.
.

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Mercado Medieval na Praça do Stephens

Está a decorrer esta manhã na Praça do Stephens (que deve estar a dar voltas no caixão), um mercado medieval patrocinado pelos insecticidas "BANZÉ - Contra a ASAE bate o pé!" e pela Agência Barbas & Autocolante – Tudo em Ordem Tudo Legal”, numa organização relâmpago do Piquete de Emergência da CUGVT - Comissão de Utentes Generalistas Vamos a Todas.
Sob o olhar atento e ternurento de João Barbas, vestido à Robin dos Bosques, a venda, cumprindo todos os requisitos de falta de higiene de insalubridade, segue em bom ritmo a par da distribuição deste magnífico panfleto do séc. XV que procura recriar os métodos utilizados pela Santa Inquisição na Caça às Bruxas. Os planfetos são distribuidos por duendes e anjinhos vermelhos de t-shirt com a seguinte frase “Quer ser um agitador profissional? Pergunte-me como!”.
Artur Autocolante ainda não foi visto mas segundo parece estará perto do Estádio, junto de Soledad Cardinal, a treinar um número de contorcionismo e umas piroetas para apresentar no decorrer da feira medieval.


Entretanto as obras da Feira dos Porcos seguem a todo o vapor enquanto notícias não confirmadas dão ainda conta de que Artur Autocolante, aproveitando o tirocínio junto do Circo Soledad Cardinal, estará a tentar comprar-lhes a tenda para aí instalar o novo mercado o que, a avaliar pelas performances dos últimos dias, vai ter animação assegurada por competentes profissionais do riso que tão boas provas têm dado.


6 comentários:

Anónimo disse...

A Propósito

PRAXIS AZEDADA
Se a ASAE tivesse feito uma vistoria à Festa do Avante tinha fechado a Quinta da Atalaia por ter em exposição várias ideologias fora de prazo.
STATLER

in:
http://marretas.blogspot.com/2007_09_01_archive.html

Anónimo disse...

O Artur está a treinar piroetas? Para que é o que ele faz melhor, são piroetas e confusões com a ajuda dos camaradas do PSD.

Anónimo disse...

Envergonhem-se !!!!
Tenham respeito por quem trabalha !!!!!
Incompetentes !!!!
Abutres !!!!!

Bloguistas descumpem-me, mas a indignação é tão grande que nem sei o que chamar mais àqueles que têm vindo a dirigir os destinos da Marinha Grande.

Uns estiveram 12 anos a mandar, criaram um elefante branco e não o deixaram abrir, por motivos já sobejamente discutidos.

Estes, que chegaram à 2 anos, concordam que o novo mercado não pode abrir e não actuaram para que o velho mercado funcionasse com a dignidade e higiene que é exigida.

Foi preciso uma entidade esxterna vir dizer a estes incompetentes que o mercado como está, não pode funcionar.

Ouvi na radio os responsaveis queixarem-se de manobras politicas. Então quer dizer que se a ASAE não tem aparecido continuavam a achar que um espaço onde se vendem produtos alimentares, podem estar naquela situação: ratos, baratas, teis de arenha, etc.

São estes individuos que se responsabilizam pela minha terra.
Que tristeza !!!!

Oxalá nas proximas eleições se encontre alguem capaz de cuidar dos destinos da Marinha.

Mas pelo que vejo, os que lá estão mostram toda esta incapacidade e os que querem para lá voltar (pelo que se diz por aqui), são os mesmos que lá estiveram.

PORRA para isto !!!!!!

muito preocupado disse...

Subscrevo inteiramente a opinião deste anónimo. O que vai ser dos vendedores do mercado ? Há muitos que tiram o sustento do que ali vendem. Será que vão andar de casa às costas, para outros locais ainda piores do que estavam.
Dá realmente pena viver na mesma localidade destes imbecis.

Marinhoto disse...

oh anónimo do envergonhem-se:

Por acaso já te deste ao trabalho de analisar com rigor a obra feita pelos outros, de quem tanto desdenhas? E de a comparar com a inutilidade que por aí vemos?
Bem estaria a nossa terra se eles lá tivessem ficado!
Vamos lá a ser mais rigorosos, senão até este espaço entra nos maus caminhos...

cidadão atento disse...

