.
.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Revista de Imprensa

BE alerta para atentado à saúde pública

"A Comissão Concelhia do Bloco de Esquerda (BE) revelou anteontem os resultados de análises efectuadas à água da Bacia Hidrográfica do Lis, que registam um aumento "preocupante" de dejectos fecais, considerando os números apurados de "crime" e "atentado à saúde pública".
O BE encomendou análises a um laboratório privado de Leiria, cujas amostras foram recolhidas nos dias 10, 11 e 14 de Maio, com valores que apresentam índices elevados de resíduos poluidores.
Manuela Pereira, elemento da concelhia bloquista, disse que os números são "verdadeiramente perigosos" e "intoleráveis", principalmente agora que se inicia a época balnear. "É um verdadeiro atentado ao ambiente e à saúde pública", salientou.
O deputado do BE eleito por Leiria, Heitor de Sousa, acusou as Câmaras Municipais de Leiria e da Marinha Grande de "sacudirem a água do capote", apelando às autarquias para "serem parte activa de resolução do problema". O responsável adiantou que o Governo deve ser chamado à responsabilidade para o controlo da actividade suinícola e criar um meio para ajudar a resolver o problema.
Heitor de Sousa revelou também que aguarda pela resposta da Comissão Europeia para saber "onde param as linhas de financiamento" para a construção da Estação de Tratamento de Efluentes Suinícolas (ETES): "Quero saber se são 44 milhões de euros e onde foram aplicados, porque parece que ninguém sabe."
O deputado defendeu uma gestão da ETES "virada para o interesse público" e "não para dar lucro" e revelou que vai entregar os resultados das análises às Comissões do Ambiente e da Agricultura da Assembleia da República, bem como às Câmaras de Leiria e da Marinha Grande.
Heitor de Sousa pretende incentivar as autarquias a "monitorizarem mensalmente" a água da Bacia Hidrográfica do Lis e a publicarem os valores, para que a população tenha conhecimento.
O porta-voz da Associação de Defesa da Ribeira dos Milagres, Rui Crespo, defendeu ainda o afastamento definitivo de David Neves, presidente da Recilis, e lembrou que, desde que a licença com o Governo não foi renovada, os suinicultores ficaram limitados no despejo dos efluentes.
"A ETAR [Estação de Tratamento de Águas Residuais] Norte tem capacidade para 270 metros cúbicos por dia. São produzidos entre 2.300 e 2.500 efluentes por dia, pelo que tudo o resto tem de ir para o curso de água ou terrenos", referiu, defendendo ainda a nomeação de um gestor "sem interesses" pelo Governo "sem interesses" para avançar com o processo.


(surripiado do Diário de Leiria)

2 comentários:

Anónimo disse...

Apetece gritar! Quando é que esta m.... ACABA ???????????????

Fê-blue bird disse...

Pudera, tanta gente a .....
Quanto aos 44 milhões, ninguém sabe!?
Não acredito, num país tão exigente com as suas contas :-(
O país cheira mal, e não há ninguém que o desinfecte!!!
Abraço