.
.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Parabens!



Um blogue pode servir para muita coisa, até para dar os parabéns a um amigo.
Estranho é que em cerca de 40 anos que nos conhecemos, nunca lhe dei os parabéns, nem sequer sabia a data do seu aniversário, mas recentemente, até para responder a algo aqui no largo, fiz uma pesquisa e registei o seu aniversário e olhem, aqui vai a minha prenda "que pretende ser simbólica" com um abraço.

5 comentários:

Rogério Pereira disse...

Não posso comentar ao sabor de gostos pessoais. O que mais admiro no Padre Fanhais, foi cantar Alegre, naqueles tempos...

Abraço

Ana Brito disse...

Caro Folha Seca
É sempre muito agradável ouvir Francisco Fanhais que tenho o privilégio de conhecer, mas faz tempo que não coloco um disco dele, devo confessar...
A sua música é simples, mas eficiente, inscrevendo-se no círculo dos baladeiros, movimento a que ficaram ligados muitos dos cantores que usavam a canção para denunciar as injustiças.
Obrigada por este momento...
Abraço amigo
Ana Brito

Carta a Garcia disse...

Caro Folha Seca,

Gosto muito do Fanhais...por isso fiz link para "A Carta a Garcia".
Obrigado,Cumprimentos,
OC

folha seca disse...

Caros Rogério Pereira, Osvaldo Castro e cara Ana Brito.
Francisco Fanhais é possuidor de um timbre de voz unico e inconfundivel. Depois de alguns anos sem o ouvir tive a oportunidade de o fazer recentemente, num espectaculo promovido pela Associação José Afonso (a que o Fanhais preside)
Para alem da beleza da voz continua a fazer todo o sentido, ouvir os conteúdos.
Abraços

carlos arinto disse...

Ouvi uma entrevista com o Francisco Fanhais, creio que na TSF, neste 25 de Abril e fiquei admirado pelas canções que recordei e pelo gosto em voltar a ouvi-lo. Pensei que estaria datado no timbre, na voz, no estilo, mas enganei-me, só o achei datado no poema, mas esses foram de saudade e de recordação.
Fiquei igualmente surpreso, mas satisfeito por saber que continua a cantar e a dar espectáculos. Julgava que tinha deixado de cantar, pois nunca mais o ouvi.
Não sei se "evoluiu" pois só ouvi - nessa entrevista- as canções dos tempos dos badaleiros.