.
.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

SEGUNDA VAGA

Os que acompanham este blogue não terão em relação a ele grandes dúvidas. Desde o primeiro dia que as cartas estão em cima da mesa e só joga quem quer. No entanto há que reafirmá-lo, por via das dúvidas:
- este não é um blogue credível, porque é anónimo,
- este não é um blogue independente, porque não há virgens, e
- este não é um blogue consequente, porque não é credível,
fechando-se assim a quadratura do círculo. Mas a pergunta fica no ar: em bom rigor, será que algum blogue é consequente?
Na verdade, quem pode e deve ser consequente é cada um de nós no uso escrupuloso das suas prerrogativas e capacidades de cidadãos com direitos e deveres, de entre os quais o asseio e a urbanidade.
A nossa matriz bolchevique, de influência vincadamente vicentina (de Gil), queirosiana (de Eça) e fedorenta (de Gato), levou-nos por um caminho tortuoso e difícil ao longo destes quase quatro anos, mas nunca por nunca abandonámos a linha da frente: estivemos com as vítimas do parque contaminado, estivemos com os moradores do Beco das Cidades Germinadas, oferecemos o ombro amigo ao João Barbas quando o enjeitaram, confortámos o Artur Autocolante quando fez cócó na Ribeira da Escoura, estivemos em todas as actuações do João Baião Pedrosa, pusemos pimenta na língua do João Barbas Pedrosa, assobiámos para o ar quando a conversa não nos agradou, rimos de nós e dos outros e, sobretudo, fomos autênticos: nunca perdemos de vista uma grande Marinha, com defeitos, virtudes e pessoas! E foram essas que nos surpreenderam uma vez mais. Ao longo deste percurso demos conta de que a muitos dos nossos “desafios”, mais ou menos cómicos, mais ou menos jocosos ou mais ou menos felizes, se construíram interessantes diálogos e se discutiram ideias e argumentos consistentes. O mérito é da generosidade de todos os que para isso contribuíram e o agradecimento é nosso, apesar da pouca credibilidade a que nos auto-remetemos voluntariamente.
A cerca de três meses das autárquicas e de partida para férias, esta constatação leva-nos a lançar um desafio em tom “meio sério”: e porque não apresentarmos ideias e contributos que achamos cruciais para o futuro da nossa cidade, de uma forma mais “arrumada”? Uma espécie de caderno reivindicativo de questões fundamentais para o presente e para o futuro, apresentado num ambiente mais “higienizado”.
Assim tomámos a liberdade de criar um suplemento a que chamámos SEGUNDA VAGA, um blogue de ideias, contributos e sugestões que eventualmente gostaríamos de ver contemplados nos programas eleitorais dos partidos (ou pelo menos discutidos), aberto a todos os que queiram participar. Este “blogue reivindicativo”, que não pretende substituir-se a nada nem a ninguém, não será aberto a comentários e incluirá todos os contributos que nos chegarem por mail ou que sejam colocados nas caixas de bitaites, com essa indicação.
Como é nossa intenção dar o exemplo, avançamos desde já com uma proposta para o próximo mandato autárquico, a criação da figura do Provedor do Munícipe, uma ideia que desenvolveremos proximamente na SEGUNDA VAGA.
De uma coisa temos a certeza, este será um suplemento de sucesso garantido, pela simples razão de que basta recolher todos os contributos generosamente depositados no Largo das Calhandreiras ao longo destes quatro anos, para sugerirmos alguns dos caminhos que nos poderão projectar para um futuro melhor.
Umas boas férias para todos, são os desejos da Comissão de Moradores do largo mais famoso da Marinha Grande, o vosso Largo das Calhandreiras.

FLC
Mr. Bean
Quinho
Relaxoterapeuta
Torrente

102 comentários:

Anónimo disse...

Mais um MC qualquer coisa????? Deixem-se de se armarem em inteligentes e donos da verdade!!!!!!! A Marinha está cheia de quem diz mal e não faz nada!!!!! Sejam sérios!!!!! Acham que alguém leva a sério, a vocês e a estas encomendas???

Cardo marinho disse...

