.
.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Correio dos Leitores

Conferência

Álvaro Órfão olha para o passado com os olhos no futuro

O Jornal da Marinha Grande (JMG) e o Sport Operário Marinhense (SOM) promovem este sábado, dia 25 de Setembro, a conferência “12 anos, 12 histórias - Que futuro nos espera?”

Álvaro Órfão é primeiro convidado do ciclo de conferências que o JMG e o SOM promoverão em parceria nos próximos meses. O antigo presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande, que governou a autarquia entre 1993 e 2005, vai falar dos 12 anos de gestão socialista e reflectir sobre o futuro do concelho.
O antigo autarca não deixará de dar a sua opinião sobre o conjunto de obras que se preparam para avançar em breve no concelho, designadamente para a localização da nova piscina municipal.
A iniciativa, agendada para as 21h, na sala de exposições do SOM, é aberta a toda a população e tem obviamente entrada gratuita.
O SOM e o JMG pretendem, até ao final do ano, promover uma conferência por mês, tendo como objectivo debater temas com relevante interesse para a população do concelho.
Conforme solicitação do Director do jornal da Marinha Grande, recebida por e-mail, divulgamos a conferência acima anunciada.

30 comentários:

Luís Coelho disse...

Da discussão nasce a luz e haverá sempre mais razões para que os projectos e planos sejam do agrado da maioria.
Gosto desse personagem- Dr Alvaro Orfão.

Rogério Pereira disse...

Estarei atento, naturalmente!
Interessa-me tudo o que tenha a ver com o poder local...

Abraço

flor de jasmim disse...

Como disse Luis Coelho! " Gosto desse personagem-Dr Alvaro Orfão." Eu também, só lamento não termos outros " Alvaros Orfãos " como candidatos para presidentes da nossa câmara Municipal da Marinha Grande.

Anónimo disse...

Zangou-se com o Constâncio e encontrou um velho meio esquecido cheio de vontade de aparecer e a vestir aquele fato de hiper-critico, tão característico dos velhos ressabiados. Enfermeiro Álvaro Órfão, no seu melhor e ainda por cima de graça. Vai ser um espectáculo. As moscas irão lá estar todas a voar à volta - Carlos Logrado à cabeça. Só uma pergunta assim um bocado parva: O Sr. Director do JMG não ia processar este blog? Agora utiliza-o para promover a sua enorme estratégia de corrosão do actual executivo? Desta vez através de uma voz do PS, desertinha para partir a louça toda. O Sr. Folha Seca, a outra mosca, também irá marcar a sua presença e com sorte ainda canta um fado. Não percam: PS's, ex-comunas e protocandidatos e desancar o actual executivo, pela mão do operário e do JMG e do seu inenarrável Director. Só vai faltar mesmo o João Barros e o Artur Autocolante. Uma verdadeira constelação de estrelas locais.

Anónimo disse...

Fim de ciclo, ou algo mais?

Anónimo disse...

O novo Ciclo começou em Novembro passado e parece que há muita gente ou que ainda não entendeu isto ou, simplesmente, não se conforma.

Anónimo disse...

Não sei A.Orfão é ou não um renegado.Parece que não ainda.Que quererá protagonismo talvez,até porque foi afastado do poder e ainda por cima o candidato na altura do Ps perdeu as eleições para o Pcp.Claro que a figura apagada do actual Presidente da Camara potencia o aperecimento de todos os velhos do restelo que ainda pensam que o poder lhes poderá vir à mão.
Por ora a iniciativa,olhando os seus promotores tem sem duvida o objectivo de promover este poder cinzento do PS.Não me espanta até que outros ex-zangados com a politica se façam mostrar e que estes "ciclos" promovidos por um Clube respeitoso,não passem de propaganda enganosa ao serviço do PS.Vamos ver quem se segue nas palestras para depois tirar conclusões.

Anónimo disse...

