.
.

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Revista de Imprensa

"Presidente volta a meter baixa"



Barros Duarte prometeu, em 2005, cumprir o seu mandato até ao fim

O presidente da Câmara da Marinha Grande apresentou ontem um segundo atestado médico, que o manterá afastado da autarquia por mais 30 dias. João Barros Duarte, que faltou a uma conferência de imprensa, no início de Outubro, na qual o partido anunciava a sua renúncia ao cargo e lançava o número dois, Alberto Cascalho, tem-se mantido incontactável desde então. Tal facto já levou o PCP a retirar-lhe a confiança política e o presidente da Assembleia Municipal, Luís Guerra Marques, a admitir eleições intercalares, hipótese defendida pelo PS.

Filipe Andrade, líder da comissão concelhia do PCP, reagiu com cautela a esta informação veiculada pelo gabinete da presidência. O responsável referiu apenas que o partido vai reunir-se nas próximas horas e provavelmente só amanhã tomará uma posição. No que toca aos contactos com Barros Duarte, de forma a esclarecer a situação, Filipe Andrade diz que essas tentativas cessaram, depois de ter sido enviada uma carta ao actual presidente, propondo-lhe um encontro. "Como não houve resposta, encerrámos o diálogo", adianta.

Já o responsável pela concelhia socialista, Telmo Ferraz, exige que "o impasse seja resolvido rapidamente". "O PCP tem de tomar decisões para clarificar a forma de funcionamento da Câmara", disse, ao JN, mostrando-se "muito preocupado com esta trapalhada". Telmo Ferraz lamentou ainda que o presidente "continue doente", esperando que "recupere rapidamente".

Alberto Cascalho, presidente em exercício, preferiu não comentar a situação actual.

Dois anos depois de conquistar a Câmara ao PS, o PCP anunciou, a 2 de Outubro, a renúncia de Barros Duarte, de 73 anos, que iria efectivar-se dois dias depois, na reunião de Câmara, à qual não compareceu. O partido explicou que a estratégia havia sido combinada com o presidente, aquando das eleições, embora, em Outubro de 2005, Barros Duarte tenha afirmado que iria cumprir o mandato até ao fim.

Dias depois, ausentou-se por baixa médica. A sua ausência levou o PS, por duas vezes, a recusar deliberar alguns assuntos, nas reuniões do executivo. O prazo terminava hoje.

(surripiado do JN)

19 comentários:

Anónimo disse...

Mais do mesmo.

Vá lá, decidam duma vez só o que vão fazer, para que esta terra possa ter rumo.

Se as familias ou as empresas estivessem neste impasse tanto tempo, já tinham morrido ou falido.

Seus incompetentes, tenham vergonha.

zé pagode disse...

O Professor Cascalho prefere não comentar .... Esta é boa! Então esse Senhor não esteve na Conferência de Imprensa onde foi afastado JBD e, que eu me lembre nessa altura respondeu aos jornalistas, já vestido com o fatinho presidencial e, agora não comenta??? Não comenta porquê ? Não sabe o que dizer ou prefere não dizer nada e, desta forma subtil, continuar à espera ... de vir a ser presidente .... Por amor de Deus, se fossem homens de bem, se tivessem o minimo de dignidade demitiam-se ... e isto vale para todo o executivo dos 3 partidos .... demitam-se, porque o Concelho e os seus municipes merecem mais que uma luta infantil de egos, vaidades e vinganças mesquinhas. Demitam-se todos, clarifiquem este atoleiro onde o PC nos meteu.

Ti Nini disse...

Apesar de ser o mínimo que os iluminados dirigentes responsáveis merecem, não creio que a razão do sorriso que vai na cara do futuro ex-presidente seja a de pensar neles, ou mesmo que corresponda ao que lhe vai na alma. A foto recorda momentos mais felizes.
Se toda esta situação não fosse tão trágica, até dava para rir. O problema é que na era actual, com as ameaças e as certezas de descalabro económico e social, global e local, talvez merecêssemos gente mais avisada e competente a gerir e acautelar o futuro do nosso concelho.
Que bom seria se os partidos se preocupassem em propor a sufrágio, não só gente para quem os valores morais fossem ponto de honra e com reconhecida consciência democrática, mas também gestores competentes e com visão de futuro. É que o caso não é para menos. Os meios geridos pelas autarquias não caem do céu com danças da chuva, são a redistribuição dos impostos ou a receita de serviços que todos pagamos. Aquilo que os Autarcas nos podem dar de pessoal e de melhor, é a sua dedicação e competência, porque o resto já é nosso, e deles, também.

o croquete disse...

palhaçada... palhaçada... palhaçada.

piroca man disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
avatar disse...