Como existem por aqui convivas que não gostam de observações desbragadas, e bem, então sou levado a perguntar: - Isto, aqui plasmado pelo “credível” anónimo das 2:26, é que é um comentário oriundo de quem sofre de humor mucoso das fossas nasais, não é? E pelo léxico, se não é encomendado, é dos que costumam encomendar!
A iniciativa, da Comissão de moradores, além de oportuníssima, está particularmente bem explicada. Oxalá estas almas penadas, fantasmas de seres de outras eras que por aqui tentam assombrar o sítio, não consigam calar quem acha que tem ideias próprias para engrandecer a comunidade e não podendo ou não querendo fazer-se ouvir nos partidos, resolve falar aqui, livremente.
Não se intimidem nem receiem ser criticados. Exponham lá essas ideias, seguramente algumas serão boas e poderá haver alguém igualmente livre que tenha a humildade e inteligência de as considerar.

Anacrónico disse...

Bela iniciativa! Aplaudo e espero vir a contribuir...
Espero também que não fechem aqui o Largo, pois este espaço tem outra função que, apesar de ser 'light' q.b., não deixa de cumprir uma função muito importante também!

olhe que não sr. dr, olhe que não disse...

Esta já não é preciso ir para as reivindicações:
"Marinha Grande, Alberto Cascalho,
surpreendeu segunda-feira
os deputados da Assembleia Municipal
com “a excelente notícia”,
de que foi aprovada a candidatura
e o respectivo financiamento
para a regeneração urbana da
Marinha Grande. O investimento
total, próximo dos 9 milhões
de euros, será financiado em 60%.
A obra passará pela requalificação
do património Stephens,
do edifício da resinagem, da Escola
Profissional e Artística da Marinha
Grande, do Sport Operário
Marinhense (SOM), desenvolvimento
de circuitos turísticos, um
programa de animação cultural
e a revitalização do comércio,
entre outros."

E mais não fazem nada...

Olhe que Sim disse...

Fazem, Fazem!!!

Pelo menos em vesperas de eleições puserem a Tung a mexer( e de borla durante 2 meses) e sacaram uns subsidios,antes disso, fizeram aquela barraca gigante a que dão o nome de mercado, mais as barracadas conhecidas...

Acintoso disse...

Coitados de nós, tão trabalhadores que nós somos e ainda há gente a depreciar o nosso trabalho que não nada tem de eleitoralista!
É má fé está bem de ver!!... Só pode…

Sim Sr.Doutor! disse...

Contrariando a ideia de que o PCP é um partido da classe operária, a candidatura Conunista à Camara Municipal tem nos seus primeiros 4 candidatos,(potencialmente elegíveis caso obtenha a maioria absoluta) nada mais do que 4 licenciados, ora toma querem Drs. aí os têm.

Eu que estava a começar a gastar os neurónios para participar na iniciativa da Segunda Vaga, acho que já não vale a pena com estas doutas personalidades a candidatarem-se mais os outros que contribuição pode a minha modesta pessoa dar?

Vai ser bonito na proxima vereação cheia de Drs.... Mais do que nunca se vai ouvir com muita frequencia a velha expresssão "Olhe que não Doutor" e naturalmente tambem "olhe que sim Doutor"

Anónimo disse...

A reformulação da lista do PCP para as autárquicas apenas confirma a conhecida máxima: "em equipa que ganha não se mexe". Ora, se mexeram, é porque concerteza não estão satisfeitos... e eu também não!

Anónimo disse...

Cadê o Pereirita?
Foi trocado pela filha do Mister Remax que impôs como condição encabeçar a lista da Vieira se ela figurasse na lista da Câmara.
Bem dito, figurasse, porque de competência ou outros atributos vale pouco menos que o progenitor. E em abono da verdade como figura, tadita.....

amar a marinha disse...

Um blogue apenas para convidados...
E do que é que trata? Eu sei, mas não digo...
seus cuscos...

PIQUETE disse...

"Cidade vidreira desce na tabela da qualidade de vida"

