.
.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

2º Episódio - Se não fosse a Portela+1 tinha-me aguentado!

4 comentários:

Agarra-te bem! disse...

Assim é que é! Quando estão de acordo comigo, viva a democracia... ao contrário é que é pior.
Metam lá a terceira parte da entrevista a ver se o homem fala de ter pedido a demissão e de não ter sido aceite pelos "amigos" como ele diz.
Diz o dito cujo que há interesses... diga lá excelência, ponha a boca no trombone! Isso é que é preciso! E já agora aproveite e explique quais os interesses obscuros nos bombeiros para lhes ter cortado 75000 euros, e aproveitando a deixa explique também que interesses claros há para ter dado um apoio de 70000 euros à colectividade do Pêro Neto.
Não consigo resistir a uma última...
Será que é verdade que nunca quis receber salário durante estes 2 anos?
Ficam as questões, pode ser que um dia tenham resposta.

Anónimo disse...

Verdade??
Que os rapazes merecem, merecem!!
Mas tirar dos Bombeiros?Não!!!
E os outros???
Por isso se explica a Sua presença no Jantar de Aniversário do Pero Neto, para surpresa dos presentes.

espera aí que já levas disse...

Confesso-me estupefacto pelo que ele disse na entrevista, em que, entre algumas verdades fez afirmações tipo meias verdades e nalguns casos, refinadas mentiras, entre elas a de que a TUMG era ilegal porque não teria existido um estudo económico-financeiro que demonstrasse a viabilidade da empresa.
Para quem tem acompanhado a política no Concelho, certamente se lembrará da Assembleia Municipal ter aprovado esse estudo e a constituição da TUMG, havendo registos nas actas das reservas do rei dos plásticos, porque não se previa remuneração para o Conselho de Administração.
Portanto, o estudo existia e as repetidas referências aos tachos são falaciosas, porque nunca a Câmara pretendeu remunerar o C.A., podendo assumir ela, através dos eleitos, essa função, em acumulação, sem acréscimo de remuneração.
Fica assim como única razão a sua obstinada teimosia, aliás como aconteceu com o novo mercado.
Não deixa saudades este JBD derrotado por um PC cada vez mais dogmático, sectário e retrógado onde ele se revê, porque não é sustentável acusar 3 ou 4 camaradas de o terem saneado, quando se sabe que a responsabilidade é do colectivo e que a decisão foi tomada ao mais alto nível, já depois de ele ter sido chamado ao Jerónimo para um grande puxão de orelhas.
Mais estupefacto fico por saber através deste blog que ele terá retirado aos Bombeiros um subsídio de 75000 euros, para os atribuir a uma colectividade, das mais de 30 do Concelho, aparentemente sem critério e com total falta de rigor financeiro.
Para estes casos, como para os custos com as soluções abarracads de mercados e destruição de património construido, o mínimo que se pode dizer é que foi GESTÃO DANOSA.

Anónimo disse...

Ou espera ai que já levas, por onde tem andado? Olhe que nos últimos 14 anos a "Gestão Danosa" tem sido prática corrente na Autarquia Marinhense!!