.
.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

ANO DA DESGRAÇA DE 2009?


Implacável, inexorável, um segundo para além do cruzamento perfeito dos ponteiros no zénite, por imposição dos relógios atómicos e dos supositórios anatómicos que nos enfiam a torto e a direito para alívio da crise e das dores da puta da enxaqueca, o sino da igreja matriz fez soar as dozes badaladas da ordem com que anunciou o finado ano magro e proclamou o novo escanzelado: “preparem-se que vem aí o Cabo das Tormentas” – tugiu o engenheiro em tom premonitório, sem conseguir dissimular uma pitadinha de cólera de superior hierárquico da função publica - que me perdoem os assalariados dessa prestimosa instituição para a qual descontamos a bom ritmo - túmido e crespo, revoltado pela crise lhe ter roubado a glória, a ambicionada ovação da bancada central nos cem metros finais, desembaraçado que parecia estar da abambochada concorrência, a contas com bolhas nos pés e tilomas nos indicadores de ambas as mãos. E logo agora que se aprestava para transpor ufano a meta sob o olhar cabisbaixo e abobalhado da líder nectarina e da tarouquice dos sindicateiros bacocos que há décadas lambem compungidos as chagas dos outros. Abram os olhos néscios, o caminho que falta para a meta poderá ser o epílogo trágico e apocalíptico dum Estado penurioso que distribui farfalhas e sardinha enlatada a pataco, em troca das urnas recheadas de indulgentes “sins” dos carneirinhos do costume. De quatro em quatro primaveras, que é p’ra não enfartar.
Mas ao mesmo tempo que as badaladas ressoavam, vindas do campanário que em tempos foi de igreja em talha dourada, aniilada pelo betão da estupidez dos descrentes que delapidaram a herança patrimonial de ilustres ascendentes, o estalo provocado pela abertura da garrafa de espumoso pífio, comprado no Lidl, fez soar na minha desordenada cabeça uma campainha de alerta – espera lá que este é ano de botar voto, menino! Aliás, de botar votos! Urra, urra, c’uma porra! - logo a flatuosidade da coiçoeira rolha do indubitável champanhês me havia de despertar para o sórdido pesadelo - a tendência dos coronéis da roça para o tresvario em vésperas da ida às urnas. Irra, irra c’uma pirra - em vez d’uma vais ter duas crises, menino – a do costume e mais a mana que vai a engordar no nado ano pelos costumeiros brindes eleitorais. Santa Marinha nos valha e mais o padroeiro dos pedintes, que a carteira está furada e o túnel não tem fim à vista...
Desanimado? Esmorecido? Não, nada disso, cá o menino está é apreensivo, só isso, apreensivo e prontos. Afinal um país que produz políticos desacanhados, intelectuais de aviário, jogadores da borla e artistas pumba a um ritmo superior ao que a Izidoro produz chouriços de sangue, só pode ser um país com futuro, só pode ser um país com dinâmica de vitória…
Pois aí é que está o busílis do algoritmo, pensamos todos - pois se está tudo inventado e se a coisa não resulta a solução só pode estar na qualidade dos homens, dos líderes, dos timoneiros, pois lá está! Pensem aqui com o menino – os estudos estão feitos, os diagnósticos são conhecidos, as prioridades estão definidas, a agenda está mais que marcada – páginas 21 e seguintes, a saber: vias circulares para desafogar, saneamento para desaguar, piscinas para nadar, escolas para ensinar, blá-blá-blá, blá-blá-blá… e mais três ou quatro floriados só ao alcance dos mais iluminados - a cereja nos píncaros. Então o que é que falta, caramba? Fácil, muito fácil mesmo: massa cinzenta, da boa, crítica, criativa, carismática, espevitada, aprumada, massa cinzenta da melhor, que a que por cá (e por lá) tem andado, depois de levedar, esboroa-se toda e faz-se em nada, como dizia a minha tia Casimira. Que Deus a tenha em boa conta.
.

