.
.

segunda-feira, 23 de março de 2009

Revista de Imprensa

"Descarga de ETAR desactivada provoca polémica"

Uma descarga a partir de uma Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) já desactivada em Escoura, Marinha Grande, poluiu uma linha de água próxima, estando o caso a provocar polémica local, por ter sido de iniciativa da autarquia.
A descarga ocorreu no final do mês de Fevereiro e, poucos dias depois, o PSD local recolheu amostras de água para análise, tendo sido detectada "carência biológica de oxigénio" no limite permitido por Lei (40 mg/l) e 250 mg/l de "sólidos suspensos totais", o que ultrapassa o parâmetro legal de 60 mg/l.
Em comunicado, a Comissão Política Concelhia do PSD considera a descarga "um crime ambiental" e participou o caso à GNR.
"Esperemos que os responsáveis não permaneçam anonimamente impunes dos seus actos ilegais e nefastos para as populações, tal como infelizmente tem acontecido frequentemente por parte do actual executivo da CDU", lê-se no documento.
Alberto Cascalho (CDU), presidente da Câmara da Marinha Grande, disse à Agência Lusa que os tanques da ETAR foram "completamente esvaziados aquando da desactivação" da infra-estrutura.
Porém, com a "forte pluviosidade" registada entretanto, os tanques ficaram "quase a transbordar" e a autarquia concluiu que a água se apresentava "limpa, transparente e inodora, nada indicando que estivesse poluída", pelo que foi ordenada pelo vereador do Ambiente, Artur Oliveira (PSD), a abertura da parede de uma bacia de tratamento de água, levando ao esvaziamento do tanque para uma ribeira próxima.
O presidente da autarquia adiantou que quando foi alertado para a situação - de possível contaminação das águas - já o tanque se encontrava com a água das camadas mais profundas expostas.
"Era então visível a opacidade da água, o que me levou a ordenar o fecho imediato do tanque e a realização de análises", disse, adiantando que os resultados dessas análises revelam que "alguns parâmetros estão acima dos valores de referência", por "serem águas estagnadas há cerca de um ano".
Ainda segundo Alberto Cascalho, a autarquia está a tomar medidas para que as águas ainda retidas nos tanques tenham o tratamento adequado.
O objectivo é "aterrar o tanque de oxidação e o decantador secundário, de modo a nivelar o terreno, garantindo assim as condições de segurança necessárias e desejáveis a este espaço", acrescentou.


(surripiado do Diário de Leiria)

8 comentários:

anarcabe disse...

Os PSD´s da terra vão dizer que foram eles que levantaram a lebre.

Parece-me que foi o vereador Artur, que assim que abriu o rasgo para o ribeiro da Escoura, lhes telefonou...

A brincar a brincar...

Mas onde é que andam os PEV's?

Anónimo disse...

Vejamos mas é se alguem se demite, ou paga do seu bolso a multa que camara vai levar do ministério do ambiente, (bem pesadas) , tais com as que levou já muitas vezes pela porcaria que andou a descarregar anos a fio na ETAR da Vieira.. a culpa são dos porcos, ah pois é., pois é...

Anónimo disse...

Este anarcabe tira-me do sério


Deve ter sido o BE que levantou a lebre, querem ver.



As descargas da Vieira, quem é que denunciou, também foi o BE ??



Ufa .....

anarcabe disse...

Se não for o PSD, não sei como iremos sobreviver.

Mas como vão "ganhar" a CMMG, escusamos de ficar descansados, ups, se calhar é ao contrário.

Não se aborreça, mantenha-se sério.

anarcabe disse...

E "cadê" os PEV´s??

Anónimo disse...

Não sei se já repararam que o presidente da autarquia em cada entrevista/declaração altera a sua versão dos factos... interessante, não é?

Anónimo disse...

Os verdes cade os verdes porra ta tudo a dormir, nem uma MANIF nem um protesto, nada?
Hipocritas!!!!!

folha seca disse...

Pelas brilhantes ideias que aqui vão sendo expostas e claramente identificadas no que respeita á tendencia politica dos seus autores, ainda aparece por aí um publiciário que as aproveita e faz um excelente negocio vendendo-as a uma das candidaturas emergentes, pois por aí não aparece nada de novo, ou seja só aparece mais do mesmo...