"A Marinha Grande desceu 20 lugares na edição de 2009 de um índice nacional da Universidade da Beira Interior (UBI), em que o cenário geral "não se pode considerar animador", revelou o autor.
Na edição anterior do Índice Concelhio de Qualidade de Vida dos municípios do Continente, a cidade vidreira encontrava-se nos 20 com melhor qualidade de vida, mas este ano, o estudo dá conta de uma descida significativa da Marinha Grande, que se encontra agora na posição 36 de 278 concelhos.
De acordo com o estudo de 2009, nenhum município do distrito de Leiria conseguiu alcançar os 30 primeiros lugares e a maioria desceu de posição no ranking nacional. Nazaré mantém a posição da edição anterior (33.o lugar), sendo o concelho do distrito que melhor qualidade de vida proporciona aos seus habitantes, seguida da Marinha Grande (36.o lugar) e Caldas da Rainha, que também registou uma descida (41.o lugar).
Óbidos, Alcobaça, Ourém, Ansião e Pedrógão Grande foram os únicos municípios que subiram de qualidade de vida, com os concelhos obidoense e pedroguense a registar a maior subida, mais de 50 lugares.
No oposto, e a par da Marinha Grande e Caldas da Rainha, desceram de qualidade de vida os concelhos de Leiria, Batalha, Peniche, Castanheira de Pera, Porto de Mós, Bombarral, Pombal, Figueiró dos Vinhos e Alvaiázere.
Castanheira de Pera, Porto de Mós e Alvaiázere foram os concelhos que mais desceram na tabela, onde a capital de Leiria, a cidade do Lis, desceu quatro posições em relação ao estudo anterior.
(...)
A edição de 2009 do índice foi feita com base no anuário de 2006 do Instituto Nacional de Estatística, "o mais recente disponível", enquanto a edição divulgada no último ano tinha por base o anuário de 2004.
Entre os vinte primeiros lugares há cinco novos municípios: Alcochete, Alpiarça, Constância, Crato e Évora. Caem Amadora, Marinha Grande, Sintra, Vila Franca de Xira e Vila Real de Santo António.
No fundo da tabela, houve maiores movimentações. Houve ainda cerca de uma dezena de oscilações que rondam as cem posições, para as quais Pires Manso não tem explicação.
"Subir oito ou 10 lugares parece-me normal, mas há outras em que, se pensarmos um pouco, não vemos razões para serem tão grandes". "Não consigo encontrar explicação. Nós trabalhamos com os dados do INE. Pode às vezes ter havido o preenchimento de inquéritos com menos seriedade", refere.
Seja como for segundo Pires Manso, "nunca se fez um estudo em Portugal com tanta variável como nós utilizamos neste. É um trabalho fiável", garante.
Questionado sobre a oportunidade da actualização do índice com eleições autárquicas à porta, Pires Manso acredita que "é o momento ideal. A minha expectativa é que isto suscite o debate". "Estamos a dar um contributo para que o país se conheça melhor e as pessoas possam debater", concluiu. Segundo o investigador, o estudo não abrange a Madeira e Açores, "porque não estão publicados os mesmos dados que existem para todos os outros municípios".


(Diário de Leiria)

Anónimo disse...

A. SANTOS A PRESIDENTE
Esta é mais uma prova de que a Marinha continua a definhar. Os governos locais do PS e CDU estão esgotados. O NOVO RUMO chama-se A. Santos!!!

Anónimo disse...

Primeiro resolvam os vossos fretes e batatadas internos, só falta faca e alguidar.
Depois é melhor prepararem as covas, porque já eram!

Anónimo disse...

Pois é!!!! se já não se entendem agora, como seria? se para desgraça deste concelho ganhassem alguma coisa?
Os exemplos do PSD na Marinha Grande estão à vista e até nem têm muitos anos...lembram-se do que fizeram ao saudoso Vereador Matias? e ao Dr. João Pereira e mais recentemente ao Sr. Artur Oliveira?
O PSD da Marinha Grande é um ninho de meninos mimados que quando se fartam do brinquedo deitam-no fora...não brinquem com coisas sérias... Há uma força emergente MCI é a solução para quem no concelho se revê na social democracia e em homens e mulheres responsáveis e respeitáveis.

Anónimo disse...

o que é o MCI? so pode ser ..........movimento comico de idosos,ai... de ideologicos ,queria eu dizer.
Que terra tao pobre de tudo até de pessoas.

curioso disse...

O senhor das 00:00 é mesmo cómico anda por ai um circo já por lá passou pode ser que haja vaga para si...............

Anónimo disse...

Oi... pessoal

Bazou tudo?

Será que este pessoal que por aqui andava, pertencia tudo ao Minitério da justiça? e têm 2 meses de férias??

Acintoso disse...

É intrigante a actualização do Largo das Calhandreiras.
Esclareçam lá, aqui a loja foi vendida ou encerrou somente para férias do pessoal?
Espero bem que esta segunda hipótese seja a verdadeira!...
Nós poderíamos viver sem o Largo das Calhandreiras? Lá poder podíamos, mas não era a mesma coisa!

Aguardo...

Anónimo disse...

COMÉRCIO TRADICIONAL - Se calhar já é tarde para isto...

