.
.

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Quem Bufou?

Encerramento do Mercado Municipal da Marinha Grande envolto em polémica

Governo Civil de Leiria critica Delegado de Saúde da Marinha Grande

O Governo Civil de Leiria divulgou o Relatório de Vistoria ao Mercado Velho da Marinha Grande, datado de Agosto de 2006, da responsabilidade do Adjunto do Delegado de Saúde da Marinha Grande, que, à data, desempenhava funções de Autoridade Distrital de Saúde, concluindo que, já nessa altura, o mercado não apresentava condições higio-sanitárias e colocava em causa a saúde pública. O Governo Civil critica recentes afirmações do Delegado de Saúde da Marinha Grande por colocar a possibilidade de reabrir o mercado, considerando “um comportamento estranho da parte de quem tem a responsabilidade de proteger a saúde pública.”

A vistoria foi solicitada pelo Governo Civil de Leiria, na sequência de várias denúncias, algumas das quais publicadas nos órgãos de comunicação social, relativas às deficiências do mercado municipal. Já nessa altura, a Autoridade de Saúde diagnosticou graves problemas no funcionamento do mercado, concluindo que o mesmo não apresentava condições higio-sanitárias e colocava em causa a saúde pública. Em Agosto de 2006, o relatório foi enviado pelo Governo Civil de Leiria às seguintes entidades:

a) Gabinete do Ministro da Saúde;
b) Director-Geral de Saúde;
c) Presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande;
d) Directora Regional do Centro da asae;
e) Adjunto do Delegado Regional de Saúde Pública do Centro.

No comunicado assinado pelo adjunto do Governador Civil, Adelino Mendes, Governo Civil de Leiria comprova, através de documentos oficiais, que também do ponto de vista da saúde pública o mercado não reúne ou, pelo menos, não reunia em Agosto de 2006, condições de funcionamento. Mais de um ano depois, a inspecção da asae determinou a suspensão imediata do funcionamento e utilização do mercado municipal, por estar em causa a segurança alimentar.

O Governo Civil de Leiria constata que o presidente da Câmara Municipal reconhece a situação de degradação do edifício e a necessidade de realização de obras de ajustamento às novas exigências de salubridade e critica “as recentes afirmações do Delegado de Saúde da Marinha Grande, que chega a colocar a possibilidade de reabrir o mercado, contrariando a decisão da asae e as conclusões do relatório da própria Autoridade de Saúde, evidenciando um comportamento estranho da parte de quem tem a responsabilidade de proteger a saúde pública.”

6 comentários:

Brecht à beira do mar disse...

Só agora?!
Só agora é que o Governo Civil reage?!
Porque será?
Mais uma “encomenda”?!
Terá sido o PSD? Ou o CDS? A CDU não será, certamente!
Há foi o...?! Santa paciência!

Anónimo disse...

Pois é! O problema é mesmo da maresia.
Então caro Brecht, não será mais importante saber porque é que há um ano, o delegado de saúde afirmava a falta de condições e agora, sem qualquer tipo de obras realizado vem pôr em causa a ASAE?
Então não será natural que o Governador Civil ( por quem não tenho especial simpatia), na qualidade de representante do Governo no Distrito, reaja às acusações do Presidente da Câmara que acusa a ASAE de abuso de poder e se embosca por detrás de um relatório do mesmo delegado de saúde, para interpor uma providência cautelar?
O que é que é estranho nesta novela?
A violação do P.P. da Zona desportiva?
A adjudicação de obras sem concurso?
A teimosia em não testar um equipamento que está pronto e que mesmo com defeitos seria a melhor solução provisória?
Do que é que tem medo a actual maioria?
Para que os seus neurónios não fiquem afectados e o façam reagir sem pensar, aconselho a que, quando se aproximar do mar, se agasalhe, porque já está a ficar fresco.
Tenha uma santa noite.

pb brecht disse...

Ui ui... tá irritado aqui o amigo anónimo. Saltou-lhe a tampa. Porque será?
Já lhe disse que não tem de se preocupar com a minha saúde. Mas eu agradeço. Com amigos assim, quem é que precisa de inimigos, não é?

