.
.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Passatempo das Calhandreiras



Uma vez que o bacalhau está entregue, aqui vai para um garrafão de azeite extra-virgem de 154 octanas (directamente do lavrador, que o compra em Espanha e o vende no mercado da feira dos porcos, como alguns por malícia lhe chamam). Não, pensando melhor um garrafão é pouco, cinco garrafões e dois quilos de pêra rocha que esta não é para qualquer um. Cá vai alho:

“Não se tolera que um vereador que faz de fiel da balança, vote algumas vezes com a maioria o que também acontecia quando eram poder, o qual, com sentido de responsabilidade, compromete o seu voto com os superiores interesses do concelho e se alheia das tricas partidárias.”

Querem uma dica? Já dei.
Caso ninguém acerte já sabem, vai para o fundo de apoio ao alargamento da Zona Industrial.
Olhem que o azeite é mesmo do bom...

5 comentários:

Pirolito disse...

Tão doutas palavras só poderão ter sido (bem)ditas pelo senhor professor doutor Guilherme Stephens!
Aposto a como ganhei o garrafãozinho e as peras...!

ganacioso disse...

Eu não sei quem foi mas quero o prémio.

mula velha disse...

"o qual, com sentido de responsabilidade, compromete o seu voto com os superiores interesses do concelho e se alheia das tricas partidárias.”

Não estão a falar do Artur Autocolante, pois não? É que se estiverem é uma das mais belas declarações de amor que ouvi em toda a minha vida. Quem feio ama, bonito lhe parece, não é?

Anónimo disse...

Cá para mim cheira-me a discurso do arquiteto, engenheiro, desenhador, ex-vereador do PSD (de onde poderia ser?)de seu nome, João Cruz.
Será que acertei?

Zézé C'a Marinha disse...

Solução:
Eu bem avisei que era dificil...
Pois é camaradas, a frase pertence ao Dr. Advogado João Pereira e pode ser lida no blogue dos jovens do PPD.
Quanto ao garrafão de azeite, já era...