Grande não pode continuar a sustentar políticas desastrosas com as que recentemente têm vindo a público, sem que se tenha em linha de conta os reais interesses da população”, refere em comunicado Pedro Fonseca, presidente demissionário da CPC.
O social-democrata elenca algumas propostas feitas pelo PSD, nas Eleições Autárquicas de 2005, que estiveram na base da coligação pós-eleitoral com a CDU para a gestão autárquica, e que ainda não foram cumpridas.
Entre as promessas não concretizadas, constam o atraso nas obras de requalificação do Mercado Municipal, encerrado na semana passada pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), a procura de soluções para o novo Mercado Municipal, a reestruturação da empresa de Transportes Urbanos da Marinha Grande (TUMG), o atraso na resolução dos problemas de trânsito dentro da cidade e a reavaliação do impacto das obras no Centro Histórico. “Face ao exposto, entendemos que os marinhenses merecem mais e melhor, achamos por bem deixar que os militantes do PSD (...) decidam o rumo a seguir no futuro”, sustenta Pedro Fonseca.
Apesar de discordar com a gestão autárquica PSD/CDU, o presidente demissionário esclarece que o cenário de demissão já estava a ser equacionado antes de surgir o encerramento do Mercado Municipal. “Só não apresentámos a demissão na reunião do dia 13 de Setembro, porque faltaram dois elementos da Comissão Política”, alega o responsável.
As eleições para a escolha da nova direcção da CPC só deverão ser marcadas para o próximo mês e Pedro Fonseca admite recandidatar-se ao cargo. “Se os militantes entenderem que sim, estou disponível”, esclarece.

Vereador do PSD não se demite

O vereador das Obras na Câmara da Marinha Grande, Artur Pereira, eleito nas listas do PSD, e que participou na reunião de segunda-feira da estrutura concelhia, adianta que não se demite do cargo, apesar da estrutura concelhia o ter aconselhado a abandonar as funções. “As questões internas do partido nada têm a ver com a gestão autárquica, e, por esse motivo, não me demito. Além disso, não lido com pessoas irresponsáveis”, conclui o vereador.



Mário Pinto

5 comentários:

Anónimo disse...

Pois é Sr. Vereador, as pessoas irresponsáveis são as mesmas que lhe permitiram poder viver financeiramente mais confortável em representação do PSD durante os 4 anos de mandato de BD. Alguem de bom senso terá dúvida que nada nem ninguem lhe tirará a cadeira, mesmo que todo o programa eleitoral do PSD, seja completamente ignorado por BD/PCP??? Ai que coluna vertebral tão arqueada

Anónimo disse...

COMUNICADO

A Comissão Política de Secção do Partido Social Democrata da Marinha Grande,
reunida a 24 de Setembro de 2007, decidiu por maioria, apresentar ao
Presidente da Mesa do Plenário a sua demissão.

Por se considerar esgotado o esforço e empenhamento desta Estrutura
e dos Seus Autarcas eleitos, no sentido de que as ?Propostas apresentadas ao
Eleitorado em 2005? fossem tidas em conta por parte do actual executivo
Marinhense, liderado por João Barros Duarte.

Entendemos que o PSD da Marinha Grande não pode continuar a
sustentar políticas desastrosas como as que recentemente têm vindo a
público, sem que se tenha em linha de conta os reais interesses da
população.

Esta estrutura sempre afirmou e demonstrou abertura ao diálogo, mas
que seria exigente, na estrita medida em que não confundimos apoio com
omissão, nem solidariedade activa com subordinação, nem lealdade com
ausência de sentido crítico.

De acordo com estes princípios, esta Comissão Política entendeu que,
ano e meio após a sua eleição interna, fazer uma avaliação e assumir
publicamente que tem pontos de vista totalmente opostos em relação ao rumo
traçado pelo actual executivo.

