.
.

sexta-feira, 12 de janeiro de 2007

Os Grandes Marinhenses

Depois do fiasco no tema do desporto (pelo menos ficámos a saber que ninguém aprecia nenhum desportista marinhense em particular... nenhum... nada, mesmo nada... nem sequer esse grande mito do ciclismo marinhense que dá pelo nome de Galinha... ou o outro, aquele o que deu um pêro no arbitro e foi salvo pelo Papa, pois... esse mesmo!) a malta não desmobiliza e continua a propor uma alargada discussão sobre "filhos da terra" que mais se notabilizaram.

Esta semana o tema é:

POLÍTICA
Autarca, dirigente partidário, local, nacional internacional, barão, tubarão, cola-cartazes, promotor de manifes, o que vocês quiserem...
Quem é para si o marinhense que mais se distinguiu ou tem distinguido nesta área? Vá lá pense um bocadinho e vai ver que encontra uma carrada deles - pois, pois, o dificil vai ser escolher! Partilhe a sua escolha connosco e ajude a escrever páginas de glória da nossa história colectiva.
Vamos enaltecer os GRANDES MARINHENSES!

13 comentários:

Anacrónico disse...

Apetece-me responder a este desafio com um comentário sério e é isso que faço com prazer.

Para começar, tenho de dizer à rapaziada do FLC que o vazio que aconteceu na resposta a figuras do DESPORTO, não se deveu a mais nada senão à má condução deste Fórum por parte dos seus promotores. Desculpem lá a franqueza, mas as coisas são como são...

Falando agora dos políticos marinhense que, quanto a mim, mais se distinguiram e isto sem ir até à data da fundação do nosso concelho, tenho de salientar essa figura de Grande Marinhense que foi VICTOR GALLO que tão mal foi tratada por uma certa turma que, raivosamente, se empenhou em denegrir a sua imagem. Todavia, a obra deste marinhense fala por si e se outros da sua craveira se lhe tivessem seguido, era bem possível que a Marinha Grande fosse hoje uma terra ainda melhor e talvez um pouco mais bem arrumada...

Quanto aos políticos de hoje, tenho de destacar alguns que, de uma forma ou de outra, têm contribuído para elevar mais alto o nome da nossa terra. E creiam que são muitos!...
Mas porque nem todos podem ser destacados, cá vão os nomes de alguns a quem a acção e a visibilidade públicas tornam mais notados.

ARTUR NETO DE BARROS – o grande organizador da Câmara logo após o 25 de Abril.
JOSÉ HENRIQUES VAREDA – cuja obra dispensa comentários!...
ÁLVARO NETO ÓRFÃO – que trouxe à Marinha Grande uma nova visibilidade, malgrado se lhe reconheça alguma ‘incapacidade’ para o diálogo...
OSVALDO SARMENTO DE CASTRO – que se tem definido como um grande conhecedor da causa marinhense e por ela tem desenvolvido reconhecida acção, embora nos tempos que correm e por razões conhecidas, esteja um pouco mais afastado.

Mas poderia salientar outros cuja acção e relevância têm sido igualmente muito importantes, mas fico-me, por agora, por aqui...

Pirolito disse...

É Anacrónico, até eu que sou gasoso assino por baixo tudo quanto está aqui no seu comentário...
A gaita é que anda para aí uma( certa) malta a barafustar com os Xuxas, mas a evidência é esta: as únicas governações caseiras verdadeiramente dignas desse nome foram mesmo as dos edis apontados no comentário.
O resto tem sido mais ou menos paisagem!

carlos disse...

Permitam-me discordar.
Os únicos verdadeiros grandes políticos da nossa terra foram os homens e as mulheres do 18 de Janeiro. Esses sim, tinham convicções, fizeram escolhas, assumiram-nas sem vacilar e deram um grande exemplo às gerações vindouras, apesar do que sofreram na pele. Esses são os grandes políticos na verdadeira acepção do termo.

HASTA SIEMPRE disse...

EMÍLIO RATO
PROF. VERÍSSIMO
BARROS DUARTE
FRANCISCO DUARTE

Anónimo disse...

á meses que não vinha aqui, desde o apagão, e parece-me que seria uma optima ideia mudar o nome do blog, este não é o FLC

Anacrónico disse...

Meu caro Hasta Siempre,
Às pessoas que refere, bem como a algumas outras, reconheço-lhes a honestidade pessoal e até algum voluntarismo muito digno. De todas elas fui, e sou, sinceramente, amigo, mas a nenhuma reconheço a dimensão e a estatura de que necessita um edil. A todos, talvez com excepção do saudoso prof. Veríssimo, falta aquele rasgo de visão do futuro que é absolutamente necessário um autarca ter, quando se trata de definir os caminhos estruturantes de que necessita uma terra como é o caso da Marinha Grande...
Não se lhes nega amor à terra nem tão pouco idoneidade moral, mas falta-lhes algo que permita a escolha e a definição dos caminhos a que atrás aludi.

Quanto aos homens e às mulheres do 18 de Janeiro, não se lhes regateia o mérito nem a generosa dádiva que nos legaram. Mas não confundamos. Eles foram fruto da miséria que então se vivia e quiseram dar o seu 'grito de Ipiranga'. Foram, de certo modo, heróis e até mártires, a quem devemos muito respeito e boa memória. Mas não confundamos essa generosa dádiva com a acção política e com a visão estratégica de que necessita o nosso concelho.

