.
.

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

"Marinha Grande tem o maior poder de compra do distrito"

" O concelho da Marinha Grande é o que regista o maior poder de compra 'per capita' no distrito de Leiria, revela um estudo publicado pelo Instituto Nacional de Estatístico (INE).
Segundo o relatório, no distrito apenas há dois concelhos que registam um índice superior à média nacional. Além da capital vidreira, que apresenta um índice de 104,76 (a média nacional é 100), Caldas da Rainha aparece em segundo lugar, com 103.55 pontos. Todos os restantes concelhos do distrito aparecem abaixo da média do país."
.
(Diário de Leiria)


Esta notícia, que passou quase despercebida, vem comprovar o que há muito se sabe, o problema do comércio tradicional na Marinha não é um problema de falta de poder de compra da população, é antes o resultado da falta de dinâmica e de cultura do sector, potenciada pelos erros acumulados dos seus dirigentes associativos e dos governos municipais que não conseguiram inverter a tendência de morte lenta.
Para além de massa cinzenta, auto-crítica precisa-se, em grandes doses.

4 comentários:

Anónimo disse...

Problemas de estatística... eu comi dois pães o meu vizinho não comeu nenhum, estatisticamente comemos um pão cada...o poder de compra existe está é concentrado numa classe alta enquanto que o resto da Marinha Grande sobrevive.

A Marinha Grande só tem duas classes sociais a baixa e alta, sabendo que é a classe média que sustenta o comércio local, verificamos que não é apenas a falta de condições (que tb são importantes) que explica o fraco comércio que temos por cá.

escarila disse...

O caro anónimo anterior, com todo o respeito, volta a cometer um erro básico. Ora se a Marinha não tem classe média o comércio tem de se adaptar à classe alta para sobreviver, lógico. O problema é que os nossos comerciantes são muito fracos. Mas devo acrescentar que não concordo nada com essa que na Marinha não há classe média. Na Marinha inclusivamente há uma classe média abastada...

Brecht à beira do mar disse...

Eu diria que já houve uma grande classe média abastada. Hoje só há classe média endividada, para ser generoso.

Anónimo disse...

Até que enfim hó Brecht. Já te agasalhaste.