.
.

quarta-feira, 15 de agosto de 2007

Bob o Construtor em S. Pedro das Moelas

Primeiros dias de Agosto, um batalhão de máquinas e de operários construtores invadem as imediações do Lambi, em S. Pedro das Moelas (rebatizado nas últimas festarolas). “São escavações arqueológicas para encontrar o último vidreiro” disseram uns, “é um tunel até ao Olho” gritaram outros. Nã, nã, nada disso! “Senhores e senhoras, meninos e meninas, inserido na época coltoral de S. Pedro das Moelas, é com muito gosto que a Cambra da Marinha em Grande apresenta Bob o Construtor. Palmas para ele!”
O repórter desempregado de longa duração HóRácio, em serviço especial para o FLC, conseguiu chegar à fala com este ídolo de miúdos e de vereadores das obras. Aqui fica em exclusivo a entrevista concedida por Bob o Construtor ao nosso bloguesito (roi-te de inveja TóZé).
FLC – Bob, o que o traz por cá?
Bob – Oi camarada, tudo legal? Meu manager me disse p’ra tratar todo mundo de camarada, né?. (risos) Eu tou vindo em tourné, Seu Autocolante me contratou para animar S. Pedro das Moelas. Me chamaram para construir um parque de diversão radical, aqui no Lambi, um espaço maravilho, né? (risos)
FLC – Mas porquê na primeira quinzena de Agosto?
Bob – Uma questão de agenda, sabe. Estava de agenda cheia, ainda agora tive aprontado uns big prédios em sítios inimagináveis p’ró Rei das Imobiliárias e finalmente fiquei com a betoneira livre. (risos) Mas foi melhor assim porque posso mostrar minha arte p’ra todo o mundo - turista, campista, veraneante, moça bonita, criançada, tem mais público, né? (risos)
FLC – E como tem sido visto a sua performance? Tem sido acarinhado?
Bob – Claro, claro, vocês são maravilhosos, o povo da Marinha é maravilhoso e o pessoal do Lambi tem sido muito gentil, tem sido super bacana, caipirinha, mini, tudo de borla p’ra meu estaff, né? Sabe que, modéstia à parte, meus shows têm chamado muita gente p’ra essa esplanada, à minha conta eles estão facturando uma nota preta, né?
FLC – Mas a cambra também o tem acompanhado, não?
Bob – Claro, claro! Têm sido super fantásticos, maravilhosos e têm um grande sentido de oportunidade e de timingue. Seu Autocolante tem sido maravilhoso, toda a equipe tem sido maravilhosa, né? E mesmo o povo, cara, o povo se mostra super interessado na minha arte. Seu Belo Alta Tensão tem acompanhado os trabalhos em permanência e Seu dos Santos tem dado dicas super interessantes. Tem sido super motivador, é, estou até pensando em aceitar a proposta que Seu Autocolante e Seu Barbas me fizeram p’ra segunda quinzena de Agosto, né?
FLC – E podemos saber qual é essa proposta?
Bob - Iniciar as obras do Olho, né? Botar lá contentor, escavadora, camião, cilindro, dumper, alcatroar aquela porra toda, né?
FLC – Mas isso é genial!
Bob – É. E me falaram também se eu podia derrubar à marretada estabelecimento sem licença, é.
FLC – Mas quê, todos os estabelecimentos que não têm licença?
Bob – Ó cara, você não deve nada p’ra inteligência, então você quer ficar só com casa de habitação? Não, é só p’ra dar uma marretinha nalguns, coisa simbólica, né?
FLC – Estou rendido! Desde a contaminação do Parque da Cerca que não via nada tão bem esgalhado…
Bob – Sabe cara, me parece que vocês não estão dando a devida atenção p’ra qualidade do trabalho desenvolvido pelos vossos autarcas, né?
FLC – Por certo. Mas voltando ao parque de diversão do Lambi, como irá ser composto?
Bob – Vai ser radical, né? Ultra-radical. Nós estamos a construir o maior escorrega da Europa que vai ser baptizado de “Quebra-Puto” e se destina a alimentar o SAP da Marinha.
FLC – Alimentar o SAP? Como assim?
Bob – Como assim? Então Sócras não está querendo encerrar o SAP por falta de clientes? Com esse ultra-radical “Quebra-Puto” o SAP vai ter cliente a toda a hora, né? (risos)
FLC – É bem visto. Então e que mais vai ter?
Bob – Vai ter, cavalinho, girafa, baloiço, varão…
FLC – Varão?
Bob – Sim cara, à noite o parque vira show de stripe, né?
FLC – Não estou a perceber…
Bob – Você é bobo? Então você não sabe que as escolinhas tão fechando p’rá virar bar de alterne? Se é assim temos de preparar os parques de diversão p’ra outras valências, né?
FLC – Bob, muito obrigado por esta entrevista.
Bob – Valeu, cara. É p’ra publicar onde?
FLC – É num bloguesito, coisa sem importância, e no Jornal do TóZé da próxima semana.
Bob – É pá, não pode ser antes no Periódico de Trancoso ou na Gazeta da Lourinhã? É qu’ eu acho que Seu Barbas não vai à bola com esse cara, ele prefere jornais a pasquins, coisa com maior visibilidade, tá vendo? Veja lá o que você apronta p’ra mim!...

