.
.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

A opinião de um nabo

Poucos dias depois de ter cantado a “Grândola Vila Morena” da varanda da Câmara, ao lado dos camaradas de coligação, o vereador Oliveira, na sua qualidade de cidadão, “presidiu” a uma conferência de imprensa onde apresentou o Movimento Cívico Independente (MCI).
O que sabemos das suas declarações, através dos órgãos de comunicação social, é que o MCI pretende ir a votos, e que este movimento surge em resultado da análise feita pelos seus promotores, em que se reconhece a degradação da vida económica e social do concelho, o desagrado pela forma de actuação de alguns políticos e o desacordo com as políticas que têm sido seguidas. Passo a citar:

O responsável destacou que a Marinha Grande "já foi um baluarte da indústria, do progresso e da inovação", mas ultimamente "tem sofrido revezes", que contribuem para "o seu atraso social e económico".
Segundo Artur Oliveira, esta situação deve-se "à falta de políticas adequadas", que contribui, também, para a "degradação social e económica".
"Muitos munícipes sentem-se desiludidos com alguns políticos e partidos", reconheceu, sublinhando que "é nesta altura, com estes problemas, que surge este movimento".

Apenas três comentários:

(1) Não posso estar mais de acordo com o Vereador Oliveira! O desastre que se vive na Marinha Grande é, sem sombra de dúvidas, obra de políticos sem qualquer qualificação para os lugares que ocupam e consequência da falta de rumo e de visão expressos na gestão de mercearia que tem sido seguida.
Mas o Vereador Oliveira tem um mérito. Apesar de fazer parte deste executivo, consegui, num raro exercício de auto-crítica política, assumir-se como parte do problema, embora endossando para outros a responsabilidade da situação.
(2) Assim sendo a pergunta que se segue parece óbvia: será então que os camaradas de coligação não leram o que o Vereador Oliveira afirmou? A minha perplexidade em relação ao silêncio do Sr. Presidente e dos dois vereadores comunistas face às criticas expressas e à falta de solidariedade do camarada de vereação (e pilar da estabilidade governativa), é total e absoluta. Será que a maioria comunista “comeu e calou”? Será que aceitou as criticas e a responsabilidade imputadas pelo cidadão Artur? Ou será que por ser véspera de eleições não têm coragem de assumir uma posição? Cá para mim, que sou um nabo nesta coisas da política, acho mesmo é que eles não leram. Mas uma coisa vos posso garantir, se eu fosse presidente e um vereador da minha confiança política tivesse manifestado tamanha falta de solidariedade, não ficaria nem mais um segundo responsável por qualquer pelouro que fosse!
(3) Para finalizar gostaria apenas de um último comentário em jeito de apelo às massas: façamos todos os esforços para ajudar o cidadão Artur e o “seu” MCI a ir a votos. Colaboremos com a nossa assinatura para que possam apresentar listas e incentivemos o seu principal promotor para que prossiga. Será bom e desejável que o faça, para que de uma vez por todas o cidadão Artur / vereador Oliveira perceba a sua insignificância política, para que o povo, democraticamente, se encarregue de lhe dar a tareia eleitoral que merece, pelos quatro anos em que foi um dos piores (se não o pior) vereador de que este concelho tem memória.

Disse!

13 comentários:

anarcabe disse...

Achavam que eu andava a divagar no tópico anterior... pois aqui está o que penso... mas muito melhor escrito.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

MCI esse movimento tem nome de Vírus, ou será que é mesmo um Vírus? do tipo A ou pior.

Anónimo disse...

Parece pois que o grande problema desta terra e do seu marasmo é o AA e não de forma alguma os 3 vereadores da CDU, o seu elenco maioritário da Assembleia municipal e cambada de amigos fracotes com que estes entulharam a Camara ao longo destes 35 anos,,,tá bem, assim tá bem...chama-se a isto "bode expiatorio"...e olhem que eu acho que o AA não vale grande coisa...

Wolverine disse...

Na minha singela e humilde opinião, a melhor maneira de lhe mostrar a sua insignificância é nem sequer lhe dar a assinatura...mas é apenas a minha opinião...

Acintoso disse...

Apoio o Wolverine.
Ao MIC não dou, sequer, nem a benesse da dúvida. Basta ter sido proposto por quem foi.
Quatro dolorosos e longos anos a aturar as incapacidades inatas de tal senhor, são mais do que suficientes!
Só não consigo compreender é o que terá passado pela cabeça de algumas das pessoas (pessoas por quem tenho, aliás, estima) que estiveram na mesa, na apresentação do dito ‘movimento’!!
Admira-me…
Mas, claro está, como a democracia é isto mesmo, eles são livres de o fazerem e lá saberão as razões porque o fizeram!
Tudo bem, mas compreender, não compreendo, embora admita que cada um tem o direito ao seu momento de insanidade mental.

zircónio disse...

