.
.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Delta vai transformar borras de café em cremes e biomateriais

Delta vai transformar borras de café em cremes e biomateriais

O post "Na volta do Correio" lembrou-me esta notícia que tinha lido de manhã. 2 Milhoes de euros para pesquisar a reutilização das borras de café. Até me parece uma boa iniciativa e de louvar pois presumo que as borras de café tenham um efeito poluidor. Mas se lermos a notícia verificamos que se trata de um projecto comercial e que se destina a reciclar apenas 10% das borras produzidas.
Tenho um grande apreço pelo comendador Rui Nabeiro e conheço parte da sua obra. Este post não tem qualquer objectivo critico, virado à sua empresa. No entanto faz-me confusão, haver 2 milhões de euros para financiar um projecto privado, de reduzido impacto e benefício publico e não haver um verba muito inferior para resolver o problema da ponte das tercenas. Naturalmente que não é a única. Mas esta, está à mão de semear e desculpem-me o egoísmo, mas passo por lá muita vez e não me apetece nada tomar banho naquela agua cheia de coliformes fecais, enviados da zona da Boavista e arredores, via ribeira dos Milagres e que ao Liz vem parar e à nossa Praia da Vieira vai desaguar. Mal por mal que sejam borras de café.

10 comentários:

Rogério Pereira disse...

Pois é Caro Folha Seca.
Quase apetece dizer: ORA bORRA P`RAS OPÇÔES...

Anónimo disse...

O que é que o cu tem a ver com as calças?

Desculpem a sinceridade, mas nos ultimos tempos os post deste largo têm vindo a perder qualidade.

Para comprovar o que digo constatem a quantidade de comentários. Não quer dizer que quantidade seja qualidade, mas tão poucos dá que pensar.

ai ai disse...

De facto a quantidade de bitaites não tem sido muito numerosa. Mas será que seja pelos temas postados ou os mesmos têm sido pouco polémicos?
Se repararmos e formos lá mais abaixo verificamos que os posts com mais bitaites eram os que encerravam alguma polémica e o Largo, foi invadido por comentadores de ocasião que aqui vinham par destilar velhos ódios e frustações e até para o ataque pessoal e mesquinho. Lembro ainda o tempo em que se tinham que apagar e até suspender, dada a falta de respeito que esses comentadores demonstravam pelo Largo e seus visitantes.
De momento, não há eleições, Tungs, MCIs, Provivências cautelares e afins. Claro que há uma redução de Bitaites, mas isso significa que a qualidade dos post foi reduzida?
Mais, qualquer um de nós pode fazer melhor na caixa de comentários, basta querer. Alías ao longo da vida do largo foram aqui escritos bitaites com grande qualidade.

Anónimo disse...

TDe facto os que dizem que ultimamente os post deste largo não têm qualidade,querem provávelmente dizer outra coisa.Que sejam claros para todos nós ficarmos a perceber as suas reais intenções.
Temos de nos indignar e quando não soubermos fazer isso,então não temos massa crítica que contribua para ajudar positivamente a constuir uma sociedade diferente com mais justiça social.
A independência intelectual é um bem inerente à nossa revolução de Abril.Já lá via o tempo em que eramos todos uns carneirinhos.
Que isto não vai bem,não.
Só um exemplo na nossa vida local.Recentemente a TUMG foi constituida com um Conselho de Administração,que custa ao erário público,muito dinheiro.E então não sabem que no passado fim de semana as escolas Bento Caraças e Calazans Duarte tinham uma OLIMPIADA marca,e tudo estava acordado com a Camara e a TUMG e o autocarro não apareceu.E os alunos e professores ficaram em terra.Que vergonha para o nosso MUNICIPIO e que desalento para as nossas escolas.
Quantos mais são na TUMG menos fazem.Irresponsáveis e imcompetentes é no minimo a classificação que se pode atribuir.E então ninguém abre um inquérito à situação e ninguem responsabiliza o Presidente do Conselho de Administração da TUMG.
E então ninguém diz nada ao facto de os deputados do PS votarem na Assembleia da Republica contra a inscrição em orçamento de Estado das obras da Ponte das Tercenas,do molha maritimo da Praia da Vieira,do Museu da Floresta e da expansão da Zona Industrial.

Vento Norte disse...

Porqueiros, porcos e lama
Retomo a denúncia do Torrente e a chamada ao assunto do Folha Seca para, em vésperas de mais um aniversário de Abril, voltar ao humilhante tema das descargas e soltar um grito de revolta.
A impunidade com que são feitas as criminosas descargas das pecuárias tem encorajado os autores a reincidirem nos despejos selvagens e a transformarem uma acção criminosa num banal delito consentido.
Num país a sério, esta gentinha com aura de empresários na lista para a comenda, ou encontrava solução como a qualquer empreendedor digno compete fazer, ou veria fechadas as explorações e responderia pelas responsabilidades.
Seguramente que sendo a pecuária um negócio sustentável, como parece, alguém legitimamente o retomaria cumprindo o respeito das normas legais e dos direitos e interesses comuns à sociedade.
Infelizmente, pelas “Portas que Abril abriu” têm passado muitos “políticos” com conceitos éticos cada vez mais elásticos, que perante a passividade do Povo, estão cada vez mais dispostos a “lavar as mãos” favorecendo elites e o status quo. São “Os eunucos” que o Zeca cantou, que aviados duma triste cobardia, permitem esta vergonhosa prática, só com paralelo nos países do terceiro mundo.
Recorrendo ao lugar-comum e salvaguardando as excepções, estes nossos representantes são fortes com os fracos e fracos com os fortes. Sim, porque se alguém deixar de pagar impostos, a água ou a taxa de saneamento, por necessidade ou por opção, a exemplo do desafio dos porqueiros, sabe bem qual é o seu destino e vai conhecer o rigor da lei.

