.
.

sexta-feira, 9 de maio de 2008

"Copi/paste" (que é como quem diz) Descubra as Diferenças

É pá, se a mestra descobre, este tipo tá chumbado!


Frequentou a Universidade de Direito de Bona, mas acabou por se transferir para a Universidade de Berlim, a fim de cursar Filosofia.
Em 1841, com uma dissertação sobre Epicuro, licenciou-se, na Universidade de Iena, em Filosofia. As suas ideias radicais impediram-no de seguir a carreira de professor universitário, tendo aceite, em 1842, a direcção do jornal liberal Rheinische Zeitung.
Nesta época, Karl Marx evolui de uma concepção humanístico-liberal para o socialismo comunista, sofrendo, então, a influência de Feuerbach
(...)
Em 1843, foi viver para Paris, acompanhado da sua mulher, Jenny von Westphalen, (...).
Em 1845, expulso pelo governo de Guizot, desloca-se para Bruxelas.
Engels, com quem travara conhecimento em Paris, ajuda-o financeiramente e acabam por realizar juntos uma viagem a Inglaterra. Karl Marx entra em contacto com a realidade económica inglesa e enceta, junto da Associação dos Operários Alemães radicados em Londres, cuja situação de exploração pelo patronato era degradante, uma
firme luta de propaganda e de agitação, criando comissões de ligação com outras organizações operárias europeias.
(...)
Em 1847, a Liga dos Justos realiza um congresso em Londres. A divisa por estes proposta “Todos os homens são irmãos” é substituída, por influência de Karl Marx, em “Proletários de todos os países, uni-vos”, já que, ele próprio considerava que existia uma infinidade de homens dos quais não se sentia irmão.
... blá, blá, blá, blá...


(...) Frequentou a Universidade de Direito de Bona mas acabou por se transferir para a Universidade de Berlim, a fim de cursar Filosofia. (...) Em 1841, com uma dissertação sobre Epicuro, licenciou-se, na Universidade de Iena, em Filosofia. As suas ideias radicais impediram-no de seguir a carreira de professor universitário, tendo aceite, em 1842, a direcção do jornal liberal Rheinische Zeitung. Nesta época, Karl Marx evolui de uma concepção humanístico-liberal para o socialismo comunista, sofrendo, então, a influência de Feuerbach. Em 1843, foi viver para Paris, acompanhado da sua mulher Jenny von Westphalen. (...) Em 1845, expulso pelo governo de Guizot, desloca-se para Bruxelas. Engels, com quem travara conhecimento em Paris, ajuda-o financeiramente e acabam por realizar juntos uma viagem a Inglaterra. Karl Marx entra em contacto com a realidade económica inglesa e enceta, junto da Associação dos Operários Alemães radicados em Londres, cuja a situação de exploração pelo patronato era degradante, uma tenaz luta de propaganda e de agitação, criando comissões de ligação com outras organizações operárias europeias. Em 1847, a Liga dos Justos realiza um congresso em Londres. A divisa por estes proposta «Todos os homens são irmãos» é substituída, por influência de Karl Marx, em «Proletários de todos os países, uni-vos», já que, segundo ele próprio referenciou na altura, «existe uma infinidade de homens dos quais de maneira nenhuma me sinto irmão».
... blá, blá, blá, blá...


Ó camarada jovem aluno, para a próxima ao menos identifica as fontes (Tromelgo, Biquinha, etc, etc). Fixe? Fixe!!!

13 comentários:

Anónimo disse...

isto dá direito a indemenização no ambito dos direitos de autor

leitor anónimo do JM disse...

esta é demais pode não dar direito a indeminização mas se ele tivesse o minimo de vergonha demitia-se de director de jornal, olha para ele na coluna de opinião.

Anónimo disse...

