.
.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Revista de Imprensa

Empresa recua na construção de túnel no centro da Marinha Grande

"PS acusa câmara de não obrigar BA Vidros a cumprir acordo"

Os vereadores e deputados municipais do PS da Marinha Grande estão contra a instalação dos armazéns da BA Vidros nas antiga fábrica da Ivima, no centro da cidade, porque a empresa recuou na construção de um túnel. Em conferência de imprensa, acusam o presidente da câmara de aceitar a posição da BA Vidros sem contestar.
“Foi indicado que seria construído um túnel que iria ligar as instalações da BA Vidros ao edifício da Ivima, desviando alguns camiões TIR do trânsito local”, adianta João Paulo Pedrosa, vereador do PS, garantindo que o executivo veio mais tarde dizer que tal “não era viável”.
Além disso, “com a instalação dos armazéns, o estacionamento na rua Eng. Arala Pinto desaparece”, salienta o socialista. Considera ainda que será “uma tragédia” a passagem de cerca de 84 camiões TIR de dia na cidade.
Para João Paulo Pedrosa, esta obra é “ilegal”, porque “não cumpre as determinações que ficaram acordadas na informação prévia”. O vereador critica, assim, a autarquia por ter aceite – sem contestar - a resposta da BA Vidros, ao dizer “não ser possível fazer a passagem subterrânea”.
Quando a informação prévia foi levada à votação de reunião de câmara, o PS votou contra. Na altura, “a BA Vidros comprometeu-se a recuperar o edifício da frontaria da Ivima para serviços públicos e a construção do túnel”.
O PS defende que os armazéns deveriam ser construídos na zona industrial, nos terrenos que já foram desbloqueados pelo Governo, para o seu alargamento.

CASCALHO ESCLARECE
Alberto Cascalho explica que na apreciação prévia à proposta da BA Vidros, “a câmara tinha definido como uma das condições criar uma passagem subterrânea para o transporte das paletas da fábrica para os armazéns da Ivima”. No entanto, após análise dos técnicos da garrafeira e da câmara verificou-se que, “tendo em conta a localização dos equipamentos, não ser viável fazer o túnel”. Segundo o autarca, a solução seria a sua construção a Sul da fábrica, atravessando a Ivima de forma subterrânea. No entanto, “é extremamente difícil, pondo em risco o próprio edifício”. “O estacionamento não vai desaparecer”, garante ainda Alberto Cascalho, assegurando que a supressão de alguns lugares serão colmatados com a criação de 75 estacionamentos, que darão apoio aos serviços que irão funcionar no edifício principal da Ivima. O presidente lembra ainda que a BA Vidros irá recuperar a fachada da antiga fábrica, garantindo a utilização de todos os materiais originais.


(surripiado do Jornal de Leiria)

8 comentários:

Anónimo disse...

Só mesmo a CDU/PSD para dizer que estacionamentos públicos se podem fazer substituir por estacionamentos privados!

Anónimo disse...

Materiais originais?!? Seringas? Charros? Produtos afins ? Tenha dó senhor Cascalho ... diga lá que acordo fez ? Não mora para estes lados pois não?

Anónimo disse...

Esta malta da CMMG podia acertar numa de vez em quando ..mas não...são maus, maus todos so dias...irra!

Anónimo disse...

75 Lugares separados por um portão! Será para uso Publico? Ou será para uso interno?
Senhor presidente está deliberado, está deliberado, que outra deliberação aconteceu ?
AH AH AH AH, sai mais barato carregar os camiões e descarrega-los do outro lado da rua, todos os dias, do que fazer um túnel para uso próprio que se paga a si próprio, não falando de um tapete rolante. Alguém sabe o que é logística?
Então e o bloqueio o aumento de trânsito no local, os acidentes, a perca de qualidade de viva dos que moram no local, não falando da má imagem para a cidade com dois barracões de 9 metros de altura que vão ser erguidos no local.
É com aquela prevista e aprovada cortina arbórea que os tapam?
Por onde saem os moradores da rua quer seja para poente ou nascente?

Leiam as deliberações da CMMG e o que foi aprovado junto do projecto. Para quem fica o edifício da ivima, por quanto tempo e com que uso.

anarcabe disse...

Pelo que ouvi e li, o edificio Ivima, era para utilidade pública, museus e/ou outros, mas como o tunel já foi à vida, secalhar tambem as outras permissas. Quem acredita ainda e ajudou a viabilizar orçamento deste ano, também deve sofrer as consequências do acto.

Embora eu considere que esta é uma vitória de Pirro de PS. Ganharam uns "pontecos".

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

Olha - disse mal dos xuxas! - Não -Será que os insultei??
Francamente - democracia desta - NÃO!!

Anónimo disse...

Estes senhores não trabalhão na BA vidros, por isso não sabem o que dizem .
A direcção da BA não qualquer problema em deslocalizar ,esta, unidade fabril para outro local ,fora da Marinha Grande. E os postos de trabalho em causa não contam.