.
.

sábado, 29 de dezembro de 2007

é controverso...

A propósito do assassinato de Benazir Bhutto escreve o Deputado Osbaldo, e passo a citar:
“Sirvo-me para título das palavras que "a defensora dos pobres paquistaneses" usou, em entrevista ao "Le Figaro" ,em fins de Outubro passado, poucos dias após um atentado que vitimou mais de 130 mortos e centenas de feridos que assistiam a uma manifestação popular em torno da principal candidata às legislativas no Paquistão.”
Caro Deputado, esta afirmação é no mínimo controversa e até estranha. Em primeiro lugar não é muito vulgar que, como se depreende das suas palavras, mortos e feridos assistiam a uma manifestação popular em torno duma candidata, a menos que a senhora tivesse poderes divinos e os ditos participantes procurassem um milagre para as suas maleitas. Mas já quanto ao atentado propriamente dito, apesar de todos condenarmos o acto, não acha que teria sido bastante pior se o mesmo tivesse vitimado pessoas vivas e de boa saúde, em vez de mortos e feridos? Vá lá Deputado Osbaldo reveja o texto já que numa coisa todos estamos de acordo, a violência nunca tem justificação, nem mesmo num país onde os direitos, liberdades e garantias dos cidadãos são escrupulosamente respeitados e onde a falecida candidata “defensora dos pobres paquistaneses" nunca tinha sido afastada do governo por corrupção.
Mas pior mesmo teria sido se o orçamento da nossa câmara tivesse sido chumbado pelos “novos” deputados do PSD. Bolas, não ganhei p’ró susto!...

4 comentários:

Pirilampo disse...

Pois... eu, quando li o post do deputado Osvaldo Gasto (no Praça Stephens) também reparei no mal alinhavado do texto, mas levei isso à conta de um vulgar 'lapsus scribendi', acompanhado pelo pouco cuidado na revisão antes de afixar o texto no 'placard' do blog...
Acontece, embora não devesse acontecer.
De qualquer forma fica o sentimento (e a memória) do O. Gasto para com a senhora Benazir Bhutto que, apesar de tudo, era a única pessoa com carisma suficiente para dar algum tom democrático às eleições agendadas para aquela imensa (e perigosa) babel que é o Paquistão...
Também me curvo perante a memória da desditosa senhora.

Anónimo disse...

foi um acidente de trabalho

Folha Seca disse...

Caro Osvaldo

Acabei de ler o teu artigo a proposito da "correcção"de linguagem do teu escrito publicado no blogue do J.P.P. Não tenho nada a ver com essa tal correcção. No entanto gostava de te dizer o seguinte.Há algum tempo que de vez em quando mando aqui uns bitaites e uso o anonimato, não por qualquer problema de asssumir o que digo, mas tu sabes que nesta terra e neste país há pequenos e grandes ditadores que usando a democracia que tu e outros grandes lutadores anti-fascistas ajudaram a impantar, não têem pejo em usar os lugares onde estão para perseguirem quem se lhes opõe.Tendo em conta qe este é um blog local, imagina o que seria os responsaveis locais do PCP que têem o poder ( e agora já não está lá o J.B.D) conhecerem os autores de alguns dos escritos que aqui se produzem. Quanto ao anonimato devias fazer um exercicio de memória, pois mesmo em democracia tambem tu o tiveste que usar.
A nivel nacional tambem te queria lembrar o que aconteceu aquele professor de Alcobaça que deu a cara na já longa historia da licenciatura do Socrates...

um abraço e continua a escrever

SAL DE FRUTO disse...

contra a azia e o enfartamento... ENO