.
.

terça-feira, 6 de março de 2007

Que Maravilha - I



Como o prometido é devido, o FLC orgulha-se de apresentar "As (outras) 7 Maravilhas da Marinha em Grande".
Hoje apresentamos as magníficas instalações da RN, conhecido ex-libris da cidade vidreira. Boa localização, boas áreas, condições de conforto acima da média, pessoal simpático e acolhedor, "banco corrido" exterior, climatizado e panorâmico, estacionamento na via pública em faixa própria, semáforo privativo, a dois passos da estação dos Correios, a três do Mini-Preço e a sete da Resisto Cibil, equipado com "bancos para reformados", uma autêntica jóia da coroa. Algumas mentes retorcidas e mal intencionadas já aventaram a hipótese da sua deslocalização situação que se traduziria num inqualificável atentado a esta maravilha, com consequências sociais e até económicas inimagináveis. Ainda bem que ideia nunca foi avante, livra!...

5 comentários:

Anónimo disse...

FLC, deixe-me fazer uma pequena adenda oara completar o retrato, e reforçar a ideia de que o espaço é "excelente":
É que o traço amarelo não é da RN (o amarelo não é o da "Carris"), é o da Renault.

vinagrete disse...

Não sei porquê, mas a verdade é que a participação neste blog, após a morte não anunciada do que o precedeu, não tem expressão e é pena, porque a partir de abordagens aparentemente cómicas de assuntos sérios, se poderiam fazer comentários com substância, pouco importando de que quadrante é que surgiam os bitaites.
Quanto à R.N., importa dizer que a solução que os "outros" encontraram, concentrando no Centro Multi-modal de transportes as várias ligações rodoviárias possíveis, tem projecto aprovado pela DGT, com parecer favorável da RN, com fortes possibilidades de ter financiamento garantido, mas tem também um "inconveniente" que parece ser inultrapassável, tal como o Mercado, o Teatro Stephens e a TUMG. Foram os "OUTROS", aqueles malandros, que desenharam os projectos. Por isso e SÓ POR ISSO, o já famoso Auto-Colante e o velho Marreta que lidera a coligação PCP/PSD, mandam tudo para o caixote de lixo e dedicam-se, afanosamente, a cortar subsídios aos Bombeiros, às escolas, aos clubes, a tapar afanosamente alguns buracos no alcatrão e a abrir mais buracos na nossa paciência, ao mesmo tempo que, qual "TIO PATINHAS", ACUMULAM EUROS EM DEPÓSITOS A PRAZO.
Haja paciência e espere-se um milagre.

amigo do FLC devidamente identificado disse...

"Não sei porquê, mas a verdade é que a participação neste blog, após a morte não anunciada do que o precedeu, não tem expressão e é pena, porque a partir de abordagens aparentemente cómicas de assuntos sérios, se poderiam fazer comentários com substância, pouco importando de que quadrante é que surgiam os bitaites."


Caro Vinagrete,

em resposta à sua inquetação e porque ainda há gente inteligente,
vale a pena invocar Carlos Oliveira e Manuel Freire:


Não há machado que corte
a raíz ao pensamento
não há morte para o vento
não há morte

Se ao morrer o coração
morresse a luz que lhe é querida
sem razão seria a vida
sem razão

Nada apaga a luz que vive
num amor num pensamento
porque é livre como o vento
porque é livre


Bem haja!

Viva o FLC!

São Pedrocas disse...

Tenho assistido, ainda que com algum distanciamento, à evolução (ou será involução?...) deste nosso -continuo a tratá-lo assim - Fórum do Largo das Calhandreiras e, infelizmente, não posso estar mais de acordo com o VINAGRETE.
É, de facto, pena que não estejamos a aproveitar as potencialidades deste espaço para, de forma mais ou menos parodiada ou mais ou menos séria, irmos discutindo as coisas da nossa terra.
Sei que os meus comentários valem o que valem, mas, no que me toca, irei fazer um esforço para ser um pouco mais assídua…

Comentando esta entrada sobre as ‘maravilhas’ cá do burgo, eu direi que as instalações que se diz serem da RN (ou lá o que quer que seja), pura e simplesmente não existem!
Sim, não existem porque não se pode chamar instalações a uma diminuta e desconfortável sala de espera.
O que vejo ali, diariamente, é um magote de infelizes que, tentando ‘campear’ as condições meteorológicas, aguardam, estoicamente, pelos autocarros que primam em atravancar a via!
Isso vejo!...

Os ‘outros’, dizem, fizeram planos, definiram projectos, traçaram objectivos para por fim a este deplorável estado das coisas. Mas como dizia Sá de Miranda: “Oh! Cousas todas vãs, todas mudaves, qual é tal coração que em vós confia?...”. Zás. Mudaram os tempos, chegaram estes e, eis que tudo foi parar, se não ao caixote do lixo, pelo menos ao rol do esquecimento.
Os da foice e do martelo - porque se é dos outros não presta… o das setinhas laranja - porque de ideias morreu por ali… Assim, nunca mais ninguém ouviu dizer: ‘Olhe c’a gare não é aqui, é lá mais abaixo’!... Silêncio!... Só silêncio. Um silêncio sepulcral, à semelhança de muitos outros silêncios que por aí vão e em que é fértil esta coligação contra-natura …

Mas, já agora, deixem-me que vos diga com toda a sinceridade que, apesar de eu não conhecer o tal dito projecto arquitectado pelos ‘outros’, tenho de vos dizer que se a sua localização for a que ouvi referir – as traseiras da Mobil- , também não me parece ser uma solução consistente, já que se poderia ganhar em comodidade do espaço, mas, não tenho dúvidas, que se iria criar naquele parque (hoje já praticamente cheio) um valente ‘molho de brócolos’ no ao trânsito diz respeito.

Este é assunto sério que merece muita ponderação. Parece-me. Será que a nossa Cambra está calada por estar a matutar no assunto?? Responda quem souber…

Pirolito disse...

Ora aí está. O VINAGRETE e a São Pedrocas estão cheios de razão.
Eu, cá por mim, voto nesta MARAVILHA marinhense. Isto é, voto pelo seu deparecimento... rápido.
Ou como se dizia no tempo do PREC: JÁ!