.
.

domingo, 20 de abril de 2008

Prioridades da Política Externa III

Eu cá sou a favor do acordo ortográfico e quanto mais depressa melhor. A língua quer-se viva, porque a língua é uma coisa maravilhosa (e então a brasileira, nem vos conto). Até já tou imaginando:
- Oi seu Zézé, dá um jeito no rodado qui tou c’um probrema nele?
- Craro, beleza! O qué qui você faz logo à noite?
- O qui você quisé, seu Zézé!...

2 comentários:

Pirolito travesso disse...

Ai a língua, a língua!...

Anónimo disse...

E os lábios ????