23 comentários:

anarcabe disse...

E não me venham com a treta que falta dinheiro. Agora é "à tripa forra", mais de 5 milhões pelo menos. Falta mesmo é o que deveria estar entre os ouvidos, e já agora que seja com alguma e substancial qualidade.

Anónimo disse...

Estes xuxas são o máximo. Este relaxado engoliu um dicionário e poem-se a escrever balelas que não se percebem armado em intelectual.
Ó homem, ponha os olhos no que não fizeram em 12 anos e vejo o que se reparou e fez em proveito das populações em apenas 3. Espere pelo fim do mandato e vai ver que não tem coragem de fazer o balanço.

Anacrónico disse...

A eterna técnica de dizer que ao fim de 12 anos não se fez nada!
Certamente estão a tentar usar a velha máxima que diz que uma mentira repetida até à exaustão acabará por ser tida como verdade!
Mas, se assim é, desenganem-se.
O povo pode ter a memória curta, mas não neste caso em que, diariamente e ao longo destes penosas 3 (três) anos, foi constantemente confrontado com a incapacidade, a inoperância, as asneiras repetidas até à exaustão, a descoordenação e, pior que tudo, a manifesta ausência de saber fazer e de ter o mínimo de ideias que seja sobre o que querem para este pobre concelho e esta pobre cidade que está (que estão) no lamentável estado de abandono para que a atiraram!!

Este anónimo deveria era ter o mínimo de vergonha e uma pontinha de QI para lhe permitir omitir-se de comentários infelizes como este.

A paciência começa a ter grandes limitações, de facto. Já não há pachorra!

anarcabe disse...

Estes "comunas" são primários, enumere o que fizeram então nestes 3 anos, sem ser a balela do costume, e, que ainda por cima vem "mal" escrito, no livro vermelho da câmara todos os meses, ainda por cima fora de prazo. Por falar nisto, sabem por ventura quanto custa o livrinho que recebem todos os meses com a propaganda da CDU, um dia destes eu digo, mas aviso são milhares de euros.

anarcabe disse...

Esquecia-me, a vem da verdade o xuxalistas, também não fizeram nada que se aproveite. Bem pelo contrário, estão aí as broncas para resolver ainda.
Mas para dar a todos e com razão, os laranjinhas que tentam sempre estar de acordo com o poder (perdão poleiro), têm culpas iguais ou maiores, é pois bom que se note.

Wolverine disse...

Já dizia Sá Carneiro (e esta não me canso de mencionar) que "nos primeiros seis meses de governação podemos (e devemos) dizer mal dos que estavam antes. Depois disso, a culpa é só nossa". Sábias palavras de um grande homem que existiu na nossa Democracia.

Hoje em dia deve dar voltas no túmulo ao ouvir Socialistas, Comunistas, Bloquistas, Centristas e até os do seu partido passarem os mandatos a queixarem-se do que os executivos anteriores fizeram... Hoje, dia 23 de Janeiro de 2009, não há um, repito, um político com responsabilidades governativas que possa vir a terreiro dizer que este ou aquele problema advém de questões que se prendam com quem lá esteve antes.

Esta horda de incompetentes que governa a Marinha Grande é responsável em três anos pela maior campanha de propaganda que já se viu na Marinha Grande. Mas só para dizer mal e tentar esconder a sua incompetência com erros de outros que nem sequer cá estão para se defenderem.

Todos os executivos cometem erros. Mas a humildade deve ser uma das qualidades inerentes aos membros desse executivo, coisa que não se vê nos dias de hoje.

Olhando mais uma vez para o caso da Marinha Grande, este executivo, bem como os deputados da oposição (que estão sempre a fazer o "nim" nas votações e que não os têm no lugar para assumir uma posição frontal, seja ela de apoio ou não), atrevo-me a dizer que tudo isto parece aquele episódio do naufrágio do Titanic: o barco a afundar e a orquestra a tocar... Trocando por miúdos, a Marinha a afundar e PCP a dar música...

