.
.

domingo, 16 de maio de 2010

A Pagar mais... Sim! Os do costume

Não sendo economista, nem grande conhecedor dessas questões , a vida levou-me a ter que perceber o básico do funcionamento da mesma economia. Mais, tenho a noção de que se todos pagassem, conforme os valores estipulados até agora, a recolha em termos de impostos seria muito superior aos valores conseguidos. Defendo, até a tese de que quanto maior for a percentagem de IVA, IRS, IRC , etc.… maior será a tendência para a fuga ao pagamento dos mesmos.
Estas medidas agora tomadas (para Bruxelas ver) apenas vão penalizar aqueles que já pagavam pela medida grossa e vão continuar a pagar. Os que não o faziam, vão continuar a não o fazer, até porque se o crime antes compensava, a partir de agora, mais vai compensar.
Vamos continuar, aquando da apresentação de uma conta, nas mais variadas situações com que nos deparamos quotidianamente, com a pergunta, quer factura? Sabendo nós que essa pergunta significa mais ou menos 20 e a partir de Junho 21% .
Quem trabalha legalmente e quer dormir descansado, vai pagar mais (e de que maneira) contra os Xicos-espertos que fazem tudo (ou quase) “ao negro” e obtêm lucros, que quem cumpre com a legalidade, não consegue.
Que se exijam sacrifícios, mas que não se incentive a fuga ao cumprimento das obrigações que a todos são devidas. Parece-me que as medidas agora tomadas só vão incentivar a fuga ao fisco e os resultados esperados não vão ser atingidos, até porque o sentimento de revolta que os mesmos vão provocar, facilitam os incumpridores e aumentam a cumplicidade dos pagadores, por mais bem intencionados que sejam.

Claro que não defendo um “exército” de fiscais em cada canto e esquina a ver quem “ não passa factura” porque esse custo sería insuportável. Mas defendo sim, incentivos fiscais que levem a que toda a gente tenha benefícios reais ao exigir em cada serviço prestado a respectiva quitação. Mas isto é para ser estudado “pelas cabeças "pensadoras”. E eu sou daqueles que acha que as cabeças "pensadoras" que tomam decisões de certo tipo, estão demasiado desligadas da realidade para decidir de acordo com a mesma, realidade, claro.

3 comentários:

Rogério Pereira disse...

Folha Seca
Não posso estar mais de acordo. A economia sobre a qual não incide qq imposto atinge uma dimensão impressionante. Acho que deveriamos insistir neste tema...

Anónimo disse...

Este país precisa de uma nova ditadura. Somos como aqueles adolescentes que nunca crescem e nunca sabem ser auto-suficientes e quando as coisas correm mal corremos para casa dos pais. E o país (leia-se ditador) lá tem que nos castigar e por no bom caminho.
Não temos futuro. Este país está moribundo e ninguém percebe isso.

Anónimo disse...

Não sei porque somos tão hipócritas (?) então e essas célebres representantes da deusa romana menor da agricultura ( as PUTAS) e que todos conhecem muito bem e que até se querem profissionalizar (veja-se o ultimo 1º de Maio e a sua inclusão na manifestação)..Não era um grande ideia tê-las todas colectadas ,tinham direito a segurança social ,descontavam para a reforma e até pagavam impostos...