.
.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Só por se Justificar

Pronto! Chamem-me fura greves ou outros nomes feios. Ma não resisto a publicar uma foto que me veio parar ás mãos via internet.
Mas o que é que a avestruz tem a ver com o dia de hoje? Nada claro!
Este bicho não é aquele que enfia a cabeça na areia para não ver o que se passa à sua volta?
Pronto. O resto deixo à imaginação dos ilustres calhandreiros.

8 comentários:

Rogério Pereira disse...

Isso não é furar a greve, é apenas uma antecipação dos resultados!

(comento, no âmbito dos serviços minimos a que sou obrigado...)

flor de jasmim disse...

Não me escondo como a avestruz
a trabalhar já a coisa está feia
só vejo o túnel mas não a luz
se não trabalho não ganho
nem para o azeite da candeia.

Beijinho

Tuquinha disse...

Esta Avestruz (e for for com a cabeça na areia) traduz na perfeição as atitudes , penso eu, de todos nós....... "é preferível não olhar á volta" e deixar correr.....como oiço a maior parte das pessoas dizerem: é viver um dia de cada vez...na minha modesta opinião, nada mais errado que isto,mas quem sou eu???
Cumprimentos

Anónimo disse...

Este post terá algo a ver com um outro no outro ca da Praça? É que se não tem parece.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O direito à greve, ou não greve deve ser reconhecido igualmente, portanto, isso de fura-greves não entra no meu dicionário.

Isa GT disse...

Eu penso que a greve devia ter sido feita mais cedo, agora... tarde se piou.
A avestruz tem estado há muiiiito tempo com a cabeça enterrada na areia e se a tirou agora... os beliscões começaram a doer e, infelizmente, ainda vão doer mais.
Razões para a greve há muitas, cada um fez ou não fez... à vontade do freguês ;)

Bjos

Pedro Coimbra disse...

Fiz greve uma vez na vida.
Era ainda estudante e era Ministro da Educação o José Augusto Seabra.
Que queria dobrar o preço das refeições nas cantinas universitárias.
Para aqueles que, como eu, só ocasionalmente tomavam as refeições nas cantinas, não haveria grande problema.
Já para aqueles que lá tinham que comer todos os dias, isso podia representar o abandono dos estudos.
Fomos atrás dele para Miranda do Corvo.
E o gajo fugiu.
Ficámos a fazer barulho na mesma.
E a mensagem passou.
Não houve aumentos porra nenhuma!!

Luís Coelho disse...

A avestruz pode ser um animal meio desconfiado mas na adversidade ataca e não se esconde.

Muitos trabalhadores são desconfiados, como ela, mas no dia da luta fogem e deixam os colegas sozinhos com aquele pensamento que os tranquiliza:

- se eles ganharem eu tambem terei direito.....

Assim uns lutam e outros (oportunistas) mamam...........

Também vi muitos fura greves.
Só trabalhavam nos dias de greve. O resto do ano finjíam trabalhar.....