.
.

sábado, 30 de junho de 2007

Novelas com final feliz!


SINTESE DA REUNIÃO DA CÂMARA DE 28/06/07

VITROIBÉRICA – PEDIDO DE SUSPENSÃO DE ÓNUS
A Câmara Municipal da Marinha Grande deliberou, a propósito do assunto em epígrafe, nos termos que a seguir se descrevem:

“A pedido da Vitrificaciones Lusoiberica, SL, a Câmara Municipal deliberou, em 18 de Maio de 2007, conceder a suspensão do ónus, nos termos aí identificados.

Através de oficio de 21 de Maio, veio a referida empresa declarar «no seguimento da recente deliberação camarária que, na sua essência, permite documentar a operação financeira para a aquisição das instalações e massa falida, dissipar quaisquer dúvidas quanto aos objectivos da operação em curso, que trata somente de fabricar e comercializar vidro».

Por comunicação de 31 de Maio, veio a mesma empresa informar que afinal «o constante na vossa declaração não assegura adequadamente a operação, nem oferece garantias ao promotor o que inviabiliza o negócio».

Por oficio, de 30 de Maio, o Banco Comercial Português solicitou que «a suspensão dos ónus consignados na cláusula 5ª vigorará enquanto permanecermos proprietários deste imóvel».

Em resposta, foi proposto ao BCP suspender a cláusula «durante o prazo por que vigorar a operação de lease-back sobre este lote, por força da arrematação no processo de insolvência por parte da empresa Vitrificaciones Lusoiberica, SL» (oficio n.º 5674, de 11 de Junho).

O Banco, nesta sequência, apresentou nova formulação, em 18 de Junho, com o seguinte teor: «se dignem confirmar a não aplicação à nossa Instituição, enquanto proprietária, do ónus consignado na cláusula 5ª, registada pela cota G-Um, Ap. 16/170394, na situação de os utilizadores do imóvel a quem a nossa Instituição vier a ceder o direito de utilização do imóvel, se comprometerem a prosseguir no mesmo uma actividade industrial compatível com o alvará de licença de utilização».

Pelo oficio n.º 6096, de 19 de Junho, apresentou esta Câmara Municipal uma contra-proposta, que obteve a concordância do BCP, comunicada em 21 de Junho.

A Vitrificaciones Lusoibérica, SL apresentou a carta garantia a que se refere a proposta constante do oficio n.º 6096, referido acima.

Exposta, em suma, a tramitação das negociações realizadas, cabe à Câmara Municipal apreciar o pedido e tomar uma decisão sobre ele.

A Câmara Municipal delibera suspender a cláusula 5ª, registada pela cota G-Um, Ap. 16/170394, enquanto o BCP detiver a propriedade do prédio urbano, sito na freguesia e concelho da Marinha Grande, descrito na Conservatória do Registo Predial da Marinha Grande sob o n.º 8340, nas seguintes condições:
1. Desde que os utilizadores apresentem na Câmara carta-garantia-compromisso de prosseguirem no lote uma actividade industrial compatível com a licença de utilização.
2. A cláusula 5ª será retomada após a entidade financiadora resolver a operação de crédito de que é interveniente.
Se houver incidente antes do vencimento contratualizado, a cláusula 5ª continuará suspensa, enquanto a propriedade do lote for da entidade financiadora, durante o período necessário para o negociar, com o prazo máximo de dois anos.”

terça-feira, 26 de junho de 2007

E você, onde vai passar as férias de 2007?

Na página principal do site da CMMG existe um espaço denominado "Vox Populae" onde os visitantes são convidados a responder a um inquérito fechado (com respostas pré-definidas). Este tipo de consulta, sem quelquer espécie de valor científico, é muito utilizado em sites, blogues, etc, e permite auscultar a "opinião pública". A pergunta que é feita no site da câmara é a seguinte: "onde tenciona passar as férias de verão de 2007" (?)