7 comentários:

Anónimo disse...

Nunca S. Pedro teve tão poucas pessoas como este ano pQ será?
E a culpa não é concerteza só e apenas do tempo instavel e do preço do alojamento, mas os politicos estão mais preocupados em fechar cafés do que em pensar verdadeiramente naquilo que é importante.

Dos Santos Manel disse...

Dos Santos Bictor avança agora a falar dos contentores (ainda por acabar), das obras em agosto, do estado da água do mar, da falta de água em pleno agosto, do fecho dos estabelecimentos na rua do presidente (por acaso) proposto pela camara, das obras não concretizadas mas prometidas (olho), da falta da época cultural na praça (como prometido), dos problemas na recolha de lixos etc, etc.... ou estás com medo que a malta te veja a careca (vermelha).
Será que é por estas e por outras que são pedro tem cada vez menos pessoas???

São Pedrocas disse...

É bem verdade...
S. Pedro de Moel tem, neste mês de Agosto, um ar setembrino como nunca ali tinha visto antes!
As razões são, com toda a certeza, muitas e não se prenderão somente com o tempo atmosférico que, esse, diga-se, embora não indo nada de jeito, não afecta, em exclusivo, esta nossa praia.
Confesso também que não sei exactamente o que se passa nas outras praias (vizinhas ou não) no que respeita à afluência de público.
Mas é do nosso S.Pedro de Moel que estamos agora a falar e é ele que nos interessa neste caso.
Digamos, em abono da verdade, que este ano houve alguma preocupação no 'alindamento' de algumas áreas, mas nem sempre as coisas foram concretizadas como deveriam ter sido.
Uma nota positiva para a rotunda do Rei... quanto ao resto e sem me armar em prof. Martelo, fica tudo abaixo do 10. Nalguns dos casos por omissão pura e simples e, noutros, por má visão e péssimo planeamento.

(Mas tenho de dizer, em abono da verdade, que, de há alguns anos a esta parte -já demasiados!- S. Pedro de Moel foi condenado a um ostracismo absolutamente incompreensível e inqualificável. Logo, os problemas com que esta praia se confronta não são de hoje nem são só de há dois anos a esta parte!...).

Mas é chegada a hora de dizer: BASTA!... Este que é, indubitávelmente, o centro turístico de maior projecção (nacional e internacional) que o nosso concelho tem para oferecer, não merece ser tratado da forma como o tem sido.
E para que não me alongue no comentário que decidi aqui colocar, irei salientar somente dois ou três aspectos que acho negativos.

Exemplos: a) Quando é que se viu um parque infantil situado no centro 'nevrálgico' de uma localidade turística só estar a sofrer obras de beneficiação em plena época balnear, devendo ficar concluído já depois do mês de maior afluxo turístico ter passado? Será isto um exemplo de bom planeamento?
b)Repare-se no aspecto miserável da encosta sobranceira à rua principal (a Adolfo Leitão, é assim que se chama não é?).
c)Que nos digam em que bases estéticas se fundamentaram para instalarem aqueles contentores no espaço do mercado. Aquilo diz alguma coisa a alguém, nomeadamente aqueles que são destinados a negócio? Francamente!!
d)Para quando requalificar o edifício da 'central'?
e)… e S. Pedro não merece um espaço para espectáculos?
f)Que nos digam o que é que se passa com o sistema de esgotos, pois a baixa de S. Pedro de Moel está, quase diariamente, a parecer-se (em maus cheiros!) com a Quarteira de há vinte e tal anos!...

