.
.

sexta-feira, 1 de junho de 2007

A Cambra vai encerrar? (mais uma jornada de luta)

Centenas de milhares de munícipes preocupados com o baixo nível de execução orçamental da cambra e com as notícias que têm vindo a público sobre o “mau ambiente” entre João Barbas e o partido, decidiu constituir a Comissão de Utentes para a Defesa da Cambra, a qual irá promover acções de luta contra o seu encerramento. A primeira iniciativa será uma manifestação em frente aos Paços do Concelho, a qual conta desde já com o apoio do Dr. Delgado da Higiene que considera que a cambra “tem todas as condições de limpeza e salubridade para funcionar”.
O Dr. Engº Anónimo I - devidamente identificado, presidente da dita comissão em acumulação com a presidência da Comissão das Vítimas da Contaminação do Parque da Cerca, refere que os munícipes descontentes estão dispostos a ir até às últimas consequências. "Vamos até onde a população quiser", disse o responsável. Questionado sobre a veracidade de tal hipótese (encerramento da cambra) e sobre a oportunidade da manifestação, o Dr. Engº Anónimo I - devidamente identificado, respondeu que ainda não tem qualquer confirmação oficial sobre o referido encerramento, considerando a manifestação como uma acção preventiva, face "aos rumores existentes nesse sentido".
Em declarações ao Fórum, Anónimo II - devidamente identificado, apoiante da causa e secretário da mesa da assembleia geral da Comissão de Utentes para a Defesa da Cambra, afirmou que a população e instâncias locais estão dispostos a ir até "às últimas consequências" para impedir o fecho da cambra, uma medida que, a concretizar-se, significa a supressão de "direitos conquistados há muitos anos".
De acordo com uma fonte anónima – devidamente identificada, tendo em vista preparar a grandiosa manifestação, já estão a ser elaboradas tarjas e palavras de ordem pré fabricadas, tudo com o apoio de um consultor externo contratado para o efeito “é um senhor baixinho mas muito competente, com experiência no ramo da agitação e que trabalhou muitos anos para um sindicato e para um partido, mas não posso dizer os nomes porque é publicidade”. O FLC sabe que a Comissão de Utentes, com base numa lista preparada pelo consultor externo, já mandou reservar algumas palavras de ordem pré fabricadas, entre as quais, “A presidência não é esperta, queremos a cambra aberta” e “A cambra não é para fechar, é para melhorar”. A comissão está também a analisar uma proposta de moção elaborada pelo referido consultor, a qual será posta à votação no final da manifestação e entregue na cambra.
A Comissão de Utentes, para evitar narizes partidos e trabalho extra ao SAP, já enviou um sms a João Barbas pedindo-lhe que mantenha as portas cambra aberta no dia da manifestação. “Queremos garantias do Sr. Presidente que não batemos com o nariz na porta quando for-mos entregar a moção contra o encerramento da cambra”, afirmou o Dr. Engº Anónimo I.

3 comentários:

Pirolito disse...

Fiquei um pouco atordoado com esta descrição sobre o tal ‘Consultor externo’ que - “é um senhor baixinho mas muito competente, com experiência no ramo da agitação e que trabalhou muitos anos para um sindicato e para um partido, mas não posso dizer os nomes porque é publicidade”... Não sei porquê, mas quase perdi o gás só de pensar que o ‘tal consultor’ até poderia ser um certo ‘louraço’ que também foi de um certo sindicato e pertenceu a certo partido!
É que se assim fosse, a Marinha correria sérios perigos já que o homem em causa com as suas (más) acções, fez mais estragos e danos a esta terra que um elefante africano em loja de porcelanas da China!
Ah!, agora me lembro, mas esse não é baixinho... Assim fico mais tranquilo.

Anónimo disse...

Sobre a manifestação do SAP acho sinceramente que foi um aproveitamento da boa fé da população da Marinha Grande para cumprir calendário político do PCP e do Sindicato Vidreiro.

Já sobre a Greve Geral acho que foi uma vergonha o que se passou na Câmara Municipal da Marinha Grande, a tentativa de impedir funcionários da câmara de entrar para irem trabalhar é uma atitude anti-democrática só comparável a quem não respeita o direito dos trabalhadores à greve.
O direito dos trabalhadores a fazer greve é sagrado mas o direito de outros trabalhadores a não fazerem greve também é sagrado se não em que democracia vivemos, a democracia do PCP?
Se é admissível em fábricas que não respeitam direitos fundamentais dos trabalhadores existirem piquetes de greve no sentido de tentar chamar a razão os patrões das mesmas já fechar a porta de uma câmara para impedir quem quer ir trabalhar de o fazer é totalmente inaceitável, qual era o objectivo daquele piquete de greve? Denunciar ilegalidades cometidas contra os trabalhadores da câmara? Denunciar que os trabalhadores da câmara estão sujeitos a represálias se fizerem greve? Certamente que não, tinha como único objectivo intimidar quem queria trabalhar e impedir o acesso dos munícipes aos serviços da câmara.
Uma vergonha meus senhores uma vergonha…

cmjl disse...

Já agora uma perguntinha sobres o dia da greve e a porta fechada para ninguém entrar..

Porque será que o Sr. Zé luís estava de piquete à entrada da porta da Camara.. será que estava a receber sebhas de presença como membro da Assembleia Municipal ???

Gostaria de ver esta democracia comunista e estes democratas a terem estas atitudes na Russia.. isso é que era bom de ver...