O Jornal da Marinha tem feito um esforço para promover o actual poder autarquico.Percebemos todos porquê.Mas estas conferencias podiam para além desse objectivo,serem pedagogicas e como estamos perto de fazer um ano de mandato,nada melhor do que fazer o ponto de situação sobre algumas promessas do actual executivo.
Então gostariamos de conhecer quando é que obras como a rua do repouso e a ribneira das bernardas estão concluidas.Ou então o que está a ser feito para revitalizar o centro histórico (que até a farmácia Roldão já de lá saiu).Porque razão não arrancam as obras da Rua António M.Silva ou a rua da Industria na Vieira.O qué é feito das obras programadas e financiadas para o Teatro Stephens,para a J.Ferreira Custódio,para o auditório J.Vareda etc.etc.
Para quando um novo Mercado e aonde ?Então as tendas já não são medievais ?E a nova piscina,curso projecto foi abandonado.Vai ser concluida neste mandato e aonde ?
São estas e outras respostas que estas conferências se fossem minimamente sérias deviam responder.E o Jornal devia também ter essa função,procurar saber o que é feito da obra da expansão da zona industrial,da ponte das tercenas,do esporão da praia da Vieira,das obras das arribas de S.Pedro e outras mais.
Assim com um sentido critico,mas construtivo contribuir para o desenvolvimento deste concelho.É para isso que o Jornal também devia existir.

folha seca disse...

Meus Caros

Publiquei, conforme me foi solicitado o anuncio da conferência. Mesmo que o não fosse certamente que o faria na mesma, independentemente de quem a promovesse.
Um homem que dirigiu os destinos (e bem, se me é permitido ter opinião) da nossa terra merece ser ouvido, aliás como o deviam ser outros protagonistas da nossa história colectiva.
A ideia de que as opiniões sobre a nossa terra devem ficar confinadas aos Paços do Concelho) ao auditório Municipal ou às sedes dos Partidos Políticos, é demasiado empobrecedora e redutora, o que parece ter feito escola. É por isso que me parece não "passarmos da cepa torta".

Não se percebe de que têm medo alguns dos comentaristas anteriores.

Anónimo disse...

O JMG só serve para arranjar dinheiro para Porches e quecaria, por isso aceita tudo, desde que venda. Agora até leitores devidamente identificados cobardemente dizem o que lhes vai na alma. $$$$$$$ isso é que interessa. Por isso não tem uma linha editorial coerente, por isso não tem um painel permanente de opinadores de jeito de diversas correntes. Mas é por isso que tem uma astrologa, teve um relaxoterapeuta e etc e tal. Até tem letras gordas a dizer TUMG MATA E NÃO PÁRA. O problema é que é um jornal que se lê muito por cá. Assim uma espécie de Correio da Manhã da Marinha Grande.

Anónimo disse...

Não existe medo nenhum.O que efectivamente preocupa e estarmos sucessivamente a olhar para tráz e ainda por cima de uma forma tendenciosa e sectária.
A Marinha Grande merece melhor e quanto mais massa crítica ouver,melhor são as decisões com vista ao desenvolvimento do concelho.
Quais são os verdadeiros e actuais problemas do concelho ? quais as dificuldades ? como é possivel ultrapassar este marasmo instalado na nossa sociedade,com os actuais eleitos fechados a sete chaves nos Paços do concelho ? O que fazer para que haja uma verdadeira pedrada no charco e finalmente vejamos o concelho em desenvolvimento.
Porque razão não se revê o Plano Director e como base em discussões públicas se tracem verdadeiros objectivos estratégicos de desenvolvimento do concelho ?
Não chega haver eleições de 4 em 4 anos.É preciso mais e sobretudo numa altura em que não há rasgo nem saber,(ou pelo menos não é visivel) é preciso ouvir as populações.
E não fazer conferencias que não são mais do que tentativas para esconder o real fracasso da actual gestão camarária do PS.

Fê-blue bird disse...

Já vi que isto aqui pelo largo anda animado ;-)Passei aqui para vos agradecer a vossa passagem pela minha festa e desejar que da discussão se faça luz!

Beijinhos a todos

Anónimo disse...

Nesta terra, andam meia dúzia de pessoas à frente do pelotão a fazer coisas e as restantes atrás a dizer mal. Assim não vamos a lado nenhum...

Anónimo disse...

Mas o que é que os Porsches e a quecaria têm a ver com uma conferência que pretende debater os problemas do concelho? Não se percebe...

Anónimo disse...

Com a animação que vai aqui, não posso deixar de colocar tb mais umas questões, reflexões.