E assim, Duarte esticou definitivamente a corda, desde há muito que não deseja conversa com o PC, e com o PS a não estar disposto a salvar nem a afundar o barco… caímos numa situação muito complicada…

Caberá ao PC que é tão rápido a pedir eleições antecipadas noutros casos (onde não é poder) resolver este imbróglio que nada favorece as pessoas envolvidas, Duarte ficou isolado (e efectivamente doente) e se era antes a lança do PC para se vingar hoje provou do veneno mortal do PC.

Sobre os dirigentes do PC, nomeadamente do Presidente substituto a fazer papel nada digno, por vezes pergunto-me: o que levam as pessoas a fazer um papel triste apesar de andarem bem-dispostos e a sorrir como se nada se passasse?

Assim vai o nosso reino… e que venham as conclusões da reunião do PC, já conhecidas antecipadamente… bater no mesmo…

Mas que raio levam estas pessoas a estar agarradas ao poder? Que interesses existem?!
Bom avatar…

zé pagode disse...

Excelente bitaite. Concordo e subscrevo totalmente.

Anónimo disse...

O Avatar sempre assertivo. Eu falava dos interesses mas não o faço.

zé pagode disse...

E fazes mal em não falar.

Anónimo disse...

uma rádio de leiria (liz), está a dizer que Barros Duarte apresentou hoje, durante a tarde, um pedido de suspensão do mandato!!!

disfuncionário público disse...

Em termos práticos uma suspensão de mandato corresponde a quê? Pode entrar um novo vereador da CDU?

Anónimo disse...

Lei das Autarquias Locais

Lei n.º 169/99, de 18.09


Artigo 59.º
Alteração da composição da câmara

1 — No caso de morte, renúncia, suspensão ou perda de mandato de algum membro da câmara municipal em efectividade de funções, é chamado a substituí-lo o cidadão imediatamente a seguir na ordem da respectiva lista, nos termos do artigo 79.º.

ou seja, se for verdade, há fumo branco a sair da chaminé da "Capela Celestina" - habemus papa - Cassete Cascalho I

avatar disse...

E, provavelmente, diz bem... sempre esteve na mesa essa possibilidade (suspensão) ou baixa médica e nunca a renúncia... aqui o Avatar segura o homem, queremos o circo a arder... aliás, se não fosse o braço direito do homem era, na certa, bombeiro...

A suspensão do mandato é a figura jurídica que corresponde ao direito que assiste ao eleito de, interrompendo o mandato, manter o vínculo latente, podendo retomar o mandato quando aquela impossibilidade cessar.

Esta suspensão não implica a abertura de vaga mas tão-somente a substituição do eleito enquanto durar a circunstância que o motivou.
O eleito com o mandato suspenso é substituído pelo primeiro candidato não eleito da mesma lista de candidatura.

Isto quer dizer que temos presidente e novo vereador.

E eu estou disponível (para além de colaborar com JBD) para um lugar no gabinete da presidência.

Bom avatar, que a minha vida não é isto.

avatar disse...

Caro administrador desta pasquina, está lá em cima um anónimo a chamar-me assertivo, não permita que me humilhem em praça pública... se há coisa com que um avatar fica chateado é quando o chamam assertivo.
Bom avatar e não me chamem de nomes.

Anónimo disse...

eu tb ouvi a notícia.
Finalmente!

Acintoso disse...

Que ganda alívio vai pelas hostes pêcêpianas!
E eis senão quando aparece a tão almejada oportunidade para entrar em cena o grande e impoluto Sergey Monteirovky!

Anónimo disse...

Será que o Sergey Monteirovky vai querer ficar com os superpeloros do AAutocolante ou vai ficar fechado num gabinete do 2º andar a preparar as próximas iniciativas do PCP?

Anónimo disse...

Qual quê? Fechado num gabinete?
Nada disso. O homem é de acção e deve ter saudades das manifes à porta da Câmara, dos pontapés no carro do Presidente, das pedradas ao Presidente e vereador.
O Cascalho que se cuide. Porque com esta escola e com a crise que está a arrastar as empresas para a falência, o Moiteirovsky, em nome da coerência e dos ideais revolucionários que consolidou no Sindicato/PCP/Vidreiros, não tardará em encabeçar novas manifes, de bandeira negra em punho, acusando a Câmara de tudo e mais alguma coisa e os seus responsáveis de mentirosos.
Espero para ver, mas que vai ser giro vai.

Anónimo disse...

Pode ser que se façam umas manifestações por causa do alargamento da Zona Industrial com passeio a Lisboa; por causa das Variantes; por causa do Centro Histórico; por causa das Barracas(mercado); por causa do Teatro; por causa da Portela; etc....
Vamos ter dois anos de muita actividade!!