Numa palavra: S. Pedro foi mandado às urtigas pelos responsáveis municipais de ontem e de hoje e isso os marinhenses não podem, nem devem permitir.
Infelizmente tudo e todos parecem apostados em denegrir esta preciosidade natural e construída (e não sou eu a dizê-lo, são muitas as pessoas que a conhecem e que lhe atribuem um valor natural e patrimonial inestimável).
À incúria (ou má atenção) dos responsáveis locais, soma-se e irresponsabilidade dos que, daqui não sendo nem aqui tendo interesses –materiais ou afectivos, contribuem, fortemente, para a sua degradação, nomeadamente pelo criminoso descuido que há para com as águas do mar que nos banha, sejam eles as celuloses, ou os criadores de porcos e outros porcos iguais etc.
Até os responsáveis pelos cuidados com as arribas!!. Do que é que estão à espera para resolver aquela situação? Que caia tudo? Que elas cheguem a um estado irrecuperável? À boa maneira portuga, fecha-se o trânsito e já está. Toca a dormir descansado sobre os problemas...

Enfim, que S. Pedro valha a S. Pedro e que a S.ª da Piedade interceda lá na 'administração' celestial para que este estado de coisas tome um rumo diferente...
Assim seja.

Anónimo disse...

Não há kem vos contente... seus burgueses!...
Atão até a Srª Presidenta organizou os grandisos festejos em honra de seu extremoso marido.. e vocês ainda se keixam?

Imparcial disse...

Tenha sido a presidenta ou não a organizar as festas, aqui deixo o meu aplauso aos promotores.
A propósito: só não compreendo por que carga de água é que a comissão festeira teve de desembolsar uma nota preta para alugar um gerador!
C'os diabos, não haveria uma forma do município fornecer a energia eléctrica para as festas?
E o Belo Eléctrico não poderia ter dado um jeito?

Anónimo disse...

ó s. pedrocas, minha cara amiga, então quem é que recuperou a colónia balnear que foi deixada a cair de podre ? quem é que abriu a casa museu afonso lopes vieira ? quem é que construiu a estrada atlantica ? quem é que construiu a ciclovia da marinha para s. pedro ? quem é que construiu os campos de ténis ? e quem fez os arranjos paisagisticos do centro ? quem é que construiu o posto de turismo? e quem é que arranjou a escola e deu alguma dignidade ao mercado ? a não ser que a menina também lá queira um tgv e o aeroporto da ota

São Pedrocas disse...

Não meu caro anónimo. Reconheço que tudo isso foi feito e quem o fez.
Falta ainda acrescentar ao seu rol o miradouro que nos deixa usufruir de uma das mais belas panorâmicas que conheço!
Sei que tudo isso foi feito, mas falta acrescentar que questões de pormenor e que fariam toda a diferença (daquelas que quase não contam no capítulo das despesas), foram ao longo dos anos muito negligenciadas... e estou certo que se o prezado anónimo fizer uma reflexãozita, rapidamente chegará a essa conclusão.
Já no capítulo das coisas que envolveriam mais verbas, conta-se, por exemplo um espaço multifuncional destinado a espectáculos 'in door'. Cinema, por exemplo e récitas... enfim animação cultural. E não acha isso imprescindível?
Já viu a 'vã e vil tristeza' que é S. Pedro à noite? É-o hoje e tem-no sido desde há muitos anos a esta parte!!

Hoje, que se sabe que o turismo é um dos pilares em que a nossa actividade económica assentará, tudo o que se puder fazer para o ganharmos é muito importante. Eu diria que é fundamental. Estará de acordo comigo, suponho!...

Eu sou muito realista, e não quero auto-estradas nem aeroportos para S. Pedro de Moel. O quero é que a esta terra se lhe dê o seu real e merecido valor.