.
.

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Cine Barraca "O Stephens"

Estou varado! Então mas nesta terra fecha tudo? Devem ser outra vez esses malandros da AZIA. Quer dizer, já não bastava terem-nos tirado a frutinha e os legumes fresquinhos, ainda nos vêm agora roubar a sétima arte, senhores? Vêm-nos roubar os Ra(m)bos, os Robocopos, os Harry Portas, o Lambe-me Toda (da Olá) I, II e III, O Senhor das Anilhas, o... o... o Crime do Cura Araújo?... Meus amigos, querem-nos privar da cultura e um povo sem cultura é um povo inculto! É tempo de dizer BASTA a esta política neoliberal do quanto pior, pior! BASTA! Vamos criar um movimento de Utentes do Teatro Stephens (UTS) e reivindicar a sua abertura imediata através de formas de luta baseadas no Manual de Sobrevivência do Serguey Monteirosky!
E para os que nos acusam de blá, blá, blá, fica aqui uma ideia para salvar a face deste executivo neoliberal PCP/PPD/PSD que encerrou o TS para limpezas e descanso do pessoal. Seguindo a política abarracada do quanto pior, pior, propomos à cambra a montagem, em 24 horas, da Cine-Barraca “O Stephens”. Para isso contamos com o dinamismo e a voz de comando do Engº Lindo Alta-Tensão, com o Zé da Máquina para aplanar o terreno, com o jovem comissário Cassete Andrade para emprestar a sua barraca tipo Iglo, com o João Baião Pedrosa para emprestar a máquina de slides, com o Serguey Monteirosky para anunciar as fitas de megafone em punho, com o Cassete Cascalho para a bilheteira e com o Artur Autocolante para vender as pipocas. Isso sim, isso é que era serviços público!

17 comentários:

Anónimo disse...

Bem esgalhado.
Já tinha saudades destes textos que só é pena não serem ficção mas sim a pura realidade da nossa terrinha.

Anónimo disse...

É por estas e por outras é que o presidente suspenso (sim porque pode cair a qualquer momento) já mandou hoje alguem andar a vassourar à porta.

revoltado disse...

Já tinha lido essa pequena notícia e já a tinha comentado aqui no FLC.
É simplesmente REPUGNANTE que se continue a acusar os outros de nada terem feito, que já não estão há dois anos na Câmara, mas que deixaram um projecto lindíssimo de requalificação, desenvolvido por um técnico criativo da Autarquia, em sua casa, fora do horário normal de trabalho, sem exigir um cêntimo de retribuição, para além do mérito que a Câmara e a Assembleia Municipal, que apreciaram o projecto, lhe reconheceram.
Faltava, em 2005, o projecto técnico de insonorização, que já estava adjudicado.
Esta Câmara, com estes actores, para além de rasgarem as ideias e muitas horas de trabalho gracioso de um funcionário generoso, comprometem, todos os dias, a renovação do Centro Tradicional e a sua consequente revitalização, comportando-se como o tio Patinhos, a acumular milhões de euros em depósitos a prazo, em vez de arrancar com os investimentos previstos, entre os quais o Teatro Stephens era prioritário.
Isto bateu no fundo e o sr.(com letra pequena) professor Cascalho, acabou de pulverizar a réstea de consideração que ainda tinha por ele.
Se a JBD todos identificamos a teimosia, muitas vezes confundida com firmeza, como uma característica pessoal, a Alberto Cascalho, que tem formação em psicologia e sociologia, exige-se mais.
Se ele se fica pelas esfarrapadas desculpas da pesada herança e pelas grosseiras mentiras da "desastrosa situação financeira" herdada, todos os dias desmentidas pelos indicadores financeiros publicados pelo Tribunal de Contas e pelo Governo, então as eleições antecipadas serão um mal menor, porque pior do que esta maioria nos está a fazer, não pode haver.
Se o Cabeças encabeçar uma lista contra esta gente, eu votarei Cabeças.

Anónimo disse...

Cabeças ao Poder!!

Anónimo disse...

Cabeças...inteligentes e humildes,sem interesses politiqueiros....precisam-se.

cabeça inteligente disse...

Estou aqui, estou aqui!...

