.
.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Agenda


Conferências JMG/SOM

Henrique Neto pensa o futuro do concelho

O Jornal da Marinha Grande e o Sport Operário Marinhense promovem na próxima quinta-feira, dia 25 de Novembro, mais uma conferência. A iniciativa, subordinada ao tema “Pensar o futuro do concelho”, será desenvolvida por Henrique Neto

O empresário marinhense será o próximo convidado do Ciclo de Conferências promovidas em parceria pelo JMG e pelo SOM.

Henrique Neto falará sobre os principais sectores económicos do concelho, nomeadamente vidro e moldes, e fará uma abordagem relativamente aos erros do passado e presente (más opções estratégicas), como ponto de partida para a reflexão sobre o futuro. Ou seja, pretende-se identificar as políticas que “deveremos” implementar no concelho para sermos vanguardistas nos próximos anos.

Durante a conferência será igualmente aflorada a questão da educação e da formação como factores de competitividade.
A temática do eixo Marinha Grande - Leiria estará igualmente em cima da mesa.
A conferência “Pensar o futuro do concelho” decorrerá na sala de exposições do Operário, pelas 21h, com entrada livre.

17 comentários:

gaja entristecida disse...

Para pensar a Marinha só falta mesmo o Medina Carreira...
Esta iniciativa do JMG, que até poderia ser interessante, redunda uma vez mais naquilo a que este país já nos habituou - sempre os mesmo. E mais. É que para além de serem sempre os mesmos, são aqueles que com maior ou menor responsabilidade nos levaram ao estado em que hoje nos encontramos.
Eu gostaria sim de ver a Marinha ser discutida por gente com ideias e com uma estratégia de futuro, coisa que manifestamente não reconheço a nenhum destes senhores que o JMG já convidou.
É também com alguma tristeza que vejo este blog ser uma correia de transmissão de toda esta trapalhada. Onde está o espirito critico e interventivo de outros tempos? A sensação com que fico, é que visitar este blog ou o blog do Osvaldo, é a mesma coisa, copy/paste, copy/paste, vídeos do youtubo às toneladas e caixas de diálogo que mais parecem chats de conversação.
Tenho pena que assim seja.

Anónimo disse...

Uma questão: quem é a "gente com ideias e com uma estratégia de futuro"?

Anónimo disse...

Vários nomes de "gente com ideias e com uma estratégia de futuro", a pedido do anónimo anterior:
Alvaro Orfão
Alberto Cascalho
Henrique Neto
António J. Ferreira
Carlos Carvalho
Alvaro Pereira
etc, etc, etc
Querem mais?

Fê-blue bird disse...

“Pensar o futuro do concelho”
Uma boa temática. Um concelho dinâmico , dá gosto saber .

beijinhos

ai ai disse...

Sem duvida que Henrique Neto é um dos mais ilustres pensadores não só da Marinha Grande como do País. Goste-se ou não tem teoria que é ouvida em muitos orgãos de informação Nacionais e Regionais, mas aliado à teoria tem obra feita. Só por ciumeira e inveja, coisa muito corriqueira por estas bandas é que se pôe em causa um dos mais ilustres filhos da nossa terra. Com toda a legitimidade é uma voz a ser tida em conta, no que diz respeito ao nosso futuro, colectivo. Outros haverá certamente
não fosse esta terra conhecida aquem e além fronteiras, uma terra de empreendedores com créditos firmados, saibamos ouvi-los e confrontá-los e não nos limitemos atravez dum teclado de computador a mandar apenas uns "bitaites".

Anónimo disse...

ai ai.. que bela resposta. O meu aplauso!

vinagrete disse...

Já trabalhei com o H. Neto e considero-me seu pessoal amigo.
Julgo que o conheço razoavelmente bem, para poder afirmar que, descontados alguns excessos provocados pelo seu temperamente impetuoso, o Henrique andou sempre, desde há muitos anos, a kms de distância de quase todos nós.
Homem exigente consigo próprio, ávido de conhecimento que o leva à leitura constante de tudo o que acrescente informação, sendo vulgar observá-lo a ler, mesmo à mesa do restaurante, ele não abdica de emitir as suas opiniões, mesmo quando elas colidem com os poderes instalados com os quais chegou a manter uma relação de militância.
Ainda no final da década de 80, quando as Autarquias só queriam assumir o mero papel de gestoras de obras públicas e particulares, já ele colocava a fasquia bem mais alto, achando que as Câmaras se deveriam assumir como verdadeiros órgãos de poder autárquico, devendo munir-se de meios e ferramentas para assumir um papel pró-activo no desenvolvimento económico, na inovação e no conhecimento, por forma a ajudar a criar factores diferenciadores capazes de alavancar o nosso desenvolvimento.
Comete erros? Por vezes excede-se ?
Sem dúvida. Reconheço isso, mas recuso-me a fixar-me no que nele é menos positivo, porque se me interessar pelo resto, fico certamente mais rico.

Anónimo disse...

