.
.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Revista de Imprensa



O Grupo de Percussão Tocándar, da Marinha Grande, foi convidado pelo guitarrista Custódio Castelo para participar da abertura do espectáculo e gravação de DVD do músico, nos dias 28 de Agosto e 1 de Outubro.

Os Tocándar e o guitarrista cruzaram-se em iniciativas culturais realizadas na Vila da Batalha, este ano. Custódio Castelo é o director artístico da fadista Ana Moura, acompanhou nomes como Jorge Fernando; Amália Rodrigues, na última digressão aos Estados Unidos; Camané; Mísia ou Carlos do Carmo.

No novo espectáculo do guitarrista, os Tocándar terão a seu cargo a abertura e irão colaborar num tema. Paulo Tojeira, mentor e responsável do Grupo de Percussão explicou à Rádio Batalha que o convite é encarado como um desafio, traduz “enriquecimento e confiança”.

Actualmente com 700 alunos, das várias escolas do concelho da Marinha Grande inscritos, Paulo Tojeira espera que os tambores e gaitas de foles cheguem ao ouvido dos responsáveis autárquicos. “Para contribuir para alteração dos níveis culturais. Não somos nós, pessoas que se dedicam às actividades com os jovens, que temos que ir mendigar migalhas de apoio, são eles que têm que nos pedir para fazermos coisas”, diz. “Enquanto esta realidade não for alterada não deixaremos de ser parentes pobres”, acrescenta.

No dia 28 de Agosto o concerto realiza-se em Almeirim e no dia 1 de Outubro, no Castelo de S. Jorge, em Lisboa.


AD / Rádio Batalha
23 de Agosto de 2010 (via Sapo local)

8 comentários:

Anónimo disse...

Perdoa-me, folha seca,
não posso cuidar de ti.
Vim para amar neste mundo,
e até do amor me perdi.

De que serviu tecer flores
pelas areias do chão,
se havia gente dormindo
sobre o própro coração?

E não pude levantá-la!
Choro pelo que não fiz.
E pela minha fraqueza
é que sou triste e infeliz.

Perdoa-me, folha seca!
Meus olhos sem força estão
velando e rogando áqueles
que não se levantarão...

Tu és a folha de outono
voante pelo jardim.
Deixo-te a minha saudade
- a melhor parte de mim.

Certa de que tudo é vão.
Que tudo é menos que o vento,
menos que as folhas do chão...

Cecília Meireles

Anónimo disse...

"No chão de uma floresta, uma folha seca lamentava-se de sua sorte com as companheiras, Deus não deu nenhum sentido a minha vida, enquanto estava verde, eu podia ver as montanhas, os homens e o rio que corre lá embaixo, agora estou aqui neste chão, e só me resta apodrecer, pois é justamente este o sentido da sua vida neste momento, disse uma companheira. Antes você era apenas uma folha, algo que não foi feito para durar, mas agora você esta no chão, apodrecerá e irá virar o adubo para a terra. Em seguida, as raízes virão lhe procurar, você retornará ao caule, será absorvida pela seiva e se transformará de novo em folha. Este é o ciclo do esterno renascimento.”

Paulo Coelho

Folhas Secas disse...

Alfredo Cardoso,
Álvaro Veiga de Oliveira,
Ana Merelo,
António Graça,
António Hespanha,
António Mendonça,
António Teodoro,
Baptista Bastos,
Carlos Brito,
Carlos Cidade,
Carlos Luís Figueira,
Cipriano Justo,
Clara Boléo,
Delgado Martins,
Domingos Lopes,
Dulce Martins,
Edgar Correia,
Elvira Nereu,
Fernando de Castro,
Fernando Sousa Marques,
Francisco Rocha,
Francisco Simões,
Helena Medina,
Helena Neves,
Henrique de Sousa,
João Abel de Freitas,
João Amaral,
João Galacho,
João Labescat,
João Rodrigues,
João Semedo,
João Tunes,
Joaquim Carreira,
Joaquim Gomes Canotilho,
Jorge Gouveia Monteiro,
Jorge Lemos,
José Barros Moura,
José Ernesto Oliveira,
José Garret,
José Luís Judas,
José Magalhães,
Luís Sá,
Manuel Correia,
Mário de Carvalho,
Mário Lino,
Mário Vieira de Carvalho,
Olga Areosa,
Osvaldo de Castro,
Paulo Fidalgo,
Pina Moura,
Raimundo Narciso,
Rogério Moreira,
Ronaldo da Fonseca,
Silva Graça,
Vasco Paiva,
Victor Louro,
Victor Neto,
Vidal Pinto,
Viriato Jordão,
Vital Moreira,
Zita Seabra.