Vinte montras das Caldas da Rainha vão, na manhã de sábado, encher-se de manequins vivos que pretendem atrair os clientes recriando cenas como uma tarde de praia, uma exibição de DJ ou um jogo de xadrez.

A iniciativa, denominada "Shop Moving", partiu da Associação Comercial dos Concelho das Caldas da Rainha e Óbidos (ACCCRO).

"Desta vez decidimos inovar trazendo um novo conceito, no âmbito do objectivo de proporcionar animação no centro da cidade", disse à Lusa o presidente da associação, João Frade.

A animação vai "entrar nas próprias montras" onde, os tradicionais manequins serão substituídos por uma 'tia chique', banhistas na praia, jogadores de xadrez, participantes numa feira do livro ou num pic-nic, dJ's ou simples, apreciadores de uma chávena de café.

O projecto é de Tiago Pereira, mentor do Caldas Experience 09 (uma mostra de artes de rua que decorreu a 6 de Junho) e que, adianta João Frade, "desafiámos a propor uma animação para as ruas do comércio".

O resultado será a realização de quadro vivos "com temáticas relacionadas com cada loja" adianta João Frade, ou "nos casos em que não seja possível, com temáticas ligadas à cidade ou à actualidade", conclui.

A animação em que a ACCCRO investiu cerca de dois mil euros não tem qualquer encargo para os estabelecimentos comerciais e pretendem criar um elo de interacção entre o público que passeia pelas ruas e os manequins que chamam ainda mais a atenção para os produtos que estão à venda nas lojas.

O Shop Moving decorrerá durante toda a manhã e a associação admite alargar este tipo de iniciativas a outros dias da semana e outros horários.

Anónimo disse...

COMÉRCIO TRADICIONAL - Se calhar já é tarde para isto...

Vinte montras das Caldas da Rainha vão, na manhã de sábado, encher-se de manequins vivos que pretendem atrair os clientes recriando cenas como uma tarde de praia, uma exibição de DJ ou um jogo de xadrez.

A iniciativa, denominada "Shop Moving", partiu da Associação Comercial dos Concelho das Caldas da Rainha e Óbidos (ACCCRO).

"Desta vez decidimos inovar trazendo um novo conceito, no âmbito do objectivo de proporcionar animação no centro da cidade", disse à Lusa o presidente da associação, João Frade.

A animação vai "entrar nas próprias montras" onde, os tradicionais manequins serão substituídos por uma 'tia chique', banhistas na praia, jogadores de xadrez, participantes numa feira do livro ou num pic-nic, dJ's ou simples, apreciadores de uma chávena de café.

O projecto é de Tiago Pereira, mentor do Caldas Experience 09 (uma mostra de artes de rua que decorreu a 6 de Junho) e que, adianta João Frade, "desafiámos a propor uma animação para as ruas do comércio".

O resultado será a realização de quadro vivos "com temáticas relacionadas com cada loja" adianta João Frade, ou "nos casos em que não seja possível, com temáticas ligadas à cidade ou à actualidade", conclui.

A animação em que a ACCCRO investiu cerca de dois mil euros não tem qualquer encargo para os estabelecimentos comerciais e pretendem criar um elo de interacção entre o público que passeia pelas ruas e os manequins que chamam ainda mais a atenção para os produtos que estão à venda nas lojas.

O Shop Moving decorrerá durante toda a manhã e a associação admite alargar este tipo de iniciativas a outros dias da semana e outros horários.

Adrian disse...

Passem por http://acjmg.blogspot.com/

AJMG

Chegou a mudança.

A Verdade chateia disse...

Esta noticia dá que pensar.


"Portugal pode ficar à beira da falência"

http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=1315365

Afinal parece que esta é a nossa realidade.
Já o António Barreto disse coisa parecida. E o Medina Carreira também tem dito. E o ... é que já são tantos!

Será que estão todos combinados?

Boas férias

folha seca disse...

Porque não estamos todos de férias
permitam-me publicar um texto do meu blogue.

Quinta-feira, 23 de Julho de 2009

Renovação ou exclusão?