Se clicar-mos no botão "estatística" (por baixo do formulário) temos acesso aos resultados verificados até ao momento da consulta e à seguinte informação: "agradecemos a sua participação neste inquérito. Informamos que o mesmo é de carácter indicativo e serve apenas para fazer uma análise geral à opinião dos munícipes"






A pergunta parece surgir naturalmente: mas para que é que a CMMG quer saber onde os seus munícipes vão passar férias? Será que tem alguma coisa a ver com as praias do concelho ou com as cidades geminadas?


Que a CMMG questionasse os seus munícipes sobre o trabalho por si desenvolvido, ou sobre as expectativas dos munícipes em relação à sua terra, ou sobre se concordam ou não com a extinsão da TUMG, ou se concordam ou não com o encerramento do SAP, ou se concordam ou não com a manutenção do "mercado velho", ou se concordam ou não com... (tanta coisa!) Agora quererem saber se vou passar as férias em casa, no estrangeiro ou se não tenho férias, não lembra ao diabo!


Bem, nós por cá perguntamos às pessoas sobre o mercado velho e sabem quais foram os resultados?


Talvez sirva de inspiração!...

quinta-feira, 21 de junho de 2007

E ladrões? P'ra cima de dez bandidos!...

.
..
(...)
Um cidadão, excluindo os casos acima indicados, que receba uma doação de dinheiro superior a 500 euros é obrigado a declarar essa quantia ao fisco. Se os donativos forem feitos entre irmãos, tios e sobrinhos ou pessoas de fora do agregado familiar, além de serem declarados, têm de pagar imposto de selo à taxa de 10%.

Ilustres no SAPO

Marinha em Grande, 03:18am, sala de espera das instalações do SAPO: quatro destacadas figuras da ex-capital vidreira, vestidas de pijama, robe e calçando chinelos de quarto, aguardam pacientemente a sua vez de serem atendidos pelo doutor das urgências.

- Pois é, este tempo também não ajuda nada...
- É uma maçada. Esta chuva é uma maçada, ventos cruzados, visibilidade reduzida, dificuldade de aproximação à pista, talvez seja necessário borregar. Então mas o que é que lhe aconteceu?
- Coff, cofff! Tenho uma espinha entalada na garganta. Coff, cofff...
- Não me diga que é aqui o seu camarada?
- Coff, cofff, nãã... não é... foi... é uma espinha de bacalhau, foi da Sopa do Vidreiro, puseram bacalhau corrente, do mais barato e depois dá nisto. Os sacrifícios que um gajo tem de fazer para se misturar com a classe operária. Já não bastava a boina fazer-me caspa... cofff, coff...
- Estão a falar de mim? O que é que estão para aí a dizer?
- Cofff, coff, nããã... não, nada, estávamos a falar do tempo. Durma lá descansado. Então e você, de que é que se queixa?
- Olhe já ando há uns anitos aqui com um cotovelo dorido e agora que me estava a passar apanhei uma aragem que começou a correr lá dos lados de Alcochete e acho que fiz uma Otite, aguda, suponho!
- O que é que vocês estão a dizer? Olhem que eu não pactuo com ilegalidades! Estão a ouvir? E quem manda sou eu, não é companheiro?
- Sem dúvida companheiro!
- Aqui que ninguém nos ouve, de que é que o companheiro do seu camarada se queixa?
- Coff, coofff, parece que é do Olho. Estava para fazer uma intervenção mas parece que está em lista de espera, cofff... é oftalmológico... coff, coffff.
- Hã, pois.
- Estão a falar de mim outra vez?
- Ó homem acalme-se que ainda a procissão vai no hangar. Mas afinal o que é que está aqui a fazer?
- Vim fazer companhia ao meu companheiro e aproveitei para levar o reforço da BCG e da mosca de Tzé-Tzé. Vou ter de ir ao Tafarral assinar a germinação e tenho de ter as vacinas em dia. É assim ou não é companheiro?
- Sem dúvida companheiro!

