.
.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Um Grito...

Dr.
dói-me o peito
do cigarro
do bagaço
do catarro
do cansaço
dói-me o peito
do caminho
de ida e volta
do meu quarto
à oficina
sem parar
sempre a andar
sempre a dar
dói-me o peito
destes anos
tantos anos
de trabalho
e combustão
dói-me o luxo
dói-me os fatos
dói-me os filhos
dói-me o carro
de quem pode
e eu a pé
sempre a pé
dói-me a esperança
dói-me a espera
pelo aumento
pela reforma
pelo transporte
pela vida e pela morte.
Dr.
já estou farto
de não ser
mais que um braço
para alugar
foi-se a força
e o meu corpo
é como o mosto pisado
como um pássaro insultado
por não poder mais voar.
Dr.
eu não sei ler
os caminhos
por dentro
dos hospitais
mas alguém há-de aprender
entre as rugas do meu rosto
o que não vem nos jornais
e não há nada no mundo
nem discurso
nem cartaz
capaz de gritar mais alto
que as palmas das minhas mãos
que o meu sorriso sem jeito,
Dr.
Dói-me o peito…

José Fanha

9 comentários:

Fê-blue bird disse...

José Fanha por aqui, Zeca Afonso no meu blogue, saudosismo ou vontade de mudança ?!
Dói-me o peito!!!

Beijinhos e bom fim de semana

Luís Coelho disse...

Não conhecia este poema brilhante.
Que dor que temos no peito e que segredos nas palmas das mãos.

Desejo um bom fim de semana

Anónimo disse...

Dói-me o peito - estava a ouvir o debate quinzenal no parlamento e aquela gente vive num mundo à parte!!! Não têm consciencia do que é ganhar 1650€/mes (o casal) pagar 500 para a casa, 500 para os miudos estudarem (no centro social e paroquial), retirar-lhes o abono e reduzir os limites de dedução fiscal para as despesas de saúde, habitação e educação. Ao mesmo tempo que lhe aumentam o IVA dos iogurtes para 23% e já lhe meteram 1,5% de subida de IRS pelo meio. Simultaneamente os patrões desse mesmo casal terão que pagar muito mais caro pelo dinheiro que pedem emprestado e como se isso não bastasse terão de pagar mais IRC, mais tributações autónomas e provavelmente, digo eu, terão umas visitas mais assiduas das finanças. Dr. Dói-me o peito, mas creio que só me curo no estrangeiro.

Anónimo disse...

A mim também me dói tanto o peito, que já não acredito mais nos Drs. Só a medicina popular nos pode tirar tanta dor!

flor de jasmim disse...

Excelente escolha!!!
A fase por que estamos a passar dá-nos inspirações destas,letras que nunca esquecem, sempre ouvimos sem cansar,penso que tal como eu estamos todos a ficar cansados mas sim dos outros Drs. Que não curam apenas nos querem ver de rastos, sim porque as poucas moletas que ainda vamos tendo até essas estão a querer nos tirar.

Beijinho

Rogério Pereira disse...

Caro doente
por todas essas razões
doi-lhe o peito?
Tome uma aspirina
Isso é doença sem jeito...
Julga que é epidemia?
Se não passar, venha cá outro dia
Preço da consulta
90 € e não é do serviço
é uma multa...

(quem lhe manda doer o peito?)

folha seca disse...

Meus caros
Ao fazer o meu percurso matinal de casa-trabalho fui ouvindo as notícias. Pura e simplesmente foi-me doendo o peito (e esta é a sério) pela angustia que as mesmas me faziam.
Creio que ouvi para aí em 1969/1970
pela primeira vez no Zip Zip este poema declamado pelo seu autor; José Fanha, gravei-o na memória, já o divulguei uma ou outra vez. Há coisas que estão sempre vivas na nossa memória.

Anónimo disse...

A mim doi-me o peito de ha 13 anos ter de aturar SOCRATES O FALIDOR DE PAISES e o destruidor da classe média..... Foi você que votou no PS? então tem o que merece.!..

Anónimo disse...

Aiii T'aaaaanta dôr!