Deixem-me tomar algum do vosso tempo e paciência e aceitem ler este bitaite, com espírito aberto, porque ele não pretende introduzir ainda mais ruido na questão do Mercado, na medida em que se trata de um assunto demasiado sério, que mexe com os marinhenses e as suas tradições, mas também com a vida de muitos comerciantes, que ali terão a sua principal fonte de rendimento.
Como ponto prévio, na qualidade de marinhense que quer ter opinião e ser respeitado, muito grato ficaria se a Câmara abrisse ao público o Novo Edifício, para que as pessoas o pudessem visitar, para saberem do que se fala e formarem a sua opinião com fundamento.
Não resisto ainda a fazer um segundo desafio aos responsáveis políticos, que transformaram o Mercado numa arma de arremesso político, para que proponham aos mercadores a sua instalação provisória no novo mercado, com a dupla vantagem de não irem para barracas na Feira dos Porcos e de poderem testar, de facto, a possibilidade de se fazerem as adaptações necessáris neste edifício, ou o abandono da ideia, definitivamente, porque não funciona nem é recuperável.
Não existe melhor oportunidade para tomar esta decisão, porque não seria possível acusar a Câmara de ceder e deixar cair uma das suas promessas eleitorais, na medida em que estamos perante um cenário que exige medidas rápidas , que acautelem todos os interesses em jogo.
Porque o(s) conheço e não tenho grande esperança de que possam tomar estas medidas corajosas, permitam que transcreva alguns excertos do relatório feito por uma comissão de três pessoas em que pelo menos duas são militantes do PSD, que não resistiram à tentação de introduzir comentários pessoais, deixando claro que se tratou de uma encomenda do vereador do Pelouro (pelo menos).
Na pág. 5, cap. 2.2 dizem:"SURGEM AFECTADAS A CARGAS E DESCARGAS ALGUNS LUGARES DE ESTACIONAMENTO NÃO EXISTINDO NA VIZINHANÇA PRÓXIMA OUTRA ÁREAS DE ESTACIONAMENTO SUFICIENTEMENTE DESCONGESTIONADAS QUE POSSAM VIR A MITIGAR O IMPACTO DA ACTIVIDADE DO MERCADO". Fim de citação.
Comentário:
Brilhante observação. No Velho Mercado o que há mais são lugares disponíves para cargas e descargas, a começar pela Praça Stephens.
"OS ACESSOS FUNCIONAIS AO NÍVEL TÉRREO DO EDIFÍCIO ´APENAS`SE FARÃO PELOS ARRUAMENTOS A NASCENTE E SUL" (rua das Portas Verdes e Rua do Sol).
Comentário:
Reparem na subtileza do "apenas". É que nisso ganha o Velho mercado, porque tem ruas e acessos por todos os pontos cardeais, o que por acaso só complica.
Pág. 6 - "O ESTACIONAMENTO DO PÚBLICO EM ESPAÇO EXTERIOR ESTÁ MAIS COMPROMETIDO NA NOVA SITUAÇÃO DO QUE NO VELHO MERCADO".
Comentário:
Aqui, aposto que este parágrafo, não foi escrito pelos técnicos, mas imposto por quem paga para lhe darem o que quer.
Contem os lugares disponíveis à volta do Velho (agora muito menos do que há um ano)e comparem-nos com os disponíveis no Parque da Mobil, na Rua do Campo da Portela, na Rua Infante D. Henrique, no próprio Parque subterrâneo do Cristal Átrium, todos a menos de 300 metros do Novo mercado e depois avaliem a seriedade com que este relatório foi feito.
Pág. 6-Cap. 2.3.1.1.
"PARA O PESCADO E CARNE VERDE O INGRESSO TEM QUE SER FEITO POR FOLE DE ACOSTAGEM HERMÉTICO EM ESPAÇO CLIMATIZADO (9 a 12 GRAUS)CONTÍGUO AO ESPAÇO DE ARMAZENAGEM REFRIGERADO (0 a , 2 GRAUS), OU , EM ALTERNATIVA, COLOCAÇÃO IMEDIATA EM CONTENTORES ISOTÉRMICOS DE MOVIMENTAÇÃO".
Pág. 7- "O ESPAÇO DE RECEPÇÃO PARA PRODUTOS CONGELADOS DEVERÁ SER REFRIGERADO (0 a 2 GRAUS) DE MODO A QUE NÃO SURJA ORVALHADA SOBRE PRODUTOS E EMBALAGENS, DEVIDO A VARIAÇÕES TÉRMICAS. A SUA CONSERVAÇÃO DEVERÁ SER GARANTIDA ENTRE -24 graus E -18.
"TODOS OS ESPAÇOS DE CONSERVAÇÃO EM FRIO POSSUIRÃO, OBRIGATÓRIAMENTE, REGISTOS IMPRESSOS DA EVOLUÇÃO DA TEMPERATURA E HUMIDADE".