Ups! Oh pá, estes gajos são uns melgas...Não podem ver ninguém feliz nem uma camisa lavada (emprestada) a um pobre.
Mas também a tradição já não é como era antes, desde que inventaram á visão biónica, já não se consegue ser rei só com um olho, mesmo em terra de cegos. E a Mestra, de cega não tem nada, conhece o texto de traz para a frente. A vaidade tem destas coisas, o crime e castigo que poderia ter ficado intramuros, está agora na praça pública.

avatar disse...

Mas tudo isto levanta uma outra questão...
Com a net que trabalhas existem por parte dos alunos que são da sua autoria?
quantos trabalhos apresentados são trabalhos de alunos de anos anteriores?
que ensino temos?
agoar não conheço o trabalho do aluno em questão... este copy paste é de dados históricos...
não sei se depois no conteúdo se é do proprio ou não...
E sabem que mais, eu antes mandava às raparigas do souto da carpalhosa poemas tirados da net dizendo que eram meus, mas desde que elas descobriram o google, eu tenho que puxar pela cabeça.
bom avatar, neste caso, bom copy past...

António disse...

Como parece que o Avatar não percebeu (nem clicou em cima do texto para o ler na íntegra no site do JMG), eu lembro uma das chamadas de primeira página desta semana daquele jornal:
"Opinião Pág. 21
Director do JMG escre sobre Karl Marx
António José Ferreira, Director do JMG e aluno do Curso de Gestão de Recursos Humanos do ISDOM, assina nesta edição um texto sobre Karl Marx. Trata-se de um resumo do trabalho que desenvolveu sobre o filósofo alemão na cadeira de Introdução ao Pensamento Contemporâneo, ministrada pela Mestre Ana Brito." Dixit!

Acintoso disse...

Gentinha!... Nem deixam o pobre do rapaz brilhar um poucochinho ainda que iluminado pelas luzernas da 'rede'!
Enfim, uma cambada de estraga f...estas é o que são.

desapontado disse...

É só frustrados neste blogue. INVEJOSOS MESQUINHOS!!!!!!!

Acintoso disse...

Este 'Desapontado', já que não sabe fazer mais nada, apostou no chateanço a ver se a coisa pega!
Mas olhe que não, olhe que não...

Anónimo disse...

Por acaso já alguém se lembrou que existem bibliografias que constam no final dos trabalhos de pesquisa?

É curioso que este excerto figura em muitos outros sites na Internet... e não só.

Sabem porquê?

Será que é a biografia oficial de Karl Marx, universalmente aceite?

r.r. disse...

Ó camarada, quando se cita uma fonte o mínimo que se deve fazer é identificá-la.

desapontado disse...

Penso que deveriam ter mais respeito pelas pessoas sérias, como é o caso do Director do JMG!
Gostava de ver se ele tivesse escrito sobre outra qualquer personagem histórica se o tratamento seria o mesmo. Ou será que não se pode falar sobre MARX?
Contribuam antes com qualquer coisa de valido em vez de falarem mal dos outros!

Já percebi que há aqui pessoas que não gostam de ouvir certas verdades......

Anónimo disse...

Este "Desapontado" está cada mais destrambelhado e com uma retórica cheia de teias de aranha...
Oh pá, a falar assim, de certeza que o Marx não é do seu campeonato, ou pensa que o Homem era uma dessas iminências pardas do PCP?
O Marx morreu, o Lenine morreu também e, por esta andar, o Desapontado já não se sente nada bem!

Wolverine disse...

Caro desapontado:

O que está aqui em causa é o facto de nos encontrarmos perante um possível plágio e não o objecto de que o trabalho trata. Marx é uma personagem que ficará para a História pelo seu contributo para o desenvolvimento não só da ideologia Comunista como para outras que dela derivaram. Pelo que pude apurar, no site leme.pt, não existe referência ao trabalho do Sr. Director. O que configura inevitavelmente uma de duas hipóteses: ou o Sr. Director ou o "Sr. do Site" cometeram plágio...resta saber quem...