.
.

sábado, 29 de maio de 2010

Hoje também fui “para a rua Gritar”



As angustias têm cura, ou pelos menos aliviam-se.

Numa altura em que nos querem “obrigar a vir para a rua gritar.”
Hoje acedi ao convite da AJA (associação José Afonso) e fui participar nas comemorações dos 80 anos deste monstro sagrado da musica Portuguesa. O programa no átrio do Coliseu do Porto, tinha como participantes, os portugueses: Samuel, Francisco Fanhais ,Gabriela Marques, José Luís Guimarães, Luís Beirão, Tino Flores, Ana Afonso, Manuel Freire ( que há ultima hora não pode estar presente, por razões de saúde) e a escola de musica da Ponte, de Vila das Aves, composto por crianças. Da Galiza vieram Xico de carrilho e Tino Baz.

O espectáculo realizado na rua Passos Manuel, cujo transito foi interrompido para o efeito fez-me reviver a emoção de outros tempos, pois há largos anos que não assistia a um tão emocionante e sim, estive na rua a gritar a plenos pulmões acompanhando as musicas que conhecia e especialmente a que encerrou o espectáculo, claro, a Grândola Vila Morena.

Dois momentos de grande emoção: a actuação dos alunos da escola da ponte que mostra que a musica e as canções do Zeca se transmitem de geração em geração e o ter estado pela primeira vez com uma lenda viva da luta antifascista de seu nome Alípio de Freitas a quem o Zeca dedicou a canção que aqui postei.

Caros calhandreiros, não curei as minha angustias, mas que as aliviei, aliviei…

4 comentários:

anarcabe disse...

Parabéns!

Rogério Pereira disse...

Folha Seca

Que angústia?
Somos muitos muitos mil,
para defender Abril

Abraço

Anónimo disse...

Imperdível a opinião do Nosso Deputado.

"Milagre da multiplicação de manifestantes"

"As organizações tuteladas pelo PCP na Marinha Grande pediram à câmara autocarros para ir à manifestação de ontem. A câmara, e bem, ter-lhes-à dito que os autocarros do município não são para promover campanhas contra ou a favor de governos legitimamente eleitos.
Talvez por isso, esperando 200 mil e tendo lá apenas 50 mil, se tivessem apressado a gritar 300 mil!"
João Paulo Pedrosa (in Praça Stephens)

sem comentários
Ass. Um dos que lá esteve e viu muitos, muitos mil

samuel disse...

Foi de facto uma tarde que valeu por muitas...

Abraço.