.
.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

REENTRE - O Discurso da Treta



Camaradas,

durante dois meses o Largo das Calhandreiras esteve em silêncio. Durante dois meses não houve calhandrice decente e à altura dos pergaminhos da nossa terra. Durante dois meses não houve forças de bloqueio nem contributos para perturbar o normal funcionamento das instituições democráticas e das outras.
Mas, caros camaradas, face a esta conjuntura favorável e à conjugação não menos favorável dos astros (é bom não esquecer que em termos de Ascendente tivemos Júpiter na casa 9 em Sagitário), a pergunta impõe-se, camaradas: mas afinal o que é que de realmente relevante se passou na Marinha Grande durante a nossa “ausência”?
A resposta a esta questão camaradas, é óbvia: tirando a revelação surpreendente a respeito dos problemas sexuais do cão Rufia e o episódio do Sr. Piriquito da França a levar umas pêras nas vésperas dos grandiosos festejos em honra do S. Pedro de Moel, na nossa cidade não se passou NADA DE REALMENTE IMPORTANTE. Uma vez mais o essencial não se discutiu, as decisões importantes não se tomaram, a verdade foi maquilhada de acordo com as estratégias e as lógicas de poder, e os maus exemplos vieram sobretudo dos que têm maiores responsabilidades, contribuindo assim e uma vez mais, para o descrédito das instituições e dos seus próprios representantes.
Camaradas, urge devolver a dignidade, a seriedade e a confiança à vida publica marinhense. Da política ao desporto, da economia à comunicação social, dos partidos às associações cívicas, devemos exigir seriedade e verdade. Os poderes instituídos não podem ser palco para cegadas e números artísticos de qualidade duvidosa, onde a promoção de uns quantos é posta muita acima do interesse da causa e da coisa pública.
Camaradas, face ao desempenho ora desastroso ora ausente dos “nossos” lideres, não nos resta outra alternativa ou caminho senão o de sempre: A LUTA CONTINUA! A LUTA CONTINUA! A LUTA CONTINUA! Ou como dizia o outro: a brincar, a brincar...

3 comentários:

Wolverine disse...

Ora sejam muito bem-vindos caros colegas!

Vamos lá a começar a desbobinar calhandrices...

Eu só tenho uma: apareceu uma passadeira nova ali para os lados da Rotunda do Vidreiro...

A pergunta que se põe agora é: Depois da desgraça que são os novos semáforos nas Cruzes, uma lomba enorme bem à saída de uma rotunda não irá criar mais lentidão ao trânsito? Mas em que pensava a mente brilhante que teve a ideia para gastar dinheiro dos munícipes naquela obra? Bloquear a rotunda? Aumentar a capacidade de escoamento de peões naquela zona? Sinceramente, não entendi...

Wolverine disse...

Desculpem lá, mas dois meses a seco é algo de muito difícil de aguentar...

:)

Anacleto Fontaínhas disse...

Ora cá está uma entrada que corta a direito. Aqui comem todos. Os que estão no poleiros e os que a ele aspiram!
Assim é que está bem, pois se uns têm que raspar, aos outros, e nesse capítulo, também nada lhes falta e até a ‘nossa’ ‘folha de couve’tem também muito que se lhe diga.
Gostei. Agora vamos lá a ver se a prática não nos vai demonstrar que aqui o Largo passa ao largo da contaminação.
A nossa Marinha Grande merece que por ela olhem sem ser através de lentes distorcidas ou com olhos vesgos...
Cá estarei para ir comentando o que por aí vier e para dar o meu contributo calhandreiro q.b..
Contem com cá com o Anacleto…