Muito bem, caro Vinagrete.

Anónimo disse...

Grande noite de reflexão sobre o futuro da Marinha Grande, numa vertente mais económica que política. Parabéns à organização! Notadas as ausências de todos os membros do executivo permanente da Câmara da Marinha Grande e dos membros do gabiente do presidente.

Anónimo disse...

Não tive oportunidade de assistir à Conferência,mas conheço as suas convicções anti-fascistas,lutador incanssavel,firme nas suas ideias,homem que não dobra e que fez muito pela industria de moldes.Independentemente de não concordar com muitas posições dele,admiro-o e considero-o uma das personalidades mais notáveis da terra.Irreverente,critico e persistente,não admira pois,que os ilustres autarcas da nossa terra não lhe dêm importância.

ai ai disse...

Curiosamente H.Neto é conselheiro do Presidente da Camara de Leiria, por solitação de Raul Castro.
Pena que por cá não se saiba aproveitar o saber e o conhecimento deste ilustre Marinhense. Sintomático de facto a ausencia dos nossos eleitos, o que não deixa de ser lamentável.

Anónimo disse...

Não sei se a primeira bitateira(o) deste post, mantem o que disse.
É possivel que este blogue tenha sofrido alterações. Uma delas é seguramente a ausência das peixeiradas que por aqui se viam e pelos vistos tão do agrado da referida bitateira (o).
Pena que alguns do excelentes prosadores que por aqui passavam se tivessem cansado de "dar pérolas a porcos" como alguem aqui disse.
É possível mum blogue com um nome tão singular como este tratar duma forma séria os multifacetados assuntos para aqui trazidos.

Anónimo disse...

Quais peixeiradas? Pode concretizar?
Eu parece-me que as peixeiradas eram produzidas por pessoas que a cobro do anonimato aqui destilavam ódio nos seus bitaites. E nesse particular não há virgens, foi um regabofe de má lingua.

Apartidário disse...

A figura do Henrique Neto merece-nos todo o respeito e admiração.

No entanto, é bom que sejamos objectivos e não se escondam factos importantes.
Foi um visionário que fez obra (com o Joaquim Meneses) até ao inicio dos anos 90.

Os factos relativos ao seu percurso empresarial dizem-nos que a partir de meados dos anos 90 as empresas por si controladas e dirigidas deixaram de ser as mais avançadas e competitivas do sector e, inclusivamente, até estagnaram, sobretudo por falta de capacidade de liderança e do envolvimento das pessoas (para ser meiguinho).

Do ponto de vista da politica e da economia, fala de tudo sobre tudo e sabe muito menos do que aparenta saber. Basta ver a triste figura na entrevista na SIC com o Engº Carlos Pimenta.
Embora concorde com ele que o Engº Sócrates tem sido irresponsável na direcção do nosso país, não posso concordar com as sua forma provocatória e inconsequente como a ele se refere.

Como seu admirador (até meados dos anos 90) gostaria que fosse mais resguardado e nesta fase da vida e não se excede-se para lá dos limites do razoável, para não passar a imagem de que já está fora de prazo.
Quem perceber dos assuntos dos quais ele fala, apercebe-se rapidamente de que, embora tenha uma grande cultura geral, utiliza as suas capacidades oratórias e de escrita para disfarçar a sua falta de conhecimento sobre os assuntos.

Anónimo disse...

Eu não seria mais acertivo. O Apartidário meteu o dedo na ferida.

ai ai disse...

Caro Apartidário
Misturar questões profissionais com opiniões Politico-económicas pode ser explosivo., Do ponto de vista profissional-Empresarial o H.Neto tem um palmarés que fala por si. Quem aqui o podia atestar.
O que seria a industria de moldes na Marinha Grande sem a visão do referido.
Não vale a pena ir a mais consideraçõe, porque a obra nasce porque alguem a fez nascer. Reconheço que naquele debate com o celebre autor da "reciclagem do aluminio mortal nos cadáveres das vitimas de um erro grosseiro" possa não ter estado muito bem. A partir daí (penso não ser necessário estoriar o porquê, porque o meu caro certamente sabe) quanto ao resto? Parece-me que o pecado mortal do H.Neto é ter razão antes de tempo. Antes não tivesse.

Apartidário disse...

Caro ai ai,

Concordo que não se devem misturar questões profissionais com opiniões politico-partidárias.

Só o fiz porque é o próprio Henrique Neto quando se apresenta com o estatuto de empresário para fundamentar opiniões politico-partidárias.

É muito injusto quando se oculta o papel e as qualidades de gestão do Joaquim Meneses do sucesso das empresas das quais o Henrique Neto também era sócio. Perguntem, por exemplo, aos colaboradores e ex-colaboradores.

Na minha opinião (e de muito mais marinhenses) parece que foi visionário até meados dos anos 90, mas ficou por lá. Muitos que com ele lutaram antes do 25 de Abril até ficaram em 1974. Outros, (muito poucos) continuam visionários.