Teimosia?
Primeiro diz-se que o PSD encomendou um relatório para “chumbar” o mercado. Não se admite que há irregularidades e erros técnicos. Não. O que há é uma “encomenda” do PSD para tramar o PS.
Depois chama-se teimosia ao dever de obediência á lei – a obra “chumbou” – e como qualquer munícipe sabe, quando uma obra “chumba” na vistoria, não pode ser utilizada sem que se ponha legal. Os privados lá vão percebendo que não podem prevaricar muito porque se não conseguirem fazer passar a obra e os defeitos pelo buraco da vistoria, lá terão de desembolsar mais uns cobres a emendar a mão.
Neste caso como o dinheiro é de todos e não é de ninguém, está ali para se gastar, joga-se roleta russa e espera-se poder fazer passar a obra atabalhoada pelo buraco da vistoria, porque se for preciso fazer obras de alteração, os cofres da autarquia lá estão para pagar. Ou talvez se conte "encomendar" uma vistoria para abrir o buraco, quem sabe?! Depois do que tenho lido aqui sobre encomendas já julgo que tudo é possível.

Mas é mais proveitoso vir dizer que a culpa agora é da tal comissão que fez o relatório, e que não usar o espaço é teimosia.
Mais, se não é preciso espaços herméticos e controles de temperatura, se não há fundamento legal, conteste o relatório. Demonstre que o relatório técnico é um embuste e ilegal, que diz mentiras.

Olhe sr. anónimo cidadão atento, eu não estou aqui a defender o mercado velho nem o novo, nem o delegado de saúde, nem o PSD.
Se quer saber eu realmente prefiro e sempre preferi que o mercado não saísse de onde estava, mas numa democracia ganha a maioria. Neste caso ganhou a maioria que deu ao PS a legitimidade de escolher mudar o mercado para outro lado. Até aqui tudo bem.
A democracia também me permite manifestar desagrado por se ter gasto rios de dinheiro a fazer uma obra com deficiências que poderiam ter sido evitadas se tivesse havido o mínimo de rigor e profissionalismo. Depois nem nenhum relatório encomendado conseguiria derrubar uma obra bem feita. É impossível meter defeitos onde eles não existem
Mais, a democracia também me permite demonstrar o meu desagrado pela inoperância da actual maioria, que há dois anos que fala em obras e até agora nada, deixando chegar a situação ao ponto em que está. E lá está a autarquia a desembolsar dinheiro para remediar a questão e não prejudicar ainda mais os comerciantes do mercado e a população.
E não tente tirar mais elações porque não existem.

Já agora sr. anónimo, peça ao Sr. Governador Civil para ele interceder junto da ASAE do Governo ou vá directamente à Procuradoria Geral da República para que estes indaguem sobre a suposta “encomenda”. Talvez assim se chegasse a alguma conclusão e se pudesse esclarecer os municipes de uma vez por todas.

Anónimo disse...

"... o País está todo doido!..."

Anónimo disse...

Vamos lá ser racionais, se não for pedir muito a quem se identifica como Brecht.
Quem é que disse que a obra é perfeita?
Aliás, a perfeição existe?
O que está em causa é que as insuficiências do Novo edifício são supríveis, nomeadamente em relação ao aumento da capacidade de transporte de cargas, com a montagem de um monta cargas exterior, que a eventual falta de ventilação se pode resolver com um equipamento barato de extracção forçada, que o local isolado para aves vivas já lá existe e pode funcionar com pequenas altarações, que o sistema de frio e congelação pode ser instalado a qualquer instante, chave na mão, etc, etc.
Evidentemente que o funcionamento do mercado no centro de uma cidade é gerador de conflitos de tráfego.
Mas sendo consensual que o mercado não se deve afastar do Centro, esse problema existirá sempre.
Aconselho vivamente o Brecht a visitar o Mercado, a ler o relatório encomendado aos amigalhaços do partido e se for inteligente e não tenho razões para pensar que não é, certamente chegará à conclusão que estamos perante um embuste.
Já agora, leia também o relatório da chamada comissão de vistoria e certamente concluirá que os problemas pessoais do delegado de saúde com o Presidente de então e a animosidade do reformado veterinário ao PS, foram decisivos para os levar a opinar de forma negativa. Até o tecto falso era motivo de chumbo, porque acumula poeira.
Para quem se diz não alinhado, o caro Brecht está demasiado empenhado em defender aqueles que aos olhos da população, batem todos os recordes de incompetência.

Curioso disse...

Então mas o "Record do Mundo" da incompetência não foi batido por quem fez o dito Mercado Novo ??