.
.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

VACUIDADES



Baralha, parte e dá, baralha, parte e dá - pim-pam-pum - já está! Atenção cavalheiros, useiros e vezeiros, damas ao bufete que se vai dar início às quadrienais Lutas Intestinas! Os costumeiros alfarricoques vão tomar posições e em suas mãos os destinos da nação e a defesa da honra, uma espécie de jogos florais em que ganham sempre as tubas canoras e belicosas que insuflarem o mais imponente e habilidoso vazamento de tripa, apoiados por aperaltados comparsas lambe-botas. Brruuummmm – já está! Mas, convenhamos camaradas, apesar do aparato e das parangonas que vendem papel de rotativa a rodo, é o momento mais incolor, inodoro e insípido da nossa desbotada democracia, um momento tão previsível como a quantidade de cuecas borradas que sobram em consequência da fratricida peleja, um pungente e lancinante dó d’alma e de assaduras cutâneas, polvilhadas com camadas de talco e unguento gordo, para apaziguar as dores dos que não viram reconhecido um lugarzinho nas listas. E colunas vertebrais partidas? Também, algumas. Muitas. Talvez nem tantas, que muitos há que a deixam com frequência dependurada no guarda-fatos.
Para os que não têm estratégia nem rasgo, a aposta vai toda para genialidade da figura providencial, para o candidato papal, o homem iluminado que trará progresso e bonança, alegria e fartança, o eleito dos eleitos, que para cair em desgraça basta que não tenda bem a massa, que não a acomode ao jeito dos siliginários de cacete e fralda. Não, este é muito melhor que o outro, que os outros... este é que é!...
Já para os que evidenciam grandes dificuldades em triar o dito candidato, ou a paridade, o segredo não está na massa mas no molho, nas ervas aromáticas e nas azeitonas, que o importante são a iluminura das intenções e a lustreza das ideias, as mais eruditas e avançadas, desenhadas a régua e esquadro por perspicazes visionários, fruto de aturada esculca e denudado debate com a sociedade civil cantas-bem-mas-não-me-alegras. Um fartote...
Mas para os que vertem sabedoria, ciência e água de fezes inócuas nos leitos dos ribeiros, transformando as suas águas em miraculosos, purificadores e providenciais fluídos medicinais, termais, a esses predestinados que fervilham ideias como pipocas, a esses não há mal que lhes chegue, c’um carago, a esses haver-lhes-á de valer o povo trabalhador, o povo que mais ordena, o povo que crê pio na mansidão do tom coloquial e na bondade circunspecta do Benedito, que sucedeu ao outro, o proscrito. “E a obra, catano?” questionam vossas excelsias, desconfiadas, mirando o espectro. A obra dela, da estouvada coligação pois claro, está aqui, está ali, está em toda a parte - numa lomba altaneira, numa barraca de legumes, no leito de um ribeiro, numa moderna escola de proximidade, na "ilha" da Bernarda, num armazém de garrafões, num piquenicão, no Tarrafal, em Cuba, na lua, eu sei lá – está em todo o lado, c’um carago!...
E é por tudo isto e por muito mais, que há-de vir, que se afigura oportuno rememorar as palavras sábias, intemporais e avisadas do Brigadeiro Tomás Candeias de Sá, meu ilustre professor de álgebra:
“Um líder sem equipa, é uma perda de tempo. Uma equipa sem líder, é uma desgraça. Um líder e uma equipa sem estratégia, é um embuste!”
Estranha terra esta que para debelar extensas e dolorosas metástases, corre insana atrás de uma aspirina... Enfim!...

17 comentários:

Anónimo disse...

Excelente texto, para quem sabe ler pensamentos expressos em entre linhas.
A gestão do municipio não pode estar centrada num comité que mais ordena, como está, mas tb não pode ser feita ao sabor de caprichos. O municipio movimenta anualmente mais de 20 milhões de €, é um dos maiores empregadores do Concelho e devia ser gerido a pensar nas pessoas e no seu bem estar. SERÁ QUE AS CANDIDATURAS JÁ CONHECIDAS SABEM O QUE PRECISA O CONCELHO, HOJE, AMANHÃ E DAQUI A 10,20 ANOS? Alguém nos saberá dar esta resposta???

anarcabe disse...

A candidaturas, não têm que ser encimadas por doutas ou empresárias personagens.

Tem que haver pragmatismo nas decisões, não pode o Concelho estar devedor de pessoas, que em todo este tempo se serviu do mesmo em proveito próprio.

Ti Nini disse...