Entretanto a conversa é interrompida pela enfermeira de serviço que entra na sala e diz curto e grosso:
- Importam-se de fazer menos barulho que o doutor tá a ver se consegue descansar um bocadinho!...

FLC Admite Estagiárias


Vai um tirinho?

sábado, 16 de junho de 2007

terça-feira, 12 de junho de 2007

"Podia Ser Notícia"




A Novateca, uma empresa de moldes da Marinha Grande, encerrou ontem as portas, deixando no desemprego 38 trabalhadores, disse Jorge Calvete, administrador de insolvência.
A empresa, fundada em 1968, não deverá passar por um processo de recuperação "porque a gerência assim não entende", disse o gestor, que não descarta a hipótese de isso acontecer, caso seja decidido "pela assembleia de credores, prevista para 11 de Julho". "Entre os credores, contam-se a Segurança Social, fornecedores e banca", disse. Os trabalhadores, que deverão ter recebido as cartas de despedimento ontem à tarde, deverão receber os salários em atraso (Março, Abril e metade do último subsídio de Natal), "através do Fundo de Garantia Salarial, que já foi accionado", acrescentou, em declarações à Agência Lusa.
(...)

Então camaradas, nem uma faixa negra, nem uma manifestação, nem uma comissão de defesa do sector dos moldes, nada? Então Sr. Presidente JBD? Então Sr. Presidente LGM? Nem uma palavra? Nem um comunicado? Nada?
A menos que haja boas e más falências...

segunda-feira, 11 de junho de 2007

Vivam as Confrarias

Ora aí está uma boa iniciativa, a Confraria da Sopa do Vidreiro. (aqui ou aqui)
Não preservar o patrimómio cultural é um dos nossos maiores crimes, pelo que aplaudo a iniciativa que conta como confrades, entre outros ilustres marinhenses, os mais altos dignatários da cambra e da ajunta da Marinha em Grande.
.

Talvez espicaçada por esta excelente iniciativa gastronómico-cultural, o FLC sabe que a oposição se prepara para proceder à escritura de constituição da Confraria do Carapau Aberto, cerimónia que terá lugar no salão nobre da ajunta de freguesia da Rivieira de Leiria e que será apradinhada pela Confraria do Tremoço e da Pevide. Na cerimónia, Paulo Vem Sente será entronizado grão-mestre da Confraria e como confrades contará com destacadas figuras da oposição entre as quais os vereadores João Barbas Pedrosa e Álvaro Aspirina. A vereadora professora San Dália, que escreveu o livro “1001 Maneiras de Comer Carapaus Abertos – Um Kama-Sutra Gastronómico” será a primeira confradeza. Consta que o Dr. Engº Arqº Henrique Avô também foi convidado mas declinou o convite por falta de tempo. Os 457 jantares e intervenções de apoio ao novo aeroporto da OTA não lhe deixam agenda para participar na confraria.

Além de gostarem de carapaus abertos, os confrades têm de se vestir a rigor, corsários e t-shirt com lantejoulas (a imitar escamas), barbatanas nos pés e na cabeça um boné do Popeye. "Quem não tiver fato, não pode fazer parte da confraria", frisa Paulo Vem Sente, adiantando que "mais do que promover o carapau aberto, a confraria vai defender as tradições e a cultura pexina, o importante é dar à barbatana".
Segundo o grão-mestre, o carapau aberto pode apresentar até 1503 calorias, ultrapassando assim as 1142 calorias da sopa do vidreiro e pode ser uma boa alternativa a outras iguarias regionais, (nomeadamente à sopa do vidreiro). "O carapau aberto é um alimento saudável com nutrientes fundamentais ao bom funcionamento do fígado, rins e bexiga, rico em fibra, em vitamina D e E, sem corantes nem conservantes e um excelente diurético", sustenta o presidente da Ajuanta da Rivieira de Leiria, “é muito superior à sopa do vidreiro”.