Anónimo disse...

É isso mesmo Relaxoterapeuta, a escolha deve recair sobre os melhores como por exemplo o Dr. António Santos!!!!....... É por isso que já há muita gente a perder o sono.....

Mariette disse...

Relaxoterapeuta a mentor político. JÁ!!!

Anónimo disse...

A mentor político? Com as baboseiras que escreve? Se ao menos tivesse uma única ideia, já não era mau...
Dizer mal de tudo e de todos é muito pouco!

Anónimo disse...

O Relaxoterapeuta está muito bem onde está ..... a escrever para nos animar .............mas que isso, é muita areia para a Camioneta dele.


Aliás, se todos estivessem a fazer o que sabem, bem melhoer estava o Concelho ....... a saber:


O B.E. - fumar ganzas e afins;
O PCP/CDU - fazer greves e agiação social;
O PS - inventar mentiras e a praticar a má-lingua





O PSD - A GOVERNAR ........

Tenho dito, a bem do Concelho-

Anónimo disse...

Quem sabe, sabe ..... e o PSD é que sabe.


Força António Santos, o Concelho desespera pela tua vitória. É um caso de interesse Nacional/Concelhio.

Anónimo disse...

LOL

Calma no PSD porque nesta terra dificilmente alguma vez serão Governo... A unica forma que alguma vez lá chegarem perto foi aliando-se ao PCP e vejam a bronca que deu... ou pensam que o Povo também já esqueceu?? Se o PSD não se tem coligado com o PCP talvez já tivessem havido eleições antecipadas, como em Lisboa, para repor a Verdade e a Justiça a bem do Concelho.

Aqui ninguém está isento de culpas.
Qualquer partido nesta Terra tem culpas sobre o atraso que vivemos em relação aos nossos mais directos 'adversários' (Concelhos vizinhos).
Uns porque fizeram. Outros porque não fizeram. Uns porque estiveram calados. Outros porque falaram demais. Uns porque sim. Outros porque não.

Mas sabem que mais?
Esta terra nunca vai mudar... e as eleições vão apenas ser uma troca de nomes e de vozes... porque as 'máquinas partidárias' não ousam arriscar numa Reforma nas suas estruturas.

E nem, quais 'coelhos tirados de uma cartola', com esses supostos 'novos' na política e partidariamente 'independentes' isto leva a volta de que precisa.

Do Executivo actual e do Partido que o apoia só se pode concluir uma coisa: vão governar a SIBÉRIA!!!

Anónimo disse...

Caro anónimo anterior, parece-me ser uma pessoa séria,que sabe,calma,mas queria corrigi-lo numa pequena, grande coisa. O PSD,nunca esteve coligado com o PCP e neste momento o Vereador já nem é do PSD porque já entregou o cartão ao partido, penso estar a governar como independente. Como sabe o Concelho ao longo destes anos tem sido governado ou pelo PCP, 17 anos, ou pelo PS,15 anos, este com uma maioria absoluta.Ao que sei o PSD no dia das eleições nunca abriu uma garrafa de champanhe a comemorar uma sequer vitória, ficando-se apenas e tão só com um vereador, ou mm. até sem nenhum. Estou consciente q. a culpa nunca morreu solteira, mas caramba, ao PSD, só podemos, se é que podemos imputar uma infima culpa, pq. a grande fatia pertence, sem dúvida nenhuma, ao PCP ou PS...Já há altos cargos dos próprios partidos que referi a reconhecerem que o concelho está uma lástima, notando-se, inclusivamente, nas pessoas,uma saturação de andarem estes anos todos a votarem PCP ou PS e esta nossa terra q. tanto gostamos, nem uma piscina tem...As pessoas estão a reconhecer q. muito se fala de politica mas a obra não aparece, podendo concluir-se q. o q. é preciso são obras com visão de futuro e com sustentabilidade. A governação, quer queiram quer não, do PCP ou PS está esgotada, há que dar um Novo Rumo ao concelho, com novas ideias, com Inovação, com participação massiva de toda a população, em que se apriveitem as melhores ideias, mm provindas doutros quadrantes pliticos, para beneficio das nossas gentes. Isto traduz-se em Obras, que de facto, temos que reconhecer, não aparecem...È por isso que o PSD escolheu um candidato que se apresenta as próximas eleições, para ganhar,como independente, que sabe ouvir as oposições, que é conciliador, pretendendo apenas o bem da nossa terra, pq, sabe de facto aquilo q. as pessoas precisam e que mais necessitam.O PSD está confiante, digo mm., plenamente confiante que vai ganhar, pq. é preciso mudar e as pessoas sabem-no bem. É ainda por isso ,que apresenta um homem sério, honesto,simples, de bom trato, comunicador, trabalhador, que se licenciou em direito, na qualidade de trabalhador estudante e que tem prática de lidar e liderar pessoas desde os vinte e poucos anos. É deste homem que a Marinha precisa...

