.
.

domingo, 14 de novembro de 2010

Poema destinado a haver Domingo

Bastam-me as cinco pontas de uma estrela
E a cor dum navio em movimento
E como ave, ficar parada a vê-la
E como flor, qualquer odor no vento.

Basta-me a lua ter aqui deixado
Um luminoso fio de cabelo
Para levar o céu todo enrolado
Na discreta ambição do meu novelo.

Só há espigas a crescer comigo
Numa seara para passear a pé
Esta distância achada pelo trigo
Que me dá só o pão daquilo que é.

Deixem ao dia a cama de um domingo
Para deitar um lírio que lhe sobre.
E a tarde cor-de-rosa de um flamingo
Seja o tecto da casa que me cobre

Baste o que o tempo traz na sua anilha
Como uma rosa traz Abril no seio.
E que o mar dê o fruto duma ilha
Onde o Amor por fim tenha recreio.

Natália Correia
Poesia Completa
Publicações Dom Quixote
1999

5 comentários:

Rogério Pereira disse...

Todo o poema
se destina
a pôr a alma serena
salvo os que assumem a função
de agitar o coração
ou a razão

(Natália Correia escrevia
o que a sua razão não dizia...)

Tuquinha disse...

Quem diria que ia "conhecer " um casal tão simpático, poético e tb revolucionário..........
è agora convosco que vou voltar a ler e a pensar como aqui há uns anos atrás.........foi muito bom recordar Natália essa Grande Senhora.............
Mil beijinhos e muitos pemas bonitos para uma casal encantandor.
BOM DOMINGO

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Gostei da escolha

flor de jasmim disse...

Lindo!!!
Natália Correia tem coisas lindas, tenho algo dela mas que à muito não leio, é daquelas coisas guardam-se e ficam na parteleira.
Boa escolha.
Beijinho

Fê-blue bird disse...

"Baste o que o tempo traz na sua anilha
Como uma rosa traz Abril no seio.
E que o mar dê o fruto duma ilha
Onde o Amor por fim tenha recreio."

Natália Correia, uma mulher lutadora e guerreira.
Embora já seja segunda-feira, o espírito deste belo poema mantém-se.

beijinhos e boa semana