.
.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Revista de Imprensa

«Comissão denuncia descarga poluente "impressionante" na ribeira dos Milagres»


Leiria, 06 Set (Lusa) - A Comissão de Ambiente e Defesa da Ribeira dos Milagres denunciou hoje a existência de uma descarga "impressionante" de efluentes suinícolas naquele curso de água, afluente do rio Lis.

O porta-voz da comissão, Rui Crespo, explicou à Agência Lusa, que se trata de "uma descarga considerável", classificando a situação como "grave".

"Nesta altura é ainda mais inaceitável, porque estamos em plena época balnear", considerou o responsável.

"Hoje, de certeza absoluta, a influência desta descarga tem de se notar na Praia da Vieira", disse Rui Crespo, que deu conta do sucedido à GNR de Leiria.

"Liguei e disseram-me para telefonar a partir das 09:15 porque não estava lá ninguém do serviço ambiental", afirmou Rui Crespo, considerando "não ser esta a resposta que as autoridades devem dar perante mais um atentado ambiental".

O porta-voz da Comissão de Ambiente e Defesa da Ribeira dos Milagres explicou que sexta-feira à noite "apercebeu-se da existência da descarga", embora de menor dimensão.

"Agora a espuma é muita, parece que deitaram até detergente, porque a água parece um líquido branco, que se assemelha a leite", referiu Rui Crespo.

O dirigente lamentou o aproveitamento "da chuva, da noite, do fim-de-semana", combinação "useira e vezeira para a ocorrência de descargas".

"É assim que começam as descargas. Às vezes são traídos, porque anuncia-se chuva e ela não aparece, e as coisas são mais visíveis", comentou o responsável.

A ribeira dos Milagres cruza com o rio Lis na zona da Ponte da Pedra, concelho de Leiria.

O rio Lis desagua por sua vez na Praia da Vieira, concelho da Marinha Grande.


(surripiado do JN)

3 comentários:

Anónimo disse...

É só merda!!!

Vieirense lixado disse...

Como é possível que no mesmo país coexista o rigor da ASAE e a permissividade dos responsáveis pela fiscalização das normas ambientais, o assobio para o lado dos responsáveis locais pela saúde pública, a cegueira e falta de olfacto das polícias e a criminosa conivência dos nossos autarcas eleitos?
Nem as moscas mudam! Tal como antes, os responsáveis são todos fortes em discursos, mas na prática, é como dizia o outro, - fortes com os fracos…fracos com os fortes - que isto do império do porco, tem muito peso.
Será que ninguém neste distrito tem coragem de exigir o cumprimento da lei?
Porque será que os nossos autarcas nunca se bateram firme e convictamente por uma solução? Não se dão conta que este estado de coisas está a matar de forma acelerada as potencialidades da região e ainda por cima, ainda que inadmissível, sem qualquer benefício para os locais, do ponto de vista económico, do emprego e social?
Reparem que a Vieira, além das descargas dos porqueiros criminosos que lhe poluem águas e areais de maneira irremediável, ainda teve que suportar a perigosa vizinhança da mega ETAR do Norte e nem sequer beneficiou com a anulação da ETAR local, construída com tecnologia do tipo soviético, já ao tempo ultrapassada, que é hoje fonte de mau cheiro permanente e de poluição visual, dum local que poderia ser dos mais nobres – as margens do Lis, já tão próximo da foz.
Que mais maus-tratos “nas barbas” ou com a conivência dos responsáveis vamos ainda ver a nossa Vieira sofrer?

Anónimo disse...

Estou solidário com o vieirense lixado