.
.

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Revista de Imprensa

2008-09-29 18:25:00

"PS da Marinha Grande acusa Câmara local de "leviandade" na implantação do Mercado Municipal"

O PS da Marinha Grande anunciou hoje que vai fazer participações à Inspecção-Geral das Autarquias Locais e à Procuradoria Geral da República pela implantação do Mercado Municipal em terrenos do Plano de Pormenor da Zona Desportiva da cidade.

Hoje, os socialistas reiteraram acusações de há um ano à maioria PCP/PSD, pela “atitude leviana” com a instalação do Mercado Municipal naquele espaço, reforçando-as com críticas de “negação de informação” pela demora na entrega de um parecer da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), que, dizem, conclui que o mercado está a violar aquele Plano de Pormenor (PP).

“Os vereadores do PS sempre tiveram razão quando disseram que a instalação do mercado" em tendas na Zona Desportiva "violava o PP. Mas a maioria PCP/PSD não ligou nada e avançou na mesma”, afirmou à Agência Lusa a presidente da Concelhia do PS da Marinha Grande, Teresa Coelho.

“Em Outubro de 2007 votámos contra as intervenções naquela área. Agora quem tem de decidir é o tribunal. Vamos aguardar que se faça justiça”, disse Teresa Coelho, acrescentando ser necessário "apurar quem paga as despesas que foram efectuadas com a instalação e manutenção do mercado” em terrenois do Plano de Pormenor da Zona Desportiva.

Segundo a dirigente local do PS, “a verba que foi divulgada ascende a cerca de 480 mil euros”.

Em causa está também, apontou Teresa Coelho, a violação do Estatuto do Direito da Oposição, pela “negação de informação”.

“Através da Assembleia Municipal pedimos o parecer [da CCDRC] em Setembro de 2007 e reforçámos o pedido em Dezembro do mesmo ano. Não obtivemos resposta e verificámos que foi recebido pela Câmara em Junho e que nos foi entregue agora”, disse Teresa Coelho.

O presidente da Câmara da Marinha Grande, Alberto Cascalho (CDU) reconheceu “tempo excessivo na resposta” ao pedido do PS, mas adiantou que o executivo está “de consciência tranquila” quanto à instalação do Mercado Municipal na Zona Desportiva.

“Quando instalámos ali o mercado, fizemo-lo com a convicção de não estarmos a violar o PP", disse Alberto Cascalho, adiantando que existe um parecer do Gabinete Jurídico da autarquia, que o PS também conhece, o qual "conclui em sentido inverso ao da CCDRC", dizendo que "não há violação do PP porque não há obra definitiva. Trata-se apenas de obras provisórias, com instalação de tendas que a qualquer momento podem ser levantadas” e que ali estão “exclusivamente em defesa do interesse público dos marinhenses e do município”.


(surripiado do Região de Leiria)

11 comentários:

Anónimo disse...

Já agora não se esqueçam do Mercado do Atrium

Anónimo disse...

E da estrada do Modelo

Anónimo disse...

E ainda da obra da rotunda do Mcdonalds que ainda hoje é um lindo cartão de visitas, ...tenham vergonha!!!

Anónimo disse...

Esperem... estava a esquecer-me dos terrenos na Praia da Vieira por troca do Atrium, seria bom que a verdade fosse conhecida para bem da cidade que merece melhores "politicos".

Anónimo disse...

Então e a sub-estação da EDP na Zona Industrial?

Acintoso disse...

...e não há mais nada?!
O apontado poderá ter algumas incorrecções e até más (ou muito más) decisões.
Mas que nos diga este pressuroso e diligente anónimo, o que é isso comparado com a imensa m***a feita até aos dias de hoje por este executivo de meia tigela??..
O resultado está à vista de todos e ainda não disse ao que vem!

Anónimo disse...

Realmente o PS tem uma moral cristalina, imaculada para falar sobre o mercado...tenham vergonha...tenham a ombridade de assumir o péssimo trabalho desenvolvido nesta pasta...oposição assim até eu faço...políticos de meia tigela, sem qualquer interesse em defender os interesses e direitos de quem os elege...e de quem lhes paga o ordenado simbólico ao fim do mês...e assim anda o concelho...

Um marinhense disse...

No tocante ao mercado as coisas não foram, de parte a parte, bem conduzidas...
Muita rivalidade, muita presunção e pouca vontade de compreender os verdadeiros interesses das pessoas, atiraram as pessoas para o triste ponto em que estão, com resultados bem visíveis quer no respeita ao desperdício de recursos, quer na perda de tempo!

Vieirense Lixado, disse...

Bem sei que dar ouvidos aos outros nunca foi o forte da anterior Câmara Socialista, e que os seus agentes foram quem melhor personificou aquela máxima das certezas do Cavaco.
Bem sei que muitas vezes foram os próprios correligionários e apoiantes que os forçaram a não dar ouvidos - Nós é que ganhámos, não foram os "comunas" nem os independentes!
Mas que raio, não me recordo de ter havido, nesse tempo, antes do erro, uma oposição assim tão forte e determinada ao projecto do mercado do Atrium, que agora todos diabolizam!
Oh senhores da coligação maravilha, não há outras soluções? Não acham que o serviço público que juraram prestar foi mais uma vez esquecido pela mais pobre das cegueiras políticas?

Anónimo disse...

Ou Amigo Vieirense deve andar a comer bom Queijo!!!Talvez Limiano!!!Quem sabe?
Já se esqueceu que nessa altura o PS estava com Maioria Absoluta na Camara Municipal? Também deve estar lembrado do que disse a Oposição na altura? Ou a sua memoria não atinge mais??

Wolverine disse...

Caro anónimo:

O processo do Mercado Municipal, na minha modesta opinião, já nasceu um pouco torto, mas uma coisa lhe digo: nem foi tanto por culpa da população que ficou tudo em águas de bacalhau. Se o PCP não tivesse andado a envenenar vendedores e, por contágio, a população, teríamos agora um Mercado aberto e com condições. Aconteceu o mesmo com o Parque do Chumbo, perdão, da Cerca... sabe que uma mentira repetida acaba por se tornar verdade...