.
.

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Rapidinhas


De acordo com o Diário de Leiria de hoje, a Câmara de Pombal preocupada com a crise económica, decidiu anunciar um plano de combate destinado a minimizar os seus efeitos.

Conhecidas que são por cá as políticas neoliberais levadas a cabo pela actual coligação PCP/AA (ex PCP/PSD), que se recusa, nomeadamente, a baixar a taxa de IRS e a acabar com a ilegal tarifa de disponibilidade, decidimos pesquisar no site da autarquia o que é que foi, ou está a ser feito (e publicitado), em termos de apoio social no concelho. Assim, entrados no referido site procurámos no item “Acção Social” e lá estava: “Piquenicão Nacional”. Hummm?!...

Estamos certos de que a nossa autarquia só por modéstia é que não está a publicitar no seu site toda a vasta obra de apoio social que está a desenvolver.



“A Lontra na Cidade” é um projecto da autarquia marinhense no âmbito do qual está a ser estudada uma parceria com o Zoomarine e que se destina a apresentar uma candidatura a fundos comunitários na área do ambiente.
Conforme noticia o Região de Leiria da semana passada, este projecto surge na sequência da descoberta de uma família de lontras que se instalou há cerca de dois anos na Ribeira das Bernardas, na zona do Parque da Cerca.
Entre os objectivos do projecto, que se pretende que atinja dimensão nacional, estão a defesa da biodiversidade urbana, a sensibilização a conservação da lontra em Portugal e na União Europeia e a monitorização ambiental.

Ora, está tudo muito bem, mas, perguntamos nós que não somos especialistas na matéria: o que raio é que faz uma família de lontras num parque contaminado, com a cumplicidade da autarquia?
Parece-nos que o nosso município não está a definir bem as prioridades. Na nossa opinião, a câmara deveria primeiro entregar as lontras em perigo de intoxicação ao Zoomarine, depois descontaminar o Parque da Cerca e por fim fazer a tal parceria e mandar vir a lontras de volta. Não parece mais lógico? Por isso, "Salvemos a Lontra e o Parque da Cerca"!



Recordam-se do que foi aqui escrito há quase um ano, num post intitulado “FAÇA-SE LUZ”, a respeito da nova sub-estação da EDP em Plena Zona Industrial? Na altura foram feitas uma série de perguntas que, como é hábito, ficaram sem resposta.
Uma vez que as actas das reuniões de câmara só são publicadas passados uns meses largos e uma vez que ouvimos uns zun-zuns sobre o licenciamento dessa obra numa das últimas reuniões de câmara, será que há por aí alguém que nos possa esclarecer sobre este assunto? Damos um doce.

2 comentários:

Anónimo disse...

Kdo a acta da última reunião estiver assinada pelo AC pesquisem k encontram! Mas não se iludam pois a assinatura pode demorar....vá-se lá saber porquê?

Confiante disse...

Os xuxas estão a perder a cabeça e a compustura. Analisem bem o orçamento e compreendam todas as medidas que estão prevista e depois sim venham falar com dados concretos.
Passem bem.