.
.

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Revista de Imprensa (Uma Justa Homengem)

"Bienal de Artes Plásticas homenageia Guilherme Correia"


A VII Bienal de Artes Plásticas da Marinha Grande, a realizar entre 20 de Setembro e 19 de Outubro, vai homenagear o pintor Guilherme Correia, anunciou hoje a autarquia local.

A mostra de obras de arte resulta do concurso subordinado ao tema "O Vidro na Arte, a Arte do Vidro", mas, em paralelo, vão decorrer exposições temáticas, workshop's, ateliers para crianças, desfile de moda e diversas actividades de animação cultural.

O evento, no qual será entregue o Prémio Pintor Fernando de Azevedo, terá lugar no Parque Municipal de Exposições da Marinha Grande.

Para o director artístico da bienal, João Luís Costa, a arte é também um "espaço de afirmação política e militante" porque os artistas "expõem-se quando apresentam as suas obras".

Por seu turno, o presidente da Câmara, Alberto Cascalho, recordou que o evento é já uma "referência" no panorama nacional e internacional, mantendo a cidade como a "capital do vidro em Portugal" e afirmando-a também como um "centro de cultura de excelência".

A tradição da cidade na arte do vidro e uma aposta na conquista de novos mercados, também através do trabalho artístico, são os dois grandes objectivos desta bienal.

Para o pintor Guilherme Correia, que terá uma exposição retrospectiva da sua obra, a Bienal é uma "oportunidade" para os concorrentes do concurso, mas também para valorizar o trabalho do vidro.

"Dediquei ao vidro 66 anos da minha vida", recorda Guilherme Correia, que colaborou na primeira Bienal, em 1996.

No seu entender, foi um "erro" o fecho da fábrica-escola Irmãos Stephens, já que deixou a arte vidreira sem "formação adequada" para as novas gerações.

O júri da bienal será constituído pela pintora Emília Nadal, presidente da Sociedade Nacional de Belas Artes, o escultor José João Brito, o pintor Jaime Azinheira, a escultora Luiza Gonçalves, e António Noivo, como consultor técnico vidreiro.

Cada concorrente poderá enviar um máximo de dois trabalhos entre 09 a 14 de Junho de 2008, refere ainda a organização.

PJA.



(surripiado da Lusa)

4 comentários:

Anónimo disse...

Já deram um chuto á futura candidata a vice-presidente da CMMG
Cristina Simões da Organização da Bienal??

Anacrónico disse...

Eis uma notícia que neste Fórum passou (ou vai passando) despercebida. E é pena que assim seja, pois não só a Bienal é um acontecimento cultural do qual a Marinha Grande muito se deveria de orgulhar, mas também porque ela tem sido a oportunidade de o concelho prestar homenagem a figuras marinhenses que à arte vidreira dedicaram (ou dedicam) o melhor das suas vidas!

Este é, de novo, o caso. Guilherme Correia teve uma trajectória de vida indubitavelmente ligada ao vidro. Vem de uma família de artistas e, a exemplo dos seus maiores, ele, com a sua arte e a sua modéstia, tudo tem feito para honrar a nobre arte vidreira que há muito abraçou! Ainda hoje, já passados os 80, ele aí continua, amando o vidro e espalhando a sua arte, para deleite de todos quantos têm a sorte de o poder e o saber admirar!

Se há homenagens justas, esta a Guilherme Correia, é uma delas.

Anónimo disse...

Fui descobrir e pelo que indaguei a DR.ª Cristina Simões é a Organizadora da Bienal de 2008. Aliás... aquela é uma mulher de sucesso (para além de linda) e a quem temos de tirar o chapéu . Tem feito de todas as Bienais o grande evento cultural da Marinha Grande. Se a Cultura um dia for da sua responsabilidade...pelo que já vi do seu trabalho...a Marinha ía longe...

O meu amigo Guilherme...sem dúvida uma justa homenagem.

Anónimo disse...

O anónimo das 1:25 não deve ter conhecido a irmã da Dr.ª, senão mudava de opinião em dois tempos. Essa sim era "linda", igualmente loira e bastante fotogénica.
Já agora quanto a "tirar-lhe o chapéu" cuidado por as aparencias iludem, porque ela não faz mais que a sua obrigação por é funcionária da CMMG. Paga e bem paga.
Quanto a um dia a Cultura ser da sua responsabilidade, convém ser "no ano de são nunca".