.
.

sábado, 19 de junho de 2010

José Saramago. As Palavras que nos Deixa...



Com a devida vénia ao Rogério Pereira em " Conversa Avinagrada" aqui deixo um pequeno estraxto das palavras sábias de alguem que ontem nos deixou, mas cujas palavras, em poema, prosa ou ditas, marcou o século XX e XXI e contém verdades que quer gostemos ou não, vão ficar por aqui. Assim nós que por aqui vamos ficando as consigamos interpretar e naturalmente transmitir às gerações mais novas que por sua vez possam fazer o mesmo às vindoras.

12 comentários:

Anónimo disse...

Como já é habitual vive-se uma vida inteira e para além do que se vai deixando escrito e dito é necessário passar para o outro lado para que se dê o real valor (se alguma vez isso se consegue) a quem deixa o mundo dos vivos.
José Saramago conseguiu com a sua forma muito peculiar de agir, ser tratado em vida com a dignidade que a sua obra mereceu. Isso só foi possivel porque de facto a sua inteligencia e a sua capacidade de põr no papel grande parte da nossa história o levou a ser um dos grandes escritores contemporaneos levando-o mesmo a receber o prémio Nobel, o segundo Português premiado com tão alto galardão.
Num momento em que a emoção se sobrepõe à razão e tudo o que se possa dizer ou escrever, pode ser entendido como palavras de circunstância.
Este post, deixou-nos aqui um conjunto de palavras lucidas que nos deviam fazer meditar e se as mesmas fazem sentido, o momento em que vivemos é o mais oportuno para que delas tiremos o real significado.
Assistimos há poucos dias à promoção do ex-governador do banco de Portugal para vice do Banco Central Europeu. Entidade que em conjunto com outras mandam efectivamente na europa. Algum de nós votou nele? Eu não e se fosse chamado a isso, não votaria depois de tão má prestação aos comandos do Banco de Portugal. Na verdade extraí esta opinião das palavras que em boa hora aqui foram postadas. De Facto quem manda neste mundo (a alta finança) não é eleito por ninguem é apenas nomeado por alguem.

Não assino por qualquer acto de cobardia, apenas porque creio ser uma opinião partilhada por muitos anónimos deste País e se revêm certamente nas palavras de José Saramago e ainda por neste blogue se respirar a liberdade de podermos desabafar.
Até sempre José Saramago.

A Verdade Chateia disse...

Meus queridos,

É bom que sejamos justos e verdadeiros.
E porque neste blog se respira liberdade (felizmente diferente do conceito de liberdade de Saramago) relembro o seguinte.

José Saramago foi Nobel da literatura e foi protagonista um momento alto para Portugal. Honra lhe seja feita.

Contudo, isso não justifica que ignoremos que, quer por posições politicas quer por palavras ditas e/ou escritas tenha provado que nem esteve sempre do lado genuína liberdade e tolerância. O seu conceito era de uma "liberdade" e uma "tolerância" mais à maneira soviética

Aconselho-vos a ver este vídeo.

http://www.youtube.com/watch?v=UZxFXn07dTE

E este também

http://www.youtube.com/watch?v=rZID7Ky04jk

Devemos apreciar as pessoas que defendam as suas ideias com convicção, desde reconheçam aos outros o direito de pensar diferente.

Infelizmente e neste ambito, Saramago não terá sido um bom exemplo.

Anónimo das 22:07 disse...

Visitei os endereços sugeridos, à espera de alguma revelação de mau gosto, escolhida na altura menos conveniente.
Nada de novo. Saramago igual a ele próprio. Alguem escreveu que "se Deus existisse levava-o para junto dele" partilho dessa mesma opinião mas como acho que Deus não existe...

Rogério Pereira disse...

Saramago disse que a igreja precisa da morte para se afirmar aos crentes. Nada de mais acertado. Neste caso até precisaram da sua morte... afirmando-se com disparates que alguns crentes ainda dão atenção. É pena? É! Mas é assim

A Verdade Chateia disse...

Pelos vistos as palavras de intolerancia e o fundamentalismo estão a passa por este blog.

Tal como também não acredito em Deus e sobretudo no fundamnetalismo da igreja não acredito naqueles que em nome da liberdade nos querem impor as suas ideias fundamentalistas.

