.
.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

tá bem, eu sei que é do fundo do coração, até porque chefe é chefe. e depois é sempre bom começar com o pé direito...

16 comentários:

Estou na fila disse...

O brilho é resplandecente, não é do magnifico sol que se tem feito sentir, mas da graxa.

Desejoso disse...

A ambição e o carreirismo partidario no seu melhor. Oxalá continue, e já agora que seja bem longe da nossa terra, por exemplo no parlamento europeu.

Ti Nini disse...

Oh Desejoso (será o nome premonitório?), estou de acordo. Devemos é pedir a todos os coerentíssimos e esclarecidos Marinhotos, a todos quantos se julguem quase tão capazes, (tão, porque igual é impossível) como os Moiteiros, os Traineiras, os Surfistas, os do Brinco, e também os Curtos electricistas, os Artures Autocolantes, moradores por cá ou em lares da terceira idade fora da Marinha, a todos, que não serão de mais - pedir-lhes que regressem e venham ocupar e assessorar a Vereação, não vá o estilo perder-se num qualquer contratempo.
O Homem até pode ser carreirista, estar-lhe-á no gosto. Mas compará-lo com isto que temos por cá...
Ai estes Florianos...

Anónimo disse...

JOB FOR THE BOY´S
no seu prior formato!!

Wolverine disse...

O tempo que João Paulo Pedrosa perdeu a encontrar no dicionário adjectivos para "abrilhantar" tanto o que sai como o que entra teria sido melhor utilizado para explicar o porquê da abstenção na votação do Leclerc...

Mas será que não há um que se aproveite?

Marinhense atento disse...

Vamos lá, admitamos que há por aqui muita dor de cotovelo...
Disso não me restam dúvidas de maior, embora eu tenha de admitir que o Paulo Grandão da Riviera faria melhor em estar calado, uma vez que, parece, irá secretariar o novo governador civil.
Como desconheço o senhor em causa, não faço quaisquer juízos de valor, mas não posso deixar de afirmar que lhe compete dar provas do que pode (deve) fazer pelo nosso distrito, embora reconheça que, actualmente, um governador civil não pode fazer coisas por aí além...
Agora daí até se começar já com louvaminhas!...

Anónimo disse...

O rapaz tem jeito!
Vá lá. Reconheçam!
Ele sabe o que faz e com pézinhos de lâ e doce linguarejar, lá vai levando a água ao seu moinho, que roda ao sabor do vento que vem de um Parlamento, seja ele em S. Bento ou em Estrasburgo.
Vai longe, porque tem um mestrado feito em politiquice, um curso de formação profissional de artes manipulatórias e um estatuto de "chefe político" com provas dadas, que deixam os caciques a fazer o papel de meninos de coro.
Bom proveito.

Praça Stephens disse...

Normalmente não utilizo este espaço de anonimato, embora, de vez em quando, o leia.
Como sabem coube-me a mim uma indicação fundamental nesta escolha do governador civil, portanto é óbvio que a pessoa só me pode merecer referencias elogiosas. Já agora, para quem não conhece, o professor Paiva de Carvalho foi médico na Marinha Grande entre 1972 e 1975 sensivelmente.

Anónimo disse...

O Prof. J.H. Paiva de Carvalho é um homem inquestionável, do maior carácter, um exemplo. Só não entendo pq ele se dispôs a aturar todas estas "virgens no bordel" !!!
Quanto ao Paulão, não vem mal ao mundo, o rapaz tem "esperto no cabeça" e é sério. Deixem o homem em Paz. Será um ótimo deputado.
Preocupem-se com os Alta Tensões, Autocolantes, Xanokas, Barbaças, Misericordiosos, perigosissímos esses, a ralé da política nem conta(eles andem por aí), uns mais interesseiros que outros.
Os que sabem mamar calados são os piores.
Sem paciência pra mais...
Bye Bye

Anónimo disse...

"Como sabem coube-me a mim uma indicação fundamental nesta escolha do governador civil, portanto é óbvio que a pessoa só me pode merecer referencias elogiosas."

Sou militantre socialista de outro concelho que não o da MG e ao ver o comentário da "Praça Stephens" presumivelmente da autoria do meu camarada e presidente da Federação, fico chocado com tamanha petulância. É certo que não conheço bem o camarada João Paulo e quero dar-lhe o benefício da dúvida- foi alguém por ele certamente quem escreveu comentário tão infantl e gabarolas. Peço, por isso aos meus camaradas da MG que privam com o presidente da Federação que façam o favor de lhe sugerir que DESMINTA E SE DEMARQUE deste tipo de comentários tão impróprios quanto inoportunos. O PS do distrito nunca pode ser a Marinha Grande e um certo circulo de amigos em circuito fechado.Eu, pelo menos, não me revejo num partido assim, paroquial , no tratamento de assuntos que interessam a TODO o distrito.
Assina o militante nº 96069
Saudações socialistas

Anónimo disse...