Debates de ideias, Conferências ou algoque promova a discussão séria, isenta e APENAS tendo como OBJECTIVO central a MARINHA GRANDE, suas gentes, parece-me uma ideia louvavel.
Agora, fico com uma dúvida: - Para haver discussão de ideias, conceitos e estratégias é necessário que as mesmas sejam inovadoras, alternativas, em resumo NOVAS.

Parece-me, pode ser erro meu, que os "notaveis do burgo" são sempre os mesmos, com as mesmas ideias ( peregrinas ou já se esqueceram da fabrica de ecrãs?) e que nada de novo trazem para uma definição de objectivos para a nossa cidade.

Outro lado da questão, passa por perguntar onde andam? quem são? estão disponiveis? pessoas válidas, sem vícios, se vinculos ( sejam eles quais forem) para darem um contributo real, concreto e objectivo para a discussão tão necessária e urgente?

Sei que os há! Sei que podem ser incomodos a "aparelhos", forças "vivas" da cidade, mas não passará por aí mesmo a solução de encontrar aternativas crediveis para a nossa cidade?

Quem considera que o facto de terem havido um tempo de gestão publica, municipal com aparente calmaria e razoavel execução de obra (?) é "livre-transito" para opinar sobre todo e qualquer assunto? se assim fosse, permitam-me a ousadia, mas para o nosso PORTUGAL teríamos de chamar o ANTÓNIO.
( vamos ver as ferroadas que isto pode dar!)

Anónimo disse...

Ao anónimo das 19:31

Se bem me lembro e já que estamos a falar do passado em termos autárquicos só me lembro de um António que era o António Caetano. Se quer extrapolar e que dizer o outro, o de Santa Comba, veio ao sitio errado, segundo me parece este blogue rejeita o bafio salazarista.

Luís Coelho disse...

"Ei" o que "p'prá qui" vai.."txi"..........

"Gandes" calhandreiras....

Anónimo disse...

Ó caro vizinho Luis, você ainda não viu nada, às vezes é cada escarceu, que nem imagina. O que vale é que o pessoal da Vieira ainda não se meteu no assunto, nem queira saber...

Anónimo disse...

ANONIMO das 20:49

Prece-me que não fui claro nas minhas palavras! Não sou eu que CHAMO O ANTÓNIO SALAZAR!!!!
Mas o rebuscar no passado, pessoas que ocuparam cargos com relevo, boa execução funcional, e retirando aspectos politicos, para exemplos ou fazedores de opinião, e fazendo então a extrapolação para um ambito mais abrangente, poderiamos estar a cair nessa situação!!!! não sou eu que reclamo, apenas alerto para o tipo de erro emque se cai!!!!
Mas, e lamentavelmente, mais uma vez o medo do passado, a fobia da história, ofusca o presente e o raciocinio relevando o nuclear para segundo plano e colocando em primeiro o acessório, oque é uma pena!
Espero ter sido agora claro, e ficarei entao aguardar ideias, sugestões, propostas VÀLIDAS, INOVADORAS e isentas de cargas politicas.

Anónimo disse...

Será que as próximas conferências vão contar com a presença:
- João Barros Duarte?
- Alberto Cascalho?
- Álvaro Pereira?
e falta-me um nome de um vice-Presidente que assumiu cargo de Presidente, as minhas desculpas...( prática pelos vistos que se torna um habito na CDU)
Nõ esquecer os Presidnetes das Juntas de Freguesia e Presidentes da Assembleia Municipal. . . . .

Assim será uma NOVELA PERFEITA

Anónimo disse...

A Marinha morreu há uns anos e ninguém se lembrou de avisar a população. Temos um poder local que não governa. Temos uns habitantes que não se ralam. Temos uns idiotas que escrevem aqui algumas coisas mas que nada mais fazem.
Seria importante que, num momento de crise nacional e local, onde o presidente da câmara nada se vê fazer, onde a oposição nada diz, quando os habitantes ignoram os problemas, quando neste largo se vê apenas criticas pessoais e sem conteúdo, pudessem surgir ideias novas para dar a volta a tudo o que nos rodeia.
O idiota que se importa com os porches (provavelmente porque a mulher foi uma das que nele se sentou) faria melhor ficar calado e apresentar ideias. Mais do que criticar, é importante trazer algo de novo. Goste-se ou não do jornal (e eu não sou simpatizante) é importante que eventos que nos façam pensar sejam desenvolvidos para que saiamos deste marasmo que nada de bom nos tem trazido.
Em vez de escreverem idiotices, escrevam algo de construtivo. Em vez de criticarem, façam.