Pelo que sinto, curvo-me perante a memória dessa ousada gente do 18 de Janeiro, mas não confundo as coisas meu caro Carlos!

hasta siempre disse...

Caro Anacrónico,
percebi o seu critério, só que o mesmo é contráditório com a escolha que fez. Não me parece que qualquer dos nomes que indicou tenha tido qualquer "rasgo de visão do futuro que é absolutamente necessário um autarca ter, quando se trata de definir os caminhos estruturantes de que necessita uma terra como é o caso da Marinha Grande..."

Anacrónico disse...

Pontos de vista meu caro Hasta Siempre, pontos de vista!...

Anónimo disse...

Sou o Robalo.
Faço minhas palavras de um post anterior. Isto nem parece o FLC.

Xuxas e comunas a tentar colar os seus politicos até nem é de estranhar. Agora que o façam com tanta falta de nível, dá vontade de apagar o link do FLC.
Que saudades de outros debates!
E o mais triste é que foi feita a vontade aos mediocres que nunca acitaram este forum de discussão livre, e tudo fizeram para o destruir.
E isso revolta-me, ainda mais porque não houve uma explicação por parte dos gestores do forum.
E diz-se essa gente defensora da liberdade; Triunfaram os fracos . que só se revêm em situações de conflito social, onde procuram cavalgar as dificuldades dos outros sem intuitoo de os ajudar mas sim para poderem trepar nas suas costas como unico meio de afirmação política.
E que desolação ver a nossa terra nas mãos de tal gente, eles que nem a ganharam apenas lhes caíu nos braços por outro tipo de incompetencia, apesar de tudo menos nefasta para a sociedade.

robalo disse...

Robalo continua:
Esqueci-me de participar na escolha:
Vitor Gallo pela visão estratégica,
Henrique Neto pela vertente política da sua competencia empresarial,
José Vareda pela actividade cultural,
Gabriel Roldão pela qualidade da sua participação cívica,
Guilherme Stephens por todas as razões atribuidas aos anteriores.

Cura Araújo disse...

Depois de algum tempo afastado... cá estou. Passei por acaso... andava a ver outras coisas e lembrei-me do FLC... e como o tema é mesmo a Política, não podia deixar de intervir e dizer algumas coisas:
1º Este não é mesmo o FLC na sua originalidade (ou seja, como foi 'pensado') - Digam o que disserem, a mim ninguém me tira da ideia que houve perseguição/pressão política à qual os Autores deste Blog não resistiram... Compreendo a sua atitude, porque não têm decerto vocação para serem mártires, como eu não tenho e não não tem nenhum que aqui venha, por mais acérrimo defensor que seja dos seus ideais. Não compreendo é porque não assumem aqui perante todos as verdadeiras razões da mudança. Foi aliás essa atitude de desrespeito para com todos os contribuidores deste Blog, e falo por mim, que me fez afastar.

2º Tenho 31 anos. Conheço a Marinha Grande apenas do pós 25 de Abril. Políticos dignos desse nome, do meu conhecimento directo, foram/são: Barros Duarte; Álvaro Órfão; Francisco Duarte; Henrique Neto; Osvaldo Castro... tudo o resto, são a meu ver, tentativas até agora frustradas... Sem dúvida que o meu voto vai para ÁLVARO ÓRFÃO. Pelos doze anos de progresso, desenvolvimento, reconhecimento nacional/internacional que trouxe à Marinha Grande depois de esta ter sucumbido perante a mediocridade ( nas poucas que tinha)de ideias de um Partido/Governante demasiado à esquerda para compreender o verdadeiro significado da palavra Desenvolvimento! (Aliás, a História, contra todas as probabilidades, repete-se agora!!). No entanto uma mênção honrosa a FRANCISCO DUARTE que nem parece ser (e não é!) farinha do mesmo saco (roto e podre de velho)... pela proximidade, pela abertura, pela capacidade de diálogo e de serviço à Freguesia da Marinha Grande... Se ele se candidatar nas próximas eleições à Junta, tem o meu voto (ele!, não o Partido!!!)

3º Porque estamos próximos do dia 18 Janeiro, e porque faleceu recentemente o último sobrevivente, a minha homenagem (eu que sou filho de Vidreiro!) aos homens e mulheres que numa época de crise e dificuldades imensas ousaram erguer a sua voz... A Marinha Grande já precisava de outro 18 de Janeiro! Pena que já não hajam Homens e Mulheres daquele calibre!!

Fim: O FLC é o espelho da Cidade: triste, apática, sem vida para além do orçamento (mísero e miserável)... E ainda faltam 3 anos!!

robalo disse...

Meu caro Cura Araujo;
Reconheço que faltou a referencia ao empenho e saber de Alvaro Orfão no reconhecimento da Marinha Grande pelos bons motivos.
Tambem pelo trabalho na construção de uma centralidade na cidade que antes tinha apenas o deserto da Praça Stephens.
No saber com que restabeleceu os valores culturais da nossa terra.
Mea culpa por o não ter incluido na minha lista, mas talvez tenha sido porque não soube ou não quiz evitar a perda da Camara para o deserto de ideias em que para nosso infortunio ela caiu.
Mas foi certamente o melhor Presidente da Camara que eu conheci

Anónimo disse...

JOSÉ HENRIQUES VAREDA
FRANCISCO DUARTE
BARROS DUARTE