Anacleto Fontaínhas disse...

Caro anónimo, o último, entenda-se.
Quanto a seriedade, a honestidade e a amor à terra, apoio a cem por cento o que diz acerca do vosso indigitado candidato.
Conheço o homem e não tenho nada contra.
Só que, nestas coisas, é preciso mais e, por alguma razão, o PPD/PSD nunca teve votos suficientes para conseguir a presidência da Câmara.
Pena é que, aqui como em muita outra coisa, o PSD local não tenha sabido seguir o exemplo de saudoso António Matias...
Veja-se, por exemplo, a triste figura que o PSD fez aquando das últimas eleições...
Não só entregou na governação a um PCP ancilosado e parado no tempo, como lhe serviu de muleta ao longo destes anos.
E tanto faz virem dizer que o AA já não tem a confiança política do PSD local, e tudo o mais que os ‘jovens’ queiram dizer. O mal está feito e não há volta a dar-lhe.
Como é evidente, poderão tentar dar a volta ao esquema dourando a pílula da forma que entenderem, mas as pessoas não vão (não podem) esquecer que grande parte da culpa do actual estado das coisas é, também, do PSD!

Anónimo disse...

Anónimo anterior.Dou-lhe razão em parte. Comosabe o Sr. Artur de Oliveira esteve semre de costas voltadas para o PSD. Actou sp. de modo próprio e autónomo, agindo sem dar conhecimento mínimo à Comissão politica.Qd. uma organização ou outra Instituição actua desta maneira, qualquer coisa vai mal, mm muito mal...E assim não pode continuar...Como sabe o Sr artur neste momento já nem pertence ao Partido actuando na Camara como Independente...Perante esta situação porque nunca houve coligação e o Vereador já nem pertence ao PSD, parece-me que tudo o que está a correr mal na Gestão da Camara, e infelizmente que tudo corre mm. mal,o PSD nada tem a ver com esta Gestão...Não acha?

Acintoso disse...

Pois, não tem nada a ver...
O pior é o 'rasto' deixado na Assembleia Municipal com algumas das posições que a rapaziada laranjinha aí vai tomando!
Politiquices feitas por políticos 'pouca-roupa', é o que é!
Mas atenção que nesta 'classificação' incluo a esmagadora maioria dos que estão naquele Órgão Autárquico!
É chato eu sei, mas infelizmente é a realidade com que contamos!

Anónimo disse...

Ò Acintoso,


era bom que decifrasses ..... quais são as posições tomadas na A.M. da "rapaziada" (como lhe chamas) que não concordas ???

Concretiza .....

Anónimo disse...