Anónimo disse...

Conferência com apenas um conferencista parece ser coisa pouca. Ouvi dizer que foi também convidado o ex-presidente Barros mas que este nada terá dito. Será que ainda lhe pesa o julgamento (para o qual estou chamado como testemunha) em que irá ser julgado por ter andado a espalhar panfletos contra o director do jornal? Faria bem por de lado tais problemas e ajudar a MG e dar ideias para a fazer sair da fossa. Sim, porque ele, à semelhança do Órfão foram quem também ajudou a terra a ficar no estado em que está.
Ficava bem assumirem.
Vamos ver se o Órfão não vai contar apenas histórias engraçadas mas vai dizer o que também fez de mal... e foi tanto!

Anónimo disse...

Ao anónimo das 21:00, por acaso o pessoal da VIEIRA aparece e está sempre atento, só que há uma diferença, são cordatos, sabem o que querem e não embarcam em demagogias e estão gratos pelo desenvolvimento que a sua terra tem tido, está á vista e, quem não quer ver é cego.

Muito boas tarde e continuem na cepa torta.

Anónimo disse...

Ao anónimo das 18:21

Há mais de um século que a Vieira de Leiria(incluindo a Praia) faz parte do território da Marinha Grande.

Anónimo disse...

Ao anónimo das 18:31


A Marinha Grande, nunca na sua história se poderá dissuciar da Vieira, póis ela numca lhe virou as costas, ou já se esqueceram.

Nós Vieirenses temos muito gosto em sermos como somos.

Passem bem....

Anónimo disse...

A Vieira tem duas coisas boas: o arroz de marisco e a estrada para a marinha.

Anónimo disse...

Nem me falem na estrada para a Marinha, foi tirada a ferros, as guerras que houve, já se esqueceram?, até com uma casa implicaram, chamaram as televisões. Os Vieirenses têm sofrido, mas são persistentes e agradecem aos autarcas que estiveram do seu lado a defender os seus interesses.
De qualquer forma, a estrada serve para os Vieirenses virem trabalhar e para os Marinhenses irem á Vieira comer arroz de marisco.
Bom fim de semana e boas mariscadas.

Anónimo disse...

Então ninguém comenta a conferência? Foi um momento sublime, do melhor que a Marinha Grande já produziu. Os marinhenses e a sua eterna mania dos protagonismos e dos protagonistas. Estiveram por lá alguns auto-denominados "insubstituíveis" e opinadores encartados. Só foi pena mesmo a pobreza intelectual a que se assistiu de uma forma geral. Até o João Barros entrou e saiu, provavelmente estava à espera de ver alguns ex-camaradas, mas não viu ninguém, só mesmo os velhos "medinas carreiras". Faltou o Constâncio, mas esse deve estar a fazer contas para pagar a fábrica e aina por cima encontra-se actualmente incompatibilizado com o Entrevistador de serviço. Uma coisa muito pobre foi o que foi.

Flor do Liz disse...

Muito pobre na sua opinião.
Estive presente, para mim a conferência foi muito interessante, no estilo frontal e livre a que o Sr Ex-Presidente Alvaro Órfão nos habituou, bastante participativa e acabou devido ao adiantado da hora, tal não era o interesse dos presentes.
O que lá foi para desestabilizar (como é costume), saiu-lhe o tiro pela culatra e saiu, sorrateiramente com o rabinho entre as pernas.
Quero deixar o meu agradecimento, ao Operário Marinhense e ao Jornal da Marinha Grande, por estas iniciativas.

Uma boa semana para todos

Anónimo disse...

Péssima ideia - ouvir alguém que pouco fez pela Marinha Grande,vir agora falar de futuro?
Tenho que concordar com o deputado da CDU o "PUSCAS" que na última Assembleia Municipal descobriu finalmente a razão pela qual esta cidade está na cauda do desenvolvimento, PS e PCP/CDU já mostraram o que podiam dar a esta terra!
Em 36 anos esta terra foi ultrapassada por concelhos próximos: Pombal, Leiria, Batalha, Alcobaça, Nazaré, Ansião, Porto de Mós, Ourém, Coimbra, Figueira da Foz, Caldas da Rainha e até Óbidos!!