Uma coisa é o direito de opinião, outra são as provocações e a intolerancia aos pensam diferente.

Infelizmente ainda há muita gente que pensa que ainda estamos em 1975!

Anónimo disse...

"Infelizmente ainda há muita gente que pensa que ainda estamos em 1975!"

E tambem há muita gente que pensa que ainda estamos em 1973!
LAMENTAVELMENTE.

Ass. Um anónimo tolerante que acha que a verdade não serve para chatear. Sobretudo quando se ataca quem deixou de se poder defender e aproveita o momento menos oportuno para o fazer duma forma infeliz, oportunista e intolerante!!!

Anónimo disse...

A LIBERDADE

Palavra tantas e tantas vezes usada sem ter o respeito e honrar o significado que encerra....

Não nos podemos esquecer que aliberdade dos outros começa onde termina onde começa a minha!

Assim, defesa de ideias, expor opiniões, e defendei ideais, é uma coisa
Classificar opções, crenças, criticar religiões ou avaliar opções politicas, naõ deixa de ser tudo o que a LIBERDADE não tem na sua génese.

O génio que Saramago foi, o seuvalor na Literatura Portuguesa e Mundial, não deixa que possamos criticar, não partilhar da sua forma de discurso, ou a maneira de expressar opiniões, caracterista muito pessoal eque só é permitido a quem atnge um estatuto de "intocavel".

Fica a OBRA
Ficam as opiniões
Fica a História

Quem não receonhece em cada persoanlidade de relevo, nomeadamente ligada às artes, com "tiques" estranhos e aspectos marcantes de personalidade.
Saramago não é excepção.

Agora, o Vicio tõaportuguês de "endeusar" os que partem, como se nada mais houvesse que Virtudes, ho redutor, e até ofensivo para os próprios que o caso concreto de Saramago era um apaixonado da Polémica!

Tenho sérias Dúvidas, que tudo o que foi feito e dito na sua morte, fosse do seu agrado e com a sua concordância! MUITAS MESMO.

Como sou CATÓLICO, sem vergonha, e como acredito em Deus, sei que nesta altura Saramago estará a repensar e a requacionar muitos dos seus conceitos e valores.

Paz à SUA ALMA

Anónimo disse...

Sei que Saramago fez em vida aquilo que me parece que o ultimo bitateiro, acha que está a fazer agora.
Não precisamos de morrer para perceber aquilo que em vida e em plenos uso das nossas faculdades devemos perceber.
Saramago fê-lo e de que maneira e de certeza que descansa em paz. Pois a sua obra ajudou a desmontar muitas da hipocrisias que fizeram reféns muitos de nós.

A Verdade Chateia disse...

Querido Anónimo das 9:10,

Ficaria muito preocupada se me tivesse dito que menti ou que tivesse faltado à verdade.

Pelos vistos há muita gente a quem a verdade chateia.

Anónimo disse...

Frequentador assíduo do largo das calhandreiras, não é preciso fazer grande esforço para memorizar os calhandreiros que por aqui vão deixando opiniões, especialmente e honra lhes seja feita, os que "assinam". Quanto a mim todas as opiniões são respeitáveis, desde que minimamente respeitem as pessoas a quem se referem. Hora acontece que o calhandreiro que habitualmente (presumo que seja sempre o mesmo) assina com a "verdade chateia" nunca que me apercebesse, se referiu a José Saramago. Foi preciso morrer para que aqui viesse destilar veneno a propósito desta figura, controversa, sem duvida, mas a que o País nestes ultimos dias se rendeu?
Estes actos têm nome, ou seja têm classificação.

Anónimo disse...

Que dizer de um homem que tinha problemas existenciais - um homem que só aceitava aquilo em que acreditava - um homem que nunca recolheceu os seus erros mas sempre sobe apontar o dedo aos outros - um homem de visão curta, sectarista, marxista - um homem que nunca respeitou as Instituições Religiosas??

Sancudo disse...

QUE SARAMAGO LHES PERDÕE - A ESTES POBRES DE ESPÍRITO - QUE É DELES O REINO DA IGNORÂNCIA