.
.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Opiniões das nossas Gentes

Com a devida vénia ao Jornal da Marinha Grande e ao autor

Opinião
Homenagem a Norberto Barroca


Se formos ao Google e escrevemos Norberto Barroca veremos que a busca nos indica que há mais de 40.000 resultados. E pelas melhores razões. O Norberto é um grande Homem no sentindo cívico do termo e um grande homem do Teatro. Que nasceu na Marinha Grande e, ao longo da vida, manteve fortíssimas ligações, quer à família quer à sua matriz. O berço da família Barroca – junto aos Bombeiros/Casa Barroca – que foi o palco das suas brincadeiras, com as irmãs, primos, vizinhos e onde, como está bem de ver, se brincava muito a sério aos teatros, esse berço acolhe agora o filho prodígio que regressa à casa, que remodelou com desvelo.
O Norberto, marinhense do coração, nunca esqueceu as suas raízes. Claro que foi embora pois aqui, no nosso pequeno meio, nunca teria conseguido realizar-se. E ainda bem que assim foi, pois deixa-nos um legado que ultrapassou fronteiras e muito dignifica a cultura. E o Teatro. Por isso a Câmara Municipal da Marinha Grande em boa hora decidiu homenageá-lo.
Sem desprimor para tantos bons autores, actores e encenadores marinhenses, uma personalidade da envergadura do Norberto Barroca aparece uma vez num século. Tivemos nós, marinhenses actuais, os privilégios de conhecê-lo, de ouvi-lo. Prestemos-lhe, pois, homenagem e seja-me permitido formular uma sugestão que, penso, seria o tributo perfeito. Atribuir o seu nome ao nosso teatro-cine.
Sinto-me à vontade para fazê-lo pois foi o meu pai, à altura Administrador da Nacional Fábrica de Vidros (depois FEIS) quem, aquando das homenagens aos Stephens e remodelação do velho teatro (executada com a inestimável ajuda dos Bombeiros), sugeriu que a sala de espectáculos, que era genericamente “o teatro da fábrica”, passasse a chamar-se Teatro Stephens. Creio que os Stephens e o meu pai, passe a ironia, esboçariam um sorriso de aprovação se, um dia destes, vissem na fachada Teatro Norberto Barroca.

José Manuel Calazans Duarte

3 comentários:

Rogério Pereira disse...

:

ai ai disse...

Sem duvida que a sugestão do Engº Calazans Duarte é de ter em conta e deve ser discutida.
Norberto Barroca é de facto um dos filhos da nossa terra, com uma vida ligada à divulgação da cultura, conhecido por cá e por Portugal inteiro e que muito nos honra.
Pode ser discutivel a mudança , Mas como o autor diz os irmãos Stephens não se importariam, até o porque o eventual Teatro Norbero Barroca, ficaria instalado na Praça cujo nome perpetuará para sempre os Stephens.
Agora que esta eventual alteração se faça só quando o teatro for condignamente remodelado.

Anónimo disse...

Estes pretensos intelectuais querem apagar a memória colectiva?
Um destes dias até propôem a mudança do nome da terra.
Haja Deus