.
.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Amizade

Soneto do amigo

Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.

É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.

Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...
Vinicius de Moraes

Este poema que aqui publico não pretende ser mais do que um repto a alguem que depois de fazer borrada (como diria Vinicius de Moraes) pretende desculpar-se, não assumindo a tal borrada que fez mas usando a palavra amizade deturpando-lhe o verdadeiro sentido. Amizade não é uma coisa que se inventa para momentos mais convenientes. Amizade é uma coisa que se sente. Pois, mas para perceber isto é preciso ter amigos e não os inventar, conforme as conveniências. Pobres criaturas, quando um dia se aperceberem que aparentemente até tiveram muito "amigos" mas olhando para o espelho, perceberão o quanto estiveram e estão sós.

12 comentários:

Toino Tolo disse...

Excelente resposta ao Editorial de hoje do JMG. Parabéns Sr. 'Folha Seca' pelo sentido de oportunidade e pela magnifica escolha do poeta.

Anónimo disse...

Acabei de ler o editorial do JMG e a minha opinião é que o director do jornal tem toda a razão neste assunto. Parabéns pela coragem!

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

O "director encartado" não é doutorado. Segundo julgo saber, é licenciado em gestão de recursos humanos, com uma média final de 17 valores. Tenho conmhecimento ainda que ganhou uma bolsa de mérito atribuída pelo Ministério da Educação, por ter sido o melhor aluno do ISDOM no ano lectivo 2007/2008 (18 valores). Convém ser preciso porque as mentiras ditas muitas vezes, nesta terra, passam a ser (falsas) verdades.

Anónimo disse...

Exmo. Sr. Administrador,

Tenho sido aqui enxovalhado por diversas vezes, com a conivência de V. Exa. Até ao dia de hoje abstive-me de fazer comentários, pois olho para algumas críticas e comentários ao meu nome e ao jornal que dirijo como desabafos infelizes, os quais tenho ignorado. Mas a paciência tem limites e hoje, ao permitir a colocação de comentários injuriosos para com o meu bom nome, ultrapassou todos os limites da liberdade de expressão.
Neste sentido, informo que dei instruções ao meu advogado para intentar um processo-crime contra o vosso blog e contra a(s) pessoa(s) que cobardemente me acusam de práticas que eu nunca cometi na minha vida mas que, infelizmente, me continuam a associar.

António José Ferreira

Rogério Pereira disse...

Não li o JMG
Comento o soneto

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma ... TRIPLICA.

folha seca disse...

Caro António José Ferreira
2 Questões

1 Escrevi um post na sequência de um outro na semana anterior sobre a mesma questão.Apenas hoje socorri-me do Vinicius de Morais, pois a amizade pode ser entendida de muitas formas. A parte final é minha e como tal assumida.
Se aí entendeu qualquer coisa que possa ter ferido a sua pessoa, faça favor de me mover um processo , pois juntando a sua "noticia" da semana passada mais o seu editorial de hoje, contive-me e a poesia do Vinicius só serviu para que ambos meditássemos na "amizade". Como sabe e bem quem eu sou, não precisa daquelas complicações todas para mover um processo a um blogue. Basta mandar-me um mail, cujo endereço bem conhece e eu mando-lhe todos os dados que precisa. nº do BI mais contribuinte e afins.

2 Quanto aos bitaites que aqui apareceram e que eventualmente possam ter atentado contra a sua dignidade de seguida farei uma avaliação (o que é complicado, porque isto de censor, não é muito da minha lavra) e apagarei aqueles que efectivamente possam ter ultrapassado o que é aceitável em termos de respeito pela dignidade pelos outros.
Como certamente compreenderá não somos profisssionais nestas coisas da blogosfera. Quantas vezes nós próprios somos ofendidos, nas nossas barbas, mas como não temos grandes pergaminhos a defender, até não apagamos os bitaites ofensivos.
Cumprimentos

Anónimo disse...

Parece que aqui o pessoal, ficou acagaçado com a ameaça do Sr. Director encartado. Afinal o homem até já aqui dita as suas ordens, como diz o outro, chiça!

Anónimo disse...

Acompanho esta "novela", que poderia classificar como um epeisódio triste, lamentavel e que apenas é um folhetim de cordel.

Mal vamos nós, quando as nossas atenções focam em ssuntos como estes,que naõ diexam de ser privados e entre UNICA e EXCLUSIVAMENTE entre os envolvidos.

Mas tendo sido tornado público, com destaque de 1ª página, e após alguns comentario produzidos, sinto-me com liberdade de expressar a minha reflexão:
-Assuntos da vida profissional, empresarial, desde que nao sejam publicos, devem ter o recato e têm o direito à privacidade e ao respeito de nao serem emitidos juizos de valor ou opiniões baseadas apena e unicamente em peças jornalisticas quepodem nao ser TOTALMENTE precisas nem REFLECTIREM todo o envolvimento dos casos
-A COERENCIA, e umapratica dolorosa e dificil, não podemos actuar de uma forma, e sentir posteirormente atacados quanod outros actuam da mesma forma sobre nós
-É evidente que na nossa cidade o falar e comentar avida alheia, smepre foi e é um "desporto" muito praticado, especialmente quando se comenta a vida de pessoascom alguma visibilidade ou obra feita!
Por isso, deixo um duvida
Quantas empresas/empresarios tiveram e têm questões para resolver sobre pagemtnos, recebimentos, cumprimetno de contractos?
Quantas vezes as historias são contadas de forma disitnta por cada uma das partes?
Deixemos a poeira acentar,lembrando que nem smepre o que LUZ é OURO.
Exsitem matérias e temas bem mais importantes, que dizem respeito a todos nós, que todos somos parte interessada e que poderiam ser tratados de forma directa visando a melhoria da nossa terra, da nossa sciedade, deixemos que cada um trate dos seus problemas damaneira mais correcta e que saiba tratar

Farto de hipócritas disse...

Este post e seus bitaites correspondentes fazem jus ao nome deste Largo.

O pessoal gosta é destas coisas.

Estão todos bem uns para os outros.

Anónimo disse...

Inteiramente de acordo com o bitaite anterior.
"Quem semeia ventos colhe tempestades" Não fui a tempo de ver os comentários entretanto removidos, mas imagino como deveriam ser para criar tanta indignação ao director do Jornal da Marinha Grande.
A questão pôe-se no anonimato permitido no blog o que faz com que esse mesmo anonimato permita lançar insidias sobre as mais variadas pessoas, o que não deixa de ser lamentável. Mas o Sr. Director do Jornal tem a memória curta. Devia voltar atrás e ver quantas calunias e ataques foram desencadeados a partir do "seu" Jornal contra pessoas de bem e aqui sim com a sua cumplicidade e com o tal "leitor devidamente identificado". A diferença põe-se neste blog qualquer um de nós pode publicar o que quer que seja, fica visivel e como me parece que não está ninguem de plantão só mais tarde por vezes se removem comentários de certo tipo. Mas num Jornal a coisa é diferente, pode-se mandar para lá seja o que for, o director decide se publica ou não. Acho que o poste acaba com a sugestão para que alguem se velja ao espelho... seria de seguir o conselho em vez de se armar em virgem ofendida.