Acabo de saber (ou confirmar) pela imprensa regional que o actual deputado, Osvaldo Castro ficou fora das listas de candidatos pelo PS às eleições legislativas de 27 de Setembro.
Há uns dias escrevi aqui um texto aparentemente critico em relação a um artigo publicado pelo deputado Osvaldo Castro, pondo-o em contradição com outro escrito por Henrique Neto. Quando o fiz, não imaginava o desfecho aparentemente definitivo na composição das listas.
Arredado dos meios políticos há bastante tempo não conheço pessoalmente nenhum dos candidatos, embora tenha estado 2ou 3 vezes com o que parece ser o 2º elemento da referida lista.
Mas ao Osvaldo Castro conheço-o (sem pretensiosismo ) bem.
É um homem de causas, desde muito jovem envolveu-se em lutas por aquilo em que acreditava, pondo em risco a sua vida e liberdade. Dedicou grande parte da sua vida à defesa de princípios que adoptou. Por mérito próprio tornou-se um homem de estado, exercendo funções duma forma exemplar no Governo de António Guterres. Como Deputado e Presidente da comissão de direitos e liberdades foi exemplar, a impressa Nacional destacou-o recentemente como um dos 3 deputados sem faltas durante o ultimo mandato.
Abdicou da sua vida profissional (ao contrário de tantos outros) de advogado com reconhecido mérito, para se dedicar a tempo inteiro à causa publica.
Na Marinha Grande, terra que adoptou, foi um dos autarcas mais prestigiado. Osvaldo Castro tem um percurso que fala por si, não precisando de usar qualquer golpe palaciano para se perpetuar em qualquer lugar, muito menos bajulice (como o meu texto anterior parecia involuntariamente insinuar).
Tudo isto para dizer que aceito e apoio a renovação nas listas eleitorais dos partidos, para que não sejam sempre os mesmos. No entanto que se faça a renovação e que se dê a oportunidade a outros, mas que a escolha se faça duma forma transparente e que melhor sirva os interesses do País e não de acordo com arranjinhos de ultima hora e sem facadas nas costas. Mas sobretudo que não se excluam aqueles que merecem continuar.
Enfim: Há Partidos com excelentes princípios, mas com cada vez menos, boas pessoas.

vinagrete disse...

Ao Folha Seca

Eu não diria melhor. Subscrevo até as pontuaçeões, mas a mim, que muitos anos de vida já levo, este tipo de comportamento político não me espanta e certamente ao Osvaldo também não.
Sou um independente que vota PS, porque acredito em valores e não consigo descortinar, no arco do poder, quem melhor do que o PS para os tentar concretizar, mas não me revejo nos comportamentos carreiristas de militantes ditos socialistas puros, sectários, que procuram a todo o custo fazer carreira política, mesmo que para isso tenham feito e continuem a fazer a cama a camaradas seus, especialmente daqueles que assumem tons de vermelho na rosa que transportam ao peito e tenham tido um passado desviante por outras paragens políticas.
Tenho pena que tenha sido assim afastado um bom deputado e confesso ter de engolir alguns sapos para eleger, pelo menos, dois incompetentes.

Anónimo disse...

Caros Senhores,

Para lá das vossas amizades digam-nos quais os contributos importantes dados pelo Dr. Osvaldo Castro para o protagonismo e desenvolvimento da nossa região. Refiro-me não só a ele mas a todos os outros deputados eleitos pelo circulo de Leiria (do PS e dos outros partidos.

Além disso, o facto de ter um passado antifascista pondo em risco a liberdade não deve dar direitos especiais a ninguém.
Por essa ordem de ideias qual seria o estatuto do abandonado Carreira?

Tajvez por isso se diga que somos um gigante económico e um anão politico.

folha seca disse...

Caro anónimo das 15.52

Não lhe consigo responder assim duma penada(como dizia o Cafum) sobre o trabalho do deputado Osvaldo Castro, mas garanto-lhe que foi bastante, aconselho-o a consultar o Diario da Assembleia da Republica(penso que disponivel online) e aí vaí encontrar muitas vezes a assinatura do Osvaldo Castro em muitos projectos de lei.

Mas cito-lhe um, já que trouxe o Nome de uma das maiores figuras da luta anti-fascista do nosso País. Joaquim Augusto da Cruz Carreira. A quem todos devemos muito e que a muitos de nós doi, ver a situação em que este verdadeiro herói da luta contra o fascismo se encontra.

Mas se não sabe eu digo-lhe: Foi graças a um projecto de lei elaborado e apresentado pelo deputado Osvaldo Castro e aprovado pela A.Republica, que fez com que a situação do Carreira não seja ainda pior, pois os anos de clandestinidade e prisão( e neste caso foram muitos) passaram a contar para efeitos de reforma, o que não resolveu mas atenuou, ou seja se O Carreira e muitos outros sobrevivem (mal) se não fosse aquele projecto do Osvaldo a situação seria bastante pior...