Apartidário disse...

Partilho da opinião do Anónimo das 08.29.

É fácil constatar que últimamente, salvo algumas honrosas excepções, só se têm escrito generalidades.

O problemas do crime recorrente de poluição que é alvo o rio Liz por "empresários" (para não insultar os verdadeiros chamemo-lhes PORQUEIROS) e da situação ridicula em que se encontra o impasse para resolver a pontes das tercenas demonstram e insensibilidade e a inconpetencia dos nossos dirigentes locais e nacionais.

Parecido só conheço em países do terceiro mundo.

Parece evidente que estes assuntos não têm nada a ver com o projecto de aproveitamento das borras.

Voltando à poluição do rio Liz. Sendo um assunto transversal em que todos os cidadãos se sentem indignados, seria uma boa razão para as forças politicas promoverem acções conjuntas de contestação mobilizando toda a população.
Talvez fosse um pretexto para unir e mobilizar não só para estas mas também para outras causas menos mediáticas.

Porque não?

Apartidário disse...

incompetência

Desculpa pelo lapso

folha seca disse...

Caro Apartidário.

Acabo de publicar mais um post (provavelmente controverso e sem interesse) e li o seu bitaite.

De facto a borra do café só tem uma pequena semelhança com o que é despejado no Liz atravez da ribeira dos Milagres, a cor.
O que procurei pôr em evidência é a forma como alguns projectos (não lhe retirei o mérito) são financiados e para resolver problemas que até põem em causa vidas humanas, como é o caso da ponte das Tercenas, não há um chavo.
Desculpe se não fui capaz de me fazer entender.

Já agora e de acordo com o seu primeiro paragrafo: Tambem já o vi intervir neste espaço duma forma mais activa. é que não sei se sabe, mas os animadores deste espaço não são profissionais nesta área. Como tal fazem o que conseguem.

Apartidário disse...

Caro Folha Seca,

Reconheço o mérito e aplaudo o esforço dos animadores deste blogue. Contudo, acho que não devo coibir-me de expressar a minha opinião.

Sobre o 25 de Abril possso dizer-lhe que o vivi intensamente e foi um momento importante da minha vida. Mas já foi há 36 anos!
Não podemos continuar agarrados às memórias do passado. Temos sim, de olhar é para o futuro.

Já agora, que me diz de nos unirmos e de aproveitarmos as comemorações do 25 de Abril para defender as causas da ponte das Tercenas e da despoluição do rio Liz.
São autênticos atentados à nossa liberdade.

Não será mais proveitoso do que ir à praça Stephens para gritar os mesmo slogans de há 36 anos?
Sabe que muitos dos que vão lá gritar pela liberdade também apoiam o regime cubano ou da venezuela.
Com esses não me misturo a falar de liberdade.
Sabe, temos interpretações diferentes ...

folha seca disse...

Caro Apartidário

Agradeço as suas palavras em relação aos animadores do largo, como sabe eu sou apenas um "opinador convidado" e não conheço nenhum dos "fundadores" e até lhe digo que gostava de conhecer, no minímo para os felicitar pelo trabalho que têm feito.
Sobre o 25 de Abril só lhe posso dizer que somos 2 e de certeza muitos mais.
Quanto ao estarmos agarrados às memórias do passado, penso exactamente o contrário, são essas memórias que podem contribuir para delas tirar as lições que nos deram e corrigindo os excessos e exageros que foram cometidos(muitos deles por ingenuidade,infantilismo e falta de experiência no uso da liberdade) aproveitar a democracia que hoje temos (que quanto a mim devemos comemorar) para lutar contra a poluição do Lis, pela reparação da ponte das Tercenas e quantas mais acções teremos que desenvolver, para que Abril se cumpra, não só nas questões locais,mas tambem Regionais e Nacionais.
Quanto ao tipo de pessoas que vão estar na Praça Stephens? Sim Vão estar essas que refere, mas de certeza muitas outras que não apoiam os regimes que menciona. Mas essas têm todo o direito em lá estar, seria um fracasso se só elas lá estivessem. Vá lá e veja. Mais, ainda lhe digo que o mal de que eventualmente padeçam não é contagioso e a muitos deles eu vou dar um grande abraço. É que eu tambem sou "apartidário" mas não sou contra os que(certa ou erradamente) lutam pelos seus ideais.
cumprimentos