Ana Brito disse...

Comissão de Moradores do Largo das Calhandreiras:
Congratulo-me com o êxito do Grupo de Percussão Tocándar, da Marinha Grande,que aceita mais um desafio e, assim, ganha alento para novas metas a perseguir sempre com sucesso...
Um abraço amigo ao Paulo Tojeira... mui digno impulsionador e incentivador cultural em prol das actividades juvenis da Marinha Grande e com projecção ultra-concelhia.
Com votos de muito sucesso...
Um abraço amigo :)
Ana Brito

folha seca disse...

Caro Anónimo das, 17:18,17:23 e 17:27.

Não sendo um grande conhecedor da poesia de Cecilia Meireles, já por mim passaram alguns poemas desta poetisa,deste gostei particularmente. Do Paulo Coelho li alguns livros. Ficou a mistica e alguma admiração pela personalidade que de "louco" se tornou o escritor Brasileiro mais traduzido em todo o mundo.
No 3º bitaite e quando se pretende fazer uma lista, ou se faz completa ou não se faz. De facto Não caberiam numa caixa de comentários, pois foram muitos, muitos mais, com nome conhecido ou não.
De 1 milhão de 200.000 passaram para pouco mais de 300.000. esses 900.000 de certeza que se transformaram em qualquer coisa...

Este bitaite foi escrito na presunção de que estes bitaites me eram dirigidos, se não eram , perdão pela imodéstia.

folha seca disse...

O post anterior foi escrito, sem me aperceber que não tinha iniciado sessão, daí não ter aparecido a azul, mas é de facto meu...estava distraído a "comer cerejas"

folha seca disse...

Cara Ana Brito

Permita-me assinar por baixo o seu comentário e em especial o abraço ao Paulo Tojeira, grande impulsionador deste projecto "os Tócandar".
Parece-me que por outras bandas este projecto é mais conhecido do que por aqui. Faz parte, "a galinha da minha vizinha"
Abraço amigo

Mara Maravilha disse...

Eu não aguento mais
Passar as noites sem saber o que vai ser
Do novo dia quando ele amanhecer
Quase sem vida já não tenho mais prazer
Eu não aguento mais
Viver num mundo desprezado e sem amor
Por isso eu vim aqui e peço ó Senhor!!
Receba a vida deste pobre pecador.

Ó Deus estou aqui
Pois me disseram que Tu és o Deus da paz
Então me ajuda,pois eu já sofri demais
O meu tormento parece não ter mais fim.

Como uma folha seca arrastada pelo vento
Abandonada estou no mundo sem alento
Desesperada estou então,venha curar meu coração
Já não suporto mais a dor da solidão
Como uma folha seca arrastada pelo vento
Abandonada estou no mundo sem alento
Desesperada estou então,venha curar meu coração
Já não suporto mais a dor da solidão

Ó Deus estou aqui
Pois me disseram que Tu és o Deus da paz
Então me ajuda,pois eu já sofri demais
O meu tormento parece não ter mais fim.

Como uma folha seca arrastada pelo vento
Abandonada estou no mundo sem alento
Desesperada estou então,venha curar meu coração
Já não suporto mais a dor da solidão
Como uma folha seca arrastada pelo vento
Abandonada estou no mundo sem alento
Desesperada estou então,venha curar meu coração
Já não suporto mais a dor da solidão
Já não suporto mais a dor da solidão