E para não se ficarem a rir de nós, o FLC também vai constituir uma confraria, a Confraria das Punhetas de Bacalhau, devendo ser lançado já nos próximos dias um concurso internacional para o cargo de grão-mestre. As inscrições para confrades e confradezas estão desde já abertas. Informa-se que as propostas para grão-mestre devem ser enviadas em envelope fechado e lacrado, juntamente com um generoso donativo (em notas).
Mas como não há bela sem senão, pode haver um problema dificil de ultrapassar, o preço do bacalhau que está pela hora da morte! Nesse caso, se não for possivel merendar as ditas punhetas de bacalhau, olha, dispensa-se o bacalhau que o mais importante é o convívio e a tradição...

sábado, 9 de junho de 2007

Mau Tempo

As obras no centro da Marinha em Grande arrastam-se à velocidade de (como alguém dizia) “dez minis por dia”.
No Inverno, com a chuva, foi a lama. Entretanto o tempo começou a aquecer, a humidade a baixar e aí estão elas, as tempestades de poeira.
Nos últimos dias as tempestades de poeira têm assolado o centro da Marinha e as consequências estão à vista. Cinco transeuntes perderam-se, entre eles o presidente da cambra que terá sido visto a consultar uma bússola, o cura Al Cid, de batina branca e cara “enfarinhada” pelo pó foi confundido com o Maloio, o Pina dos Caixões quis enterrar à força o vereador Autocolante porque insistia que o homem, branco como a cal dos pés à cabeça, estava morto, e uma jovem eufórica, aluna da EPANDEGA, correu aos gritos para os braços do vereador João Baião Pedrosa chamando-lhe João Portugal e exigindo um autógrafo.
Mas há sempre o reverso da medalha e parece que a cambra está a arrecadar receita suplementar. Que o diga o Cruz à la Minuta que vendo o seu estabelecimento ser invadido pelas arreliadoras poeiras, de mangueira em punho, passou à acção como a foto documenta.



Vá lá senhor vereador responsável pelas “catástrofes naturais”, mande lá os bombeiros dar umas borrifadelas no pó de pedra, para minimizar os estragos, e faça lá um desconto na conta da água do Cruz.

sexta-feira, 1 de junho de 2007

Isto não se faz!... (Ministro Lino rouba tesoura a Presidente João Barbas)


Alteração da Cerimonia de Inauguração do Lanço da A17

A Câmara Municipal da Marinha Grande, vem, com o devido respeito, protestar contra mais esta medida discriminatória do Governo PS para com o concelho da Marinha Grande e a sua população.

O Governo PS, ao contrário do que sempre acontece nestas cerimónias, resolveu à última hora, alterar o programa de Inauguração do Lanço Marinha Grande - Louriçal da Auto Estrada A17, que estava prevista acontecer no seu início, no nó de ligação da A8 com a A17, no lugar de Albergaria, concelho da Marinha Grande, que transferiu para algures do percurso, no nó de Leiria Norte (junto ao caminho de ferro do Oeste).

O Governo PS viola assim uma regra de sã convivência democrática, discriminando o nosso município por não ser da sua cor política, afastando-o, com estas medidas discriminatórias, de intervir em actos oficiais da vida política do país, em igualdade de circunstâncias com outros municípios.

Não bastou ao PS, durante a execução das obras, ter permitido e incitado seus militantes a liderarem e mobilizarem a população do lugar de Albergaria a levarem a cabo acções de protesto, contra os trabalhos de construção deste Lanço da Auto-Estrada e envolverem este executivo camarário nas acusações que faziam, contra os incómodos da construção.

Vem agora o seu Governo, ampliar os efeitos dessa guerra que o PS local dirige contra a Câmara e penalizar-nos com o afastamento da Cerimónia de Inauguração do Lanço da A17 que tem início no nosso concelho.

