.
.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Revista de Imprensa

Marinha Grande: Primeira Unidade de Saúde Familiar criada até final do primeiro semestre


A primeira Unidade de Saúde Familiar (USF) do concelho da Marinha Grande vai ser criada no primeiro semestre deste ano, com uma equipa de seis médicos, seis enfermeiros e cinco administrativos, que terão a seu cargo 10.699 utentes.

Segundo informação do Ministério da Saúde, em resposta a um requerimento apresentado por deputados socialistas, a USF Vitrius, o projeto já foi aceite pela Equipa Regional de Apoio da Administração Regional de Saúde do Centro, estando a decorrer o processo de análise para a sua aprovação.

O serviço funcionará de segunda a sexta feira, entre as 08:00 e as 20:00 e estará dotado de uma consulta aberta para dar resposta aos utentes em "situações de doença aguda no próprio dia".

O Ministério da Saúde adianta que a USF será instalada no centro de saúde local, o que obrigará a um conjunto de "pequenas obras".

A tutela assegura ainda que o Serviço de Atendimento Permanente (SAP) vai manter-se no Centro de Saúde com consultas diárias complementares, no período entre as 20:00 e as 08:00, para dar resposta a situações de urgência.

No sentido de "assegurar a qualidade e eficiência" no atendimento dos utentes do Centro de Saúde da Marinha Grande, o Ministério da Saúde informa ainda que irão entrar em funcionamento, "a curto prazo", duas Unidades de Cuidados de Saúde Personalizados, que também servirão de consulta aberta para "assegurar o atendimento de situações agudas do foro ambulatório".

"Esta será a primeira unidade, mas já está a ser constituído o processo para se avançar com uma segunda USF", disse à agência Lusa Álvaro Pereira, presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande.

O autarca acrescentou que a próxima USF vai possuir mais seis médicos, que irão abranger mais utentes, fazendo com que quase todos os marinhenses tenham médico de família.

O autarca mostrou-se convicto de que a USF "vai dignificar os serviços de saúde" a nível local.

Por seu turno, Luís Guerra Marques, porta-voz do Movimento pela Defesa da Permanência do SAP na Marinha Grande, mostrou-se satisfeito pela continuidade do serviço.

"Sempre nos debatemos por isso. Recordo que na Marinha Grande as fábricas trabalham 24 horas por dia, pelo que o SAP e é um serviço muito importante", disse à agência Lusa, salientando que a criação da USF "vai melhorar a qualidade dos cuidados de saúde dos marinhenses".


Lusa



(surripiado da Rádio Batalha)

5 comentários:

Apartidário disse...

Uma excelente noticia que, a concretizar-se da forma como é anunciada, será um excelente contributo para a melhoria da qualidade de vida na nossa terra.

Esperamos ansiosamente pela sua implementação.

não me fecundem sff disse...

É uma óptima noticia!
Mas de onde raio aparecem tantos médicos, assim de repente?
Faz confusão, não faz?
Afinal havia médicos?
Ou então isto é uma noticia feita à medida do PS, e que vai demorar a "implementar"... com as desculpas do costume.
Espero estar enganado.

Anónimo disse...

Mais uma manobra de política rasteira. Nem o Salazar sabia tanto!

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Cuidado que não há a garantia do funcionamento do SAP 24 horas.Não criem castelos no ar.Isto é rebuçado para a implementação de algumas medidas que o povo da Marinha rejeitou nas ruas.É preciso esclarecer convenientemente as questões,porque eles são os mesmos e mantêm os mesmos interesses,continuarem a dar machadadas no Serviço Nacional de Saude.