.
.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

12 comentários:

folha seca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
folha seca disse...

Até logo na Praça Stephens...

São Pedrocas disse...

Viva o 25 de Abril, VIVA!!!
Só por ele é possível existir a liberdade de expressão da qual o Fórum do Largo das Calhandreiras é um exemplo!

Anónimo disse...

Parece evidente que enquanto a dita e super protegida "geração de Abril" hoje com 60/70 anos, não abandonar o poder deste Pais que mantém desde então, não iremos a lado nenhum.... Tiveram 35 anos para mostrem o que valem e o resultado esta à vista!
Este ano o crescimento economico de Portugal vai atingir O MESMO de 1975 de 4.1% negativo, mas sem revoluções e sem nacionalizações. Está tudo dito não está?

anarcabe disse...

Sem a geração que fez Abril, não era possível às gerações que se seguiram fazerem coisíssima nenhuma.

A geração de Abril não tem culpa das asneiras que as gerações posteriores fizeram e continuam a fazer.

Quem tornou possível um decrescimento de mais de 4%, foram os neoliberais da trazer por casa.

Por tudo isto, vou também à Praça Stephens logo.

25 DE ABRIL SEMPRE

Anónimo disse...

Super protegida geração...este anónimo gostaria de ter vivido em tempo de fascisno e de privações de toda a espécie?
Leia...amigo...estude mais para conhecer o seu país...
Realmente é desolador ler estas palavras que tudo nos leva a crer serem da autoria de algum jovem falhado...lamentável

vinagrete disse...

Três comentários:

Viva o 25 de Abril!

Saudações ao regresso de São Pedrocas!

Abaixo o Fascismo, aqui protagonizado por "um jovem" anónimo, provávelmente um daqueles que coloca à frente desse adjectivo uma determinada sigla partidária, muita activa neste blog.

folha seca disse...

Como dizia o Sérgio "vem-me à memória uma frase batida" recordo o dia anterior á revolução do 25 de Abril.

Era um jovem com com 19 anos de idade, trabalhava e estudava desde os 10 anos( no que toca aos estudos, foram interrompidos muitas vezes porque não dava para tudo) há minha frente tinha um muro completamente opaco, ou seja tinha pela frente um futuro completamente imprevisível. A única coisa que sabia é que daí a pouco tempo, tinha a tropa pela frente e consequentemente a guerra colonial e tudo que a mesma podia trazer. Ainda hoje recordo o "Maria" um jovem da Moita colega de trabalho que ao despedir-se antes de embarcar para uma das ex-colónias, nos dizia que não nos voltava a ver, o que efectivamente aconteceu pois muito pouco tempo depois veio a morrer na guerra.

Conheço a incerteza com que os jovens de hoje encaram a vida, os problemas e angustias que vivem. Mas ter pela frente como única alternativa de vida a incerteza do que pode acontecer depois de transposto aquele muro, é de facto inimaginável...

Mesmo que o 25 de Abril não tivesse trazido mais nada( e trouxe de facto muito mais) teria valido a pena.

Post publicado no meu blog(amador)

São Rosas disse...

Por lapso não assinei o post da 1:52.
É que a ausência foi longa...embora vos leia sempre que posso.
No entanto as palavras daquele jovem tocaram-me tão profundamente que não ressisti a manifestar o meu lamento.
Viva o 25 de Abril!

Pirolito entusiasmado disse...

Como eu fico feliz por este 25 de Abril ter feito o 'milagre' de ressuscitar alguns dos melhores comentadores deste fórum!
E ainda há para aí quem diga que o 25 de Abril não contagia!!

Saúdo com emoção o regresso da São Pedrocas, da São Rosas, do Vinagrete (que, apesar de tudo sempre foi comentando, ainda que ocasionalmente) e também do Folha Seca.
Por onde é que teriam andado, sobretudo estas senhoras? Faço votos para que o vosso regresso não tenha sido um simples episódio de 'fogo de artifício' de comemoração desta data que nos enche a alma!
Sejam muito bem-vindos, todos, que a Marinha Grande também precisa de vocês!

Marinhense atento disse...

Agora que o motivo de conversa é o bem amado 25 de Abril, é bom que na nossa cidade não se esqueça uma das figuras que mais por ele lutou e que nos deixou um exemplo impar.
Convido-vos, pois, a que visitem este endereço que recomendo com a devida vénia:

http://planeta.ip.pt/~ip224640/vareda.htm

Anónimo disse...

Idade: 60/70 anos
Geração:de Abril




Padre Melícias tem reforma de 7450 euros

O padre Vítor Melícias, ex-alto comissário para Timor-Leste e ex-presidente do Montepio Geral, declarou ao Tribunal Constitucional, como membro do Conselho Económico e Social (CES), um rendimento anual de pensões de 104 301 euros. Em 14 meses, o sacerdote, que prestou um voto de obediência à Ordem dos Franciscanos, tem uma pensão mensal de 7450 euros. O valor desta aposentação resulta, segundo disse ao CM Vítor Melícias, da "remuneração acima da média" auferida em vários cargos.

(in CM 19.03.2009)