Falaram, também, no "saudoso António Matias" .......

bom, primeiro não me parece de bom tom falar de alguém que "já partiu", mas uma vez que se abriu o precedente, digo-vos que não sabem do que falam ....... primeiro, porque o que ele fez foi, tão só, o mesmo que o AA fez agora, ou seja, "despir a camisola" (palavras dele), atitude tomada unilateralmente e não mais dar "cavaco" ao Partido que o elegeu e confiou nele, traindo assim os que muito trabalharam para a sua eleição. Vejam como 12 anos depois, acontece o mesmo, ou seja, o AA toma a mesma atitude (só faltou mesmo a expressão da camisola) e, também UNILATERALMENTE (pois ninguém o obrigou) desvincula-se do Partido. Miseravelmente, os mentirosos do costume, esquecem-se destes pormenores, tanto atacam o PSD por não pactuar com estas "traições", como tentam responsabilizá-lo pelas posições que individualmente e de forma unilateral tomaram na CMMG.

Mas, o mais ridiculo disto tudo (vou agora dizer a razão de vos chamar ignorantes sobre o assunto Matias) é que não foram os jovens os responsáveis pela ruptura que houve com o Vereador Matias. Isso, tratou-se de uma mentira utilizada até à exaustão pelos MENTIROSOS XUXAS, com o apoio de alguns pseudo-sociáis-democratas (Alta Tensão incluído).

Para que conste e para memória futura, saiba-se que a ruptura PSD/Matias deu-se em finais de 1993/inicios de 1994 e os jovens só entraram em cena em 1996. E fizeram-no para tentar pôr ordem no Partido. O que conseguiram. Alguns dos chamados "históricos" (onde se inclui naturalmente o AA) nunca lhes perdoaram isso e acusaram-nos desse ruptura. Mas isso é FALSO.


Termino, registando que, tendo o AA tomado a mesma posição do Matias, cai no ridiculo quem ataca o AA e elogia o Matias ....... diferenças, não há nenhuma.

É claro que a culpa ....... é do JOVENS (LOLOLOLOLOLOL)

para refrescar as memórias disse...