Desculpa lá "camarada". Tu não o conheces, mas nós conhecemos. Ele não pode desmentir porque foi ele que escreveu. Se a tua desilusão for assim tão grande, compra um lenço, limpa as lágrimas e assoa-te.
O homem é mesmo assim. Grande na altura, pequeno na "estatura".

Praça Stephens disse...

Rogério Raimundo dizia há dias a um camarada meu o seguinte: se vocês soubessem quanto os meus camaradas da Marinha Grande odeiam o João Paulo Pedrosa...
Nunca tive, ao contrário de muitos e desde o tempo em que chegava à Marinha e lá tinha uma placa a dizer Moscovo, medo dos comunistas. Sempre os combati naquilo que para mim é essencial, a política. Se eu não fosse o que sou, com os meus defeitos e virtudes, há muito que tinham acabado comigo, tal o ódio que me dedicam e que aqui, militantemente, não se cansam de lembrar.
Não são insultos de cobardes anónimos que me quebram, disso podem ficar seguros é por isso que não tenho problema nenhum em responder às insinuações destes comentários.
1º - Só um ignorante destas coisas da política pode pensar que um governador civil pode ser nomeado sem a anuência do presidente da federação;
2º - Se o anónimo fosse militante do PS sabia que na reunião da comissão política distrital fui mandatado para propor nomes ao ministro da administração interna;
3º - Portanto dizer que me coube uma parte de responsabilidade na escolha é, apenas, dizer o óbvio, aquilo que todos os militantes de Leiria do PS sabiam;

torrente disse...

caro anónimo sr. praça stephens,
embora a probabilidade de ler este bitaite seja remota uma vez que só por aqui passa de vez em quando, mesmo assim como autor deste post deixe-me que lhe diga o seguinte:
- não creio que alguém tenha sido insultuoso. estou certo que se tal tivesse acontecido esses comentários seriam imediatamente eliminados.
- quanto a mim (e à natureza do post) a questão não é pessoal, a questão é outra e sobre essa ninguém se pronunciou. é a forma como se faz política, e esta é uma questão transversal a todos os partidos.
parece-me óbvio e lógico que quem tenha participado na escolha duma pessoa para um cargo venha defender e elogiar essa escolha publicamente. mas o que é bom não esquecer é que neste caso quem fez essa escolha e esse elogio é simultâneamente o seu futuro mais próximo colaborador. não deveria ter havido aqui alguma "contenção"?
não é justo duvidar da seriedade da mulher do César só porque ela saíu com um centurião para beber um copo. o problema é se ela só regressa tarde e más horas toda descomposta... é que aí vai ficar sempre a dúvida.
- quem vai ocupando diversos cargos públicos sucessivamente e durante algum tempo, tem de aprender a conviver com a crítica política, venha ela de quem se conheça ou não. e já agora a conviver com a sátira. ou isso só vale se forem os gato fedorento ou o contra informação a fazê-lo? olhe que nós às vezes também temos muita piada. alguma piada. um bocadinho de piada. prontos, não temos piada nenhuma. a menos que estejamos a falar dos outros e aí voltamos a ter piada...

Praça Stephens disse...

Meu caro Torrente
só quem não me conhece ou não convive de perto com o que escrevo é que pode imaginar que aceito mal a crítica. longe disso, se se der ao trabalho de ir ver os diálogos que mantive, durante a campanha eleitoral, em vários blogues do concelho pode constatar justamente o contrário. quanto à substancia do seu comentário, já muito nuanciado em relação às apreciações anteriores quero-lhe dizer o seguinte:
Se o ponto ou a dúvida é eu ter feito o elogio para garantir o lugar é óbvio que isso não faz sentido por uma razão simples. A equipa do governo civil que tem como função representar o governo no distrito foi pensada em conjunto com quem de direito. Escolheram-se as pessoas pelas suas características pessoas, pelas suas competências e pela sua capacidade (presumida, obviamente) de desempenhar bem cada uma das tarefas que lhe estão acometidas. Simples.
cumprimentos
JPP

Anónimo disse...

Conclusão...
Ele é o Maior, eu dou o Maior, nós somos os melhores e por isso fomos escolhidos.
Ok. Estou convencido. Siga para Bingo...

Anónimo disse...

Estou esclarecido.
Por motivos que considero mais importantes nunca consegui, embora o tivesse solicidado, a intervenção do presidente da minha Federação.
O 96069 agradece expeditos e oportuníssimos "esclarecimentos".
Obrigado.
Saudações Socialistas.