À parte da triste realidade que retrata, aí está um belo texto a elevar o nível das arruaças politiqueiras que por aqui abundam nos últimos tempos.
Não sei se o candidato opositor a comandante, além das qualidades cívicas e morais que largamente lhe são reconhecidas, tem também méritos de competência que o levem a desencalhar a nau e a pilotá-la entre escolhos e lodo, rumo a outras águas, onde possa ganhar força e seguir viagem. A incerteza adensa-se, se considerarmos o estado actual da embarcação e a borrasca que para aí anda, a pedir muito empenho, mas também engenho e arte.
Muito dependerá do contramestre e da marinhagem que escolher. Maré perdida, é se não conseguir libertar-se das escolhas que o almirantado costuma fazer, ao alistar na tripulação, a “gajada” do costume, os tais que deixam a coluna vertebral no armário e não têm vergonha na cara que os impeça de, sendo apenas sapateiros, também se apresentarem a tocar rabecão, neste caso, na Banda da Marinha.
Mesmo assim, considerando a exposição do lugar e a refrega “eleitoreira” que se adivinha, admiro a coragem dos que não desistem e honradamente se propõem cumprir com os seus ideais.
Que o tempo lhes dê razão e a nós motivos de gratidão.

Anónimo disse...

Ao anónimo das 2:36 PM
Quando afirma no seu texto que é um dos maiores empregadores do Concelho e devia ser gerido a pensar nas pessoas e no seu bem estar...Estou plenamente de acordo...Mas só para o lembrar isto tem sido o lema da candidatura de António Santos... tem sido repetido várias vezes...Por isso penso que ele deverá ser o candidato escolhido pela população,para bem do concelho...A Marinha precisa de um Novo Rumo...

Anónimo disse...

Porra, quem é o António?

anarcabe disse...

Não querendo ser tão directo como o escriba anterior, sempre digo que todos os partidos dizem o mesmo. O problema é executar, fazer, promover. Ditar verbo é fácil.

O PSD quando elegeu o vereador agora na CMMG, já não era com o mesmo efeito? Quem nos diz que o agora proposto e independente (?) António Santos, não vos dá com os pés, da mesma forma que o ditoso e preterido Artur.

Dois meses volvidos apoiaram o executivo, agora revoltam-se, mas alguém entende esta gente.

Anónimo disse...

Ao anónimo 4/05/2009 12:20 AM
Não temos culpa que ande a dormir...SABE QUE QUEM MUITO DORME...

ACORDE HOMEM?...

Depois de acordar, lavar bem a cara, ler para saber quem ele é ou do que se fala dele e verá que se trata do Homem para futuro Presidente da Câmara... É SÓ...

Anónimo disse...

Já li o JMG, convenceu-me.

Anónimo disse...

Será que alguém leu mesmo o que o Relaxoterapeuta escreveu? Pelo rumo da discussão não me parece...!

Anónimo disse...

Eu li, li, mas palavras levalas o vento e as coisas sem jeito que este senhor diz são mesmo muita, como diz o povo, vozes de burro não chegam ao céu. Estou para ver se também apagam este comentário.

Anónimo disse...

Desde quando é que se apagam as vozes de burro, já que as do outro as levou o vento? Não se apaga e pronto! Fica aí para castigo.
Não conheço a pessoa que se identifica como Relaxoterapeuta, nem vou perder o sono a adivinhar.
Estamos na presença de uma personalidade com uma cultura acima da média e que escreve prosa de grande qualidade, o que não está ao alcance de qualquer um.
Quem souber ler e interpretar, o que infelizmente também não está ao alcance de todos, vê neste texto uma crítica mordaz, não às pessoas, apesar de algumas se identificarem com as "tendas", com as vistosas "lombas" e até com os resíduos da limpeza da tripa, mas à ausência de ideias, de capacidade de liderança, da definição clara de alternativas credíveis, sejam elas de que quadrante forem.
A Marinha Grande está entregue aos bichos e, pelo andar da carruagem, assim vai continuar.
De falência em falência, até à falência total, cá vamos andando, já não digo alegremente, mas cabisbaixos, tristes, como tristes são as figuras feitas por alguns actores desta comédia.
Abra-se o pano e venha o 2º acto.

Anónimo disse...

Ou anónimo anterior,
o escrever bem ou mal é uma coisa (eu não acho grande jeito mas tá bem), mas das ideias é muito fraquinho..... mais valia tár calado.....
A Marinha precisa de ideias e gente nova: FORÇA A. SANTOS, CÁ DE CASA SÃO SETE VOTOS!

A.C. disse...

"Ou anónimo anterior"
o cão e o periquito também votam?

Acintoso disse...

Vai p'ráqui uma luta! Vejam só como as coisas são. Um texto, um simples texto, cria um sururu que não acaba e solta as mentes de tal forma que muitas das ideias expressas demonstram bem a idiotice que vai nas cucas dos seus paridores!!
A coisa é de tal forma que, de repente, a luta passou a ser A. Santos vs Relaxoterapeuta! Agora também eu digo: eh! eh! eh!... quem houvera de dizer!...
Parabéns Relaxoterapeuta pela prosa, pelas ideias e seu encadeado e, sobretudo, pela zaragata!
Venha mais, muito mais...

anarcabe disse...

Que venham mais cinco!

Anónimo disse...

"Gente nova", força Santos.

Mas o homem está velho!

Acintoso disse...

Velho não está, mas misturado com estes 'jovens', está aqui está é relho!