A opinião de outro nabo é que: pouco importa o que esse Sr.A.P.O, pensa ou julga, assim como é pouco relevante o que pensa o executivo que ele suporta, nesta altura do campeonato a Cambra está fechada para eleições, e com pudor ou na falta dele os camaradas estão em campanha na conquista do voto há esquerda e no voto há direita, agora com ou sem acordo, vale tudo desde que digam que votem neles!
Lembram-se da tal reunião do PCP/CDU, a tal, com direito a cassete!
O teor da conversa? Há pois é!, lá para os lados do largo do jornaleiro sempre valeu tudo, no entanto cuidado que o fantasma de J.B.Duarte, anda por ai!
Este tal movimento do MCI ou MIC tinha mais dignidade com o verdadeiro emplastro na frente do que com certas figuras candidatas a V.I.P.
Mas… não é por ai que vou, além de que, nem toda a gente, serve democraticamente para minha companhia!
E porque carga de Votos é que, o que resta da CDU/PCP devia pedir explicações ao “seu” magno vereador, eleito nas listas locais do PSD.
Aquilo nunca foi para levar há séria!, ou será que foi.
O PCP/CDU deixou-o arder em lume brando, já sabiam que aquilo eram pelouros de mais para ele, no entanto como ia correr mal, o bom era que jamais lhes podiam imputar responsabilidades. O estado em que ficava a Marinha pouco importava, os camaradas por acaso alguma vez se importaram com a Mª Grande?
Foram-se os ideais, a moral, a elevação e os princípios, e pelos vistos até a Marinha!
Já nem vergonha e democracia existe ou sobra dentro da Câmara Municipal da Marinha Grande.
Vergonha suficiente para exigir respeito e lealdade democrática, dentro de um órgão autárquico, que foi assaltado da vil maneira que todos nós sabemos! Com amigos destes, eu cá prefiro os estalinistas de Cuba!
A bala acaba por não doer tanto!
No entanto dói muito mais ver a Marinha Grande ser tratada com tanta leviandade há conta de cargos camarários com direito a tampa e tacho.
Esses MCI vão fazer o quê com os votos deles, vão vende-los, vão dá-los, a troco de quê e a quem?
Penso que não vale tudo, além que: tudo tem um princípio, um meio e um fim e para este nabo, este tal MIC começou pelo fim.

Viva a Marinha Grande!

Está dito.

Chato disse...

Eh pá, o Zircónio está bravo, mas não deixa de ter alguma (muita) razão.

Deixe-me o Zircónio que lhe diga uma coisa: aqui há tempos houve alguém que sugeriu que se utilizasse o 'word' com corrector de texto para as coisas saírem benzinho. Mas, como se teima em escrever directamente, por vezes o texto sai um bocadinho ao lado.

Vejamos um exemplo aqui no texto do Zircónio. Transcrevo: "Aquilo nunca foi para levar há séria!, ou será que foi." (?)

Ora permita-me o Zircónio, mas há nesta frase, sibilina, duas coisinhas que estão 'fora dos eixos'. A saber: Aquele "há" não haveria de ter o H!
E ‘à séria’ é coisa que só existe no linguajar lisboeta. Nós, os outros, dizemos em bom português -'a sério'.
É mais sério e muito melhor...

Claro, isto digo eu, que lá levarem-se 'a sério' levaram-se eles, os desta desastrosa coligação desnaturada.
Os outros, os que lhe sofremos na pele os resultados de tanto atavismo, esses, jamais o fizeram, pois sempre souberam que aquela rapaziada havia ficado parada no tempo e ancorada a dogmas desfasados da realidade!

zircónio disse...

Pois é mas... o há da tal exigência era o que devia haver naquelas bandas e mais, deveria o Sr. chato ou chata saber que eu não sou de Lisboa, mas Há quem seja e até mande mais do que alguns que são de cá!
Por isso levar há séria, até se enquadra no dito cujo. No entanto agradeço e fico até lisonjeado por V.Excia. concordar com o resto.
Não tenho assim muito tempo para escrever, muito menos para escrever e corrigir no Word e copiar depois para os bitanaites. É que eu, ainda tenho trabalho, nada mais normal que zelar por ele, a não ser que também faça greve, por o meu patrão apenas me dar 2% de aumento.
Não querendo ser mais chato, e considerando também que, a Sra. ou o Sr. Chato estará de acordo comigo mais uma vez, que aquela palhaçada sobre o Nº2 que afinal será Nº3 ou o mais provável numero nenhum!
Era perfeitamente desnecessário, isto é: não habia nexessidade! Ou será que não se pode levar nada hà séria.
Subscrevo-me com elevada estima e consideração.