Comentário:
A actual Câmara, depois de encomendar este relatório, ESTÁ OBRIGADA a construir o único mercado municipal sazonal no Mundo, que cumpre estas exigências.
Quem fez este relatório, pegou em legislação que verte normas comunitárias a respeitar, mas que não se aplicam neste tipo de infraestrura. São obrigatórias em unidades de produção e armazenamento de produtos alimentares, em grandes superfícies comerciais, em locais de abate, mas não em Mercados.
Se fosse assim, todos, MAS MESMO TODOS, os mercados do Mundo estariam fechados.
Pág. 9-Cap. 2.3.1.2.
"OS FUNCIONÁRIOS DO MERCADO SÓ PODERÃO INGRESSAR NA ÁREA DO MERCADO APÓS PASSAGEM EM INSTALAÇÕES DE VESTIÁRIO/BALNEÁRI/SANITÁRIO, PARA HOMENS E MULHERES (separadas claro).
"OS MERCADORES DE HORTO-FRUTÍCOLAS, CHARCUTARIA, PADARIA, FLORES, AVES VIVAS, ARTESANATO, DEVEM DISPOR DE VESTIÁRIOS COM CACIFO COM SISTEMA DE FECHO SEMELHANTE AOS UTILIZADOS EM RECINTO DESPORTIVO COM BLOQUEIO DE CHAVE; SANITÁRIOS EM NÚMERO SUFICIENTE PARA OS DOIS SEXOS.
" PARA OS COMERCIANTES DE PESCADO, CARNES E AVES VIVAS(OUTRA VEZ) DEVERÃO EXISTIR INSTALAÇÕES PARA OS DOIS SEXOS E DIFERENCIADAS PARA CADA PRODUTO.
DADO EXISTIREM DIVERSAS ENTIDADES EMPREGADORAS, CONCORRENTES COMERCIAIS ENTRE SI, DEVER-SE-IA OPTAR PELA EXISTÊNCIA DE VÁRIOS CONJUNTOS DE SANITÁRIOS, BALNEÁRIOS, VESTIÁRIOS, QUE PUDESSEM SER AFECTADOS CADA UM A UM NÚMERO DE OPERADORES, RESPONSABILIZADOS PELO SEU USO"
Comentário:
Se alguém pensa que eu inventei isto, desenga-se. Isto e muito mais está escrito e serviu npara dizer que o Mercado não tem condições para funcionar.
Pág. 12-Cap.2.3.2
"NO MERCADO ACTUAL (fechado pela ASAE), APESAR DE INCUMPRIDOR AO NÍVEL DAS CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS E DO CONTROLO DE TEMPERATURA E QUALIDADE ATMOSFÉRICA, EXISTE DEDICAÇÃO E CONFINAMENTO DE ÁREAS DESTINADAS A CADA SECTOR DE ACTIVIDADE, POSSIBILITANDO UM MÍNIMO CONTROLO SANITÁRIO DOS MICRORGANISMOS CRUZADOS ENTRE ÁREAS DE VENDAS DISTINTAS".
Comentário:
Quem conhece o mercado e tem pelo menos o coeficiente de inteligência do Cabeças e sabe usá-lo, não percebe logo qual foi o objectivo da encomenda deste pretenso relatório?
Controlo dos microrganismos cruzados? O que é isso comparado com mijo de rato?
Pág.16-Cap. 2.3.3.2
"AS BANCAS SÃO EQUIPADAS, NO TARDOZ DA ÁREA DE VENDA, COM BANCADAS E PRATELEIRAS EM AÇO INOX E TAMBÉM COM CUBAS DE LAVATÓRIO COM COMANDO POR PEDAL. A CONFIGURAÇÃO DAS BICAS NÃO PERMITE A COLOCAÇÃO DE UM BALDE PARA RECOLHA DE ÁGUA.
"O COMANDO DE PEDAL ESTÁ ALOJADO NUMA CAIXA DE INOX QUE, POR TER FRINCHAS NA SUA CONSTRUÇÃO E NA JUSTAPOSIÇÃO AO SOLO E PAREDES, ACUMULARÁ DETRITOS E ÁGUAS E ABRIGARÁ INFESTANTES".
Comentário:
Ao ler isto, qualquer pessoa fica estupefacta. As cubas são de lavatório para higiene pessoal. São em aço inox, com comando de pedal em inox e mesmo assim foram-lhe encontrar defeitos, porque têm frinchas e podem acumular bactérias.
Mas que terra é esta?
Quem é capaz de usar esta argumentação para dizer que o edifício não reúne condições?
São 32 páginas de pretenso relatório que todos os marinhense deveriam ler.
Estamos perante um acto de gestão danosa dos dinheiros públicos, porque se desperdiçam dois milões de euros de investimento e porque se estão a gastar mais 250 mil, supostamente por ajuste directo, sem concurso e à pressa, para pôr de pé barracas de lona, onde supostamente serão instaladas as tais portas herméticas climatizadas, os sanitários, as cubas de inox sem frinchas, etc.
Porque a informação não faz mal a ninguém, informem-se onde podem ter acesso a este documento e contribuam para que este debate contribua para que seja feita uma inversão no rumo que a nossa terra está a levar.