Acintoso disse...

Sabem que mais? Isto é tudo uma trampa sem qualificação e, o pior de tudo é que nos estamos a afundar nela!
A Marinha Grande merecia realmente algo melhor!

Anónimo disse...

O MELHOR BITAITE DO LARGO!!!

"Cabeças...inteligentes e humildes,sem interesses politiqueiros....precisam-se."

by anónimo 11/14/2007 12:11 AM

bulldozer disse...

aposto que nenhum dos que escreveu antes terá ido ao teatro Stephens nos últimos 3 anos ?!

Pois... Bingo!

dizer mal dizem... mas ir lá... sempre a mesma coisa.

BOTA ABAIXO!

Anónimo disse...

Alguém nos explica quem é o Cabeças?

Anónimo disse...

Qual deles? (Cabeças)
O da perna atada ou o inteligente?

Marinhense entristecido disse...

Ó Bulldozer, eu sou daqueles que não vai ao Stephens há bem mais de três anos!
Porquê? Pela simples razão de que aquele espaço (que já foi nobre!) há muito já que deixou de oferecer condições, quer do ponto de vista do conforto, quer do ponto de vista de actualidade tecnológica. E é pena!
O texto apresentado pelo Zézé Camarinha e, tenho a certeza, muitos dos bitaites aqui colocados, não significam atitudes de 'bota a baixo'. Pelo contrário, eu admito que as pessoas sentem isto como um problema que os afecta e entristece. Ao comentarem o caso sarcasticamente, as pessoas estão a querer dizer que sentem este assunto como mais um dos muitos que vêm contribuindo para que esta cidade vá descendo de categoria.
E, já agora, vou deixar umas perguntas para quem souber responder-lhes: É verdade ou não que o anterior executivo já tinha um projecto para a remodelação do Teatro Stephens? Se sim, porque carga de água é que o actual executivo não o seguiu? Será que esse projecto seria assim tão mau? Ou foi só para marcar terreno, querendo dizer-se que a coisa, tendo sido feita pelos xuxas não merece crédito?
O que me parece é que existe uma gravíssima dificuldade entre as nossas principais forças políticas em entenderem a cidade e o concelho como um todo, e quem se amola com esta política são os munícipes que vêem o seu património delapidado e assistem ao empobrecimento da cidade e do concelho.
Se isto não é verdade como se explica então o atraso que a Marinha Grande patenteia quando comparada, por exemplo, com Pombal ou com a Batalha? Isto para não irmos mais longe…

entristecido disse...

Quanto a haver projecto aprovado na anterior Câmara, basta consultar as actas, quer da Câmara quer da Assembleia Municipal, que também o apreciou e elogiou por unanimidade. Para ter mesmo certeza, deveríamos fazer uso das faculdades que a Lei nos atribui e requerer o acesso, para consulta, a documentos públicos.
Quando aprendermos a usar os nossos direitos, todos ficaremos mais ricos e o "diz que disse" perderá a força que hoje ainda tem.

entristecido disse...

Desculpem, mas para não haver confusão eu sou o "Entristecido II"

ZuLu disse...

Concordo plenamente. O teatro Stephens já á muito que deixou de oferecer condições, já não vou ao Stephens há muito mais que três anos por essa mesma razão e também penso que a Marinha Grande merece muito mais do que isto. Até a Vieira tem um teatro que pode não ser grande coisa mas pelo menos ainda está aberto, assim como uma piscina melhor que a da Marinha, e, espante-se, um mercado em remodelação e feito de cimento e não de barracas. A comparação com Batalha ou Pombal está a anos-luz de qualquer marinhense. A aposta no Átrio e nos supermercados ditaram o fim do centro da Marinha, as ruas estão cada vez mais vazias e as antigas lojas cada vez mais degradadas. É triste mas a verdade é que a Marinha já não é bem uma cidade, é de uma divisão mais abaixo.

Anónimo disse...

O Cabeças da Perna Atada ao Poder!!

Acintoso disse...

Ó anónimo, eu percebo a brincadeira, mas o assunto é tão sério que quase não dá vontade de brincar!
E agora não estou a ser Acintoso de tão penalizado que me sinto!