Anónimo disse...

De tudo o que se lê, deste o texto do blog aos bitaites, o que me parecer revelador é o facto do total desanimo de todos face ao TODO o elenco Camarário. Isso é certo, embora alguns tentem arranjar lógicas de sustentação e de validar a postura do restante elenco, colocando todas os maus serviços ao Sr.Artur Oliveira.

Bem, dito isto, acho que o tempo deveria sim de ser de MUNDANÇA.
Mudança essa que deveria nascer nas pequenas coisas, até no bitates. Deixar de olhar para "o leitederramado" e pensar como se pode voltar a encher " de leite".

Obviamente que todas as iniciativas, candidaturas, listas, podem ser alvo de criticas, de apoios. O importante é verificar os projectos, as ideias para a cidade, e isso, é algo que NÃO EXISTE.

Ninguém tem a coragemde assumir um plano estratégico, uma definiçao de prioridades para a cidade, para o concelho!
PQ?
Porque tal seria contra as habituais campanhas que tudo prometem que o POVO gosta de pensar que vai ser feito, porque depois a realidade é outra!!!!!

Mais grave, TODOS sabem que o que enunciam nunca vai ser feito, porquerapidamente, depois de tomarem o poder, v^m as desculpas:
- os anteriores deixaram as Fiannças assim.....
- Esperamos a aprovação de um apoio
- Surgiu uma necessidade que desocnheciamos
etc
etc
etc

Deixem de nos enganar, e de se enganarem, o Tempo é como no tempo do terramoto de Lisboa:
- Tratar dos Vivos e enterrar os Mortos

Que todos os Marinhences, sejam da Marinah Grande, da Viera de Leiria ou da Moita, tenham a coragem de deixar de dizer mal, e avancem, avancem para a frente e assumam lugares e posições de critica construtia e abandonem o habitual dizer mal de tudo e todos.

Claro que sabemos que o actual Elenco Camarário é Fraco, MUITO FRACO.
Os próprios, sem terem noção dizem isso memso pelos seus gestos:
- Quando todos os politicos afirmam que um projecto politico deve ser de 8 anos, como é que se entende que agora venha a CDU, propor uma lista que mantem apenas e só o Cabeça de lista? não é isto o assumir da fragilidade actual dos Vereadores? querem prova melhor?

Com todos os defeitos, no tempo do Presidente Alvaro Orfão, pelo menos isso não aocntecue, havia uma decisão e ua coerencia de opções!!!!!

Caros Marinhenses Acordem!!!!!
o Tempo Foge

desencantado disse...

Um bom texto, supostamente apartidário. Pena gasta, riscada e descrita por um anónimo do PSD que ajudou a fazer o acordo com o PCP, que é (o bitaite) amorfo o suficiente.

Wolverine disse...

Informação grátis:

Se instalarem o Firefox com o plugin de corrector automático, à medida que escrevem nesta caixinha de texto, serão informados de eventuais erros de digitação ou de Português que possam ter cometido.

:)

Ti Nini disse...

Ai a porca da política!
O Bitaite do Anónimo de 05/07/2009 - 11:39 que acabei de ler fez-me estabelecer uma relação com a notícia que ouvi esta manhã na TSF sobre o lay-off que envolve 150 trabalhadores numa empresa de têxteis de Figueiró dos Vinhos. É que o jornalista a certo ponto introduziu as declarações dum autarca, vereador designado para as actividades económicas do seu Concelho.
Tendo as actividades económicas, indústria, comércio e turismo na Marinha Grande, a importância que têm, para o bem e para o mal, e atravessando o Concelho a devastadora crise que se conhece, será que a CMMG também tem um vereador para as actividades económicas? Ou um gabinete com assessores externos? Ou um observatório? Quem será o responsável? O Sr. Presidente? O Sr. Sérgio Moiteiro? O Sr. Pereirita? Ou o Sr. Artur? Os outros três, já sabemos que não! Há muito que aceitaram ser vereadores virtuais.
Uma coisa sabemos, é que no fundo, e mesmo em crise, as empresas apenas são consideradas para lhes sacar dinheiro, em taxas e coimas, certamente legais, porque juristas não lhes faltam, mas completamente despropositadas face à realidade.
É o que temos.
E pelos vistos é o que merecemos!