19-08-2005

Carta aberta ao sr. Gabriel Roldão

Estando nós à beira de umas eleições autárquicas em que o senhor, com uma alegria incontida, aceitou ser mandatário de uma das listas concorrentes (...) e como vem mantendo, de há oito anos para cá, uma postura de autêntico arauto da seriedade, da tolerância e de defensor dos superiores interesses do concelho, chegou a altura de revelar aos cidadãos em geral as diversas opiniões e atitudes que tem tido, de forma a melhor esclarecê-los sobre as suas convicções e motivações.
Queríamos começar por lhe dar o nosso acordo quando, muito zelosamente, tem intervido junto dos órgãos de comunicação social de forma a “desmascarar” os candidatos à Câmara que se esquecem de assinar como tal. Ficava-lhe bem era, como pessoa séria e coerente que diz ser, que esclarecesse os eleitores e desmascarasse também o seu “incontidamente alegre” candidato que tem escrito dezenas (...) de artigos de opinião e cometido o mesmo erro. Devia também esclarecê-los onde pára o sr. presidente da Câmara. É que, a não ser por razões justificadas, quem representa a Câmara é o seu presidente e, na sua falta, o vice-presidente (...). No entanto, quem aparece sempre na fotografia a representar a Câmara é o seu candidato. Assim, ou ele não é sério e está a fazer aproveitamento político, ou não é sério o senhor, já que tem tanto zelo (voltamos a repeti-lo) a denunciar os outros e esquece-se de olhar para dentro e de denunciar esta situação que é bem mais grave.
Queríamos também elucidá-lo sobre quem é quem na política e, se calhar, na vida. Para isso convidamo-lo a ler o blog do seu candidato ou os artigos de opinião dos “camaradas” do “seu” partido. Sabe que, quando foi lançado, o “blog” continha afirmações, ao que apurámos, falsas, sobre um deputado do PSD a apoiar a candidatura que defende? E que, ao ser dado conhecimento a esse mesmo deputado do facto, estranhamente, esse apoio desapareceu do “blog”?
Em relação aos artigos de opinião, como é que nos apelidava se começássemos esta carta tratando-o por professor doutor só para o achincalhar? Já está elucidado sobre o nível das pessoas e dos partidos? Vamos agora a um pouco de história recente.
É verdade ou não que, em 1997 o que nos disse sobre a Câmara e o PS, citando Cavaco Silva, “não diz Maomé sobre o toucinho”? Assim, desafiamo-lo a tornar públicas as razões que o levaram a não aceitar o nosso convite para integrar as listas do PSD nesse ano e, no mesmo instante, aderir “independentemente” ao PS.
Além disso, é verdade ou não que nos disse que quem devia dirigir a Câmara era um gestor, um empresário ou um economista? Apoia agora um “licenciado em Sociologia”? Onde está a coerência? É verdade ou não que o senhor e outros críticos da nossa escolha de então argumentaram que o nosso candidato era muito jovem? Sabe que, na altura, o nosso candidato (Rui Verdingola) tinha 43 anos e o seu, de agora, tem apenas 39? É sério este tipo de posições?
É verdade ou não que em 1999 escreveu sobre o sr. Artur Pereira de Oliveira “o homem certo, senhor de um grande espírito de solidariedade e marinhense de coração grande, muito capaz de tão pesada tarefa. Não era fácil encontrar quem tivesse disponibilidade para tarefa tão custosa, com a abnegação e tamanha vontade de servir”?
Será que o nosso candidato perdeu todas estas virtudes de então para cá?
Ou será, pelo contrário, que ao ter um passado de grande dedicação e disponibilidade à causa pública nos conforta a sua, não ilusória, mas sim garantida competência?
E, não querendo entrar no ataque pessoal em que o senhor entrou, já leu o currículo do seu candidato? Dá-lhe mais garantias?
Quer dizer, de governação competente? Onde estão provas dadas de capacidade governativa ou experiência profissional?
E, falando de idades, já se deu ao trabalho de fazer a média das mesmas?
Se calhar vai ter uma desagradável (para si) surpresa. É que as listas do PSD conseguem ser, em simultâneo, as mais jovens e ao mesmo tempo ter as pessoas com maior experiência cívica e politica. No fundo, as mais bem preparadas e conhecedoras.
Terminamos, dizendo-lhe que, a bem da verdade, vamos continuar a denunciar todas as manifestações de hipocrisia de que tenhamos conhecimento. É que vêm aí as eleições presidenciais e no Outono só se vai falar disso. Vamos ver se depois a idade dos candidatos é factor importante ou não.
Pedro André, Pedro Silva e Pedro Fonseca, Marinha Grande
P.S. – Só para lembrar-lhe, ainda, que foi mandatário concelhio da candidatura do prof. Cavaco Silva nas eleições presidenciais de 1996. Voltamos a falar no Outono.

Anónimo disse...

E .....................

Anónimo disse...

E?
Pelos vistos os AA era o maior!.....

Acintoso disse...

Para quê lembrar as 'nuances' dos 'jovens' na Assembleia Municipal? Eles sabem tão bem ao que me refiro!...
Mas tenham em conta que, na altura própria, e se os outros partidos (nomeadamente o PS) não andarem a dormir, as memórias, sobretudo as dos eleitores, serão refrescadas!

Li, com atenção, o paralelismo que traçaram entre o procedimento de António Matias, aqui lembrado por Anacleto Fontaínhas, e o AA.
Se o AA conheço eu e bem, de António Matias guardo a ideia de um marinhense de bom coração, capaz de ultrapassar interesses partidários para abraçar a nobre causa da sua (da nossa) terra.
Se estou errado, talvez me possam dizer algo mais sobre esse homem de fino trato que, para mim, António Matias foi. É que, pelos vistos, outros não terão exactamente o mesmo ponto de vista! Ou será confusão minha?

Não será que os comentários aqui deixados de forma tão enfática, só justificam aquilo que desde há muito os marinhenses reconhecem? Isto é, que o PSD local (e, já agora, também o nacional) é um enorme 'saco de gatos' ??

Anónimo disse...

o PSD local não tem nada a ver com o AA, ele agora é independente!
o que fez e por onde concorreu, pouco conta.