Ponto de situação de algumas das propostas que defendemos e a
analise feita:

Mercado Municipal ? defendemos a sua requalificação em
2005
Situação actual: obras paradas e decisões avulso
Consequência: encerrado pela ASAE

Mercado Novo ? procura de soluções para reutilização para outros
fins
Situação actual: encerrado ? sem destino definido

TUMG ? defendemos a reestruturação
Situação actual: proposta de extinção
Consequência: recurso ao sector privado

SIMLIS ? defendemos a total adesão
Situação actual: discordância por parte do actual presidente da CMMG
Consequências: arrastar no tempo a conclusão da cobertura total do
saneamento

Variantes/Transito ? defendemos o inicio dos processos/projectos
Situação actual: primeiro projecto em elaboração
Consequências: arrastar por tempo indeterminado a solução dos problemas do
transito no centro da cidade.

Parque da Cerca ? defendemos o empenhamento do Município no sentido de se
avaliar o grau da contaminação efectiva Situação actual: nada foi feito
desde o inicio do mandato
Consequências: preocupação/desconfiança junto da população

Obras no centro Histórico ? defendemos a reavaliação do impacto que a
intervenção em curso podia trazer ao Comércio tradicional Situação actual:
concluídas as obras
Consequências: queixas dos comerciantes e da população em geral

Face ao exposto, entendemos que os Marinhenses merecem mais e melhor,
achamos por bem, deixar que os militantes decidam, sem que seja posto em
causa o espaço de liberdade/critica, que sempre existiu no PSD, o rumo a
seguir no Futuro.

Como tal, vamos solicitar ao Presidente da Mesa do Plenário, a
convocação de um Plenário de Militantes e a respectiva marcação de eleições
para os órgãos internos do Partido no Concelho.


Marinha Grande, 24 de Setembro de 2007

A Comissão Política de Secção
do Partido Social Democrata

avatar disse...

É conhecida a incompetência por parte dos Srs. vereadores (3) do PCP em governar a nossa terra, um presidente com ideias de gestão de séculos passados, sem uma ideia de cidade, com duas alas que nada decidem, que nada sabem e que muito provavelmente nem tinham capacidade para pensar e fazer algo.
Assim, a Marinha não estagnou, regrediu...
Não estavam preparados para governar dezenas de milhares de pessoas e de assuntos, dei o benefício de 1 ano, a verdade é que hoje vejo que é mesmo inépcia, e depois o discurso fascisante, a utilização de manifestos, de termos que envergonham qualquer marinhense, e sempre a referir que os outros, os tais serventuários é que não fizeram…
Tanta demagogia a pensar que os eleitores são ignorantes, 2 anos é muito tempo para fazer, para mostrar um rumo… pouco mais tem o governo actual do nosso país, é que a actual câmara que tanto critica nada faz de novo tirando um acordo com o Senegal de cooperação julgo no combate da lagarta do pinheiro, tudo o resto, por exemplo na área da cultura é uma continuação do anterior, nada de novo…

Pensava que o vereador do PPD/PSD governava com o apoio do partido local, e aí podia beber algumas ideias, pelo que verifico e porque vai contra uma decisão do seu partido, ficará agora sozinho, ou melhor, nas mãos do PCP. E sim... o senhor fica lá os 4 anos e aí o PCP pode jogar pois sabe o que o senhor assina de cruz.

Agora não era necessário a demissão da Comissão Politica, talvez dar um prazo curto para que o PCP definitivamente começasse a trabalhar e talvez desde já a substituição dos dois vereadores por outras pessoas competentes e findo esse prazo a demissão do seu vereador.
No entanto, louvo a decisão, há momentos que se tem que dar um murro na mesa, e quando avato isto estou a pensar nos vereadores socialistas, e se o PPD/PSD toma esta decisão para não ficar minimamente ligado a esta politica de nada fazer e de amealhar dinheiro para no último ano mandarem fazer chafarizes e outras coisas mais que nada acrescentarão a um verdadeiro desenvolvimento.

E agora a pergunta chave, já levantada há meses por mim, para quando a demissão dos vereadores serventuários, quererão ficar ligados a esta politica?

Pode ser que com esta decisão, as coisas comessem a funcionar, só lamento que não tenha sido antes, assim não eram criados tantos problemas aos industriais, comerciantes e povo em geral…

Bom avatar.

Curioso disse...

Mas há alguém que não os julgue irresponsáveis por o terem escolhido para Candidato à Câmara ??

Curioso disse...

Será que foram mesmo os actuais dirigentes do PSD que o escolheram ?

Não terá havido dedo do Mestre d'Obras ??