Mais nada!!!
O FLC declara-se solidário com a cambra, há coisas que não podem passar impunes! Desta vez sim, nesta questão essencial e de vital importância para o concelho a cambra tem toda a razão em reagir! Mas... e onde está o Dr. Guerrilha? Então Dr. Guerrilha, não vai haver manif? Avança Guerrilha estamos contigo!

A Cambra vai encerrar? (mais uma jornada de luta)

Centenas de milhares de munícipes preocupados com o baixo nível de execução orçamental da cambra e com as notícias que têm vindo a público sobre o “mau ambiente” entre João Barbas e o partido, decidiu constituir a Comissão de Utentes para a Defesa da Cambra, a qual irá promover acções de luta contra o seu encerramento. A primeira iniciativa será uma manifestação em frente aos Paços do Concelho, a qual conta desde já com o apoio do Dr. Delgado da Higiene que considera que a cambra “tem todas as condições de limpeza e salubridade para funcionar”.
O Dr. Engº Anónimo I - devidamente identificado, presidente da dita comissão em acumulação com a presidência da Comissão das Vítimas da Contaminação do Parque da Cerca, refere que os munícipes descontentes estão dispostos a ir até às últimas consequências. "Vamos até onde a população quiser", disse o responsável. Questionado sobre a veracidade de tal hipótese (encerramento da cambra) e sobre a oportunidade da manifestação, o Dr. Engº Anónimo I - devidamente identificado, respondeu que ainda não tem qualquer confirmação oficial sobre o referido encerramento, considerando a manifestação como uma acção preventiva, face "aos rumores existentes nesse sentido".
Em declarações ao Fórum, Anónimo II - devidamente identificado, apoiante da causa e secretário da mesa da assembleia geral da Comissão de Utentes para a Defesa da Cambra, afirmou que a população e instâncias locais estão dispostos a ir até "às últimas consequências" para impedir o fecho da cambra, uma medida que, a concretizar-se, significa a supressão de "direitos conquistados há muitos anos".
De acordo com uma fonte anónima – devidamente identificada, tendo em vista preparar a grandiosa manifestação, já estão a ser elaboradas tarjas e palavras de ordem pré fabricadas, tudo com o apoio de um consultor externo contratado para o efeito “é um senhor baixinho mas muito competente, com experiência no ramo da agitação e que trabalhou muitos anos para um sindicato e para um partido, mas não posso dizer os nomes porque é publicidade”. O FLC sabe que a Comissão de Utentes, com base numa lista preparada pelo consultor externo, já mandou reservar algumas palavras de ordem pré fabricadas, entre as quais, “A presidência não é esperta, queremos a cambra aberta” e “A cambra não é para fechar, é para melhorar”. A comissão está também a analisar uma proposta de moção elaborada pelo referido consultor, a qual será posta à votação no final da manifestação e entregue na cambra.
A Comissão de Utentes, para evitar narizes partidos e trabalho extra ao SAP, já enviou um sms a João Barbas pedindo-lhe que mantenha as portas cambra aberta no dia da manifestação. “Queremos garantias do Sr. Presidente que não batemos com o nariz na porta quando for-mos entregar a moção contra o encerramento da cambra”, afirmou o Dr. Engº Anónimo I.

Frase da Semana


"As regras de higiene alimentar, apesar de terem força legal, são sempre de carácter indicativo e devem ser aplicadas com muito bom senso e racionalidade, porque a higiene é uma arte que exige tanto de saber quanto de sabedoria.
Deve-se ser compreensivo em sede de vistoria e em estabelecimentos antigos alvos de renovação e restauro, quase sempre difícil, dadas as suas limitações económicas e estruturais."

Artur Feliz Esperto (made in Jornal do Tózé) - Delgado da Saúde e Comandante em Chefe para a Higiéne Interior e Exterior (recomendado por mais de quarenta marcas de máquinas e detergentes para lavar louça e roupa)