Anónimo das 15:52 disse...

Caro Folha Seca,

Agradeço o esclarecimento.

Com maioria absoluta na legislatura que terminou, o PS e os seus deputados, tiveram uma excelente oportunidade para repor a justiça não só nesta como noutras situações.

Porque é que não o fizeram?

Continuo a pensar que se esperava muito mais do Dr. Osvaldo Castro.

Por outro lado, penso que seria muito util ao país que a limitação de mandatos, tal como existe para a Presidencia da República, fosse alargada a todos os outros cargos resultantes de eleições.

Mas como deve saber vai ser o 7º em Setúbal. E agora quem foi o injustiçado de Setubal?

folha seca disse...

Caro anonimo das 12:03

Em relação ao Osvaldo ser o 7º em Setubal, agradeço sabe-lo por si em 1ª mão... só agora liguei a máquina e vim aqui em primeiro lugar. Para já o injustiçado é o Osvaldo, ao transformarem-no num candidato "paraquedista" poi nunca teve nada a ver com Setubal.

Quanto ao resto estou inteiramente de acordo consigo...Tambem eu esperava mais(muito, mais)mas como é evidente refiro-me ao conjunto dos deputados do PS e do respectivo governo...

folha seca disse...

Caro anonimo das 12:03

Como não gosto de deixar ninguem sem resposta aqui lhe mando um endereço onde pode ver que não é só por amizade que defendo o Dr Osvaldo Castro.


http://www.parlamento.pt/DeputadoGP/Paginas/ActividadeDeputado.aspx?BID=1373

Anónimo das 12:03 disse...

Caro Folha Seca,

Mais uma vez agradeço a informação. Confesso que não sabia que existia um registo tão exaustivo e pormenorizado da actividade dos deputados.

Municípe disse...

Inspirado no jornalismo de investigação, tipo Paulo Portas quando era "jornalista" andei a vasculhar ali para os lados da Marques e Pombal e encontrei aquilo que me pareceu ser um rascunho. Partilho-o com os ilustres calhandreiros.


Caros Munícipes

Como é do conhecimento publico, decidi apresentar a minha candidatura ao cargo de presidente da Camâra às próximas eleições autárquicas de 11 de Outubro.
Fi-lo, porque o meu partido mo propôs, mas também porque, tendo o actual mandato sido particularmente difícil, dada a necessidade de recuperar a credibilidade originada pelas trapalhadas em estive envolvido, dado que o meu camarada João Barros Duarte, deu o dito por não dito e não cumpriu o que estava previamente combinado, ou seja ele dava a cara e depois saía por razões de saúde (o que ninguém levava a mal) e eu passaria a presidente efectivo sem grandes ondas, mas com todos sabem, foi uma grande confusão passando eu grande parte do tempo como presidente em exercício e como é obvio tanto exercício cansa, e faltou-me a energia par fazer qualquer obra que marcasse este mandato que reconheço foi muito fraquinho.
Também o executivo anterior andou a gastar dinheiro à bruta a fazer museus; bibliotecas; parques; aumentos de zonas industriais e outras coisas de somenos importância, deixando os cofres do Município um bocado vazio e ainda tivemos que pagar (na lógica da gestão corrente, como é obvio) um pipalhão de massa das obras que o mesmo executivo deixou feita.
Também por teimosia não abrimos o novo mercado e ficamos ás aranhas (e aos ratos) com a intervenção da asae no velho mercado, o que nos obrigou a fazer de repente aquela grande barraca (tipo mercado medieval) onde gastamos uma fortuna, mas diga-se de passagem, escaqueiramos o mercado do Atrium para aproveitar as bancadas nele existente, não vá o PS ganhar as eleições deste ano e insistir em abri-lo.
Mas assim já no final do mandato, tivemos a sorte de vermos aprovada a nossa candidatura ao QREN e assim sacar umas massas o que deu para fazer um brilharete em final de mandato, como já foi suficientemente publicitado.
Não posso acabar esta carta sem vos referir outra grande obra feita por nós, ou seja estava tudo feito pelo anterior executivo, mas 4 anos depois pusemos a TUNG a andar (e de borla) eu sei que devia estar calado em relação a esta questão, mas pronto já há transportes urbanos na Marinha Grande (o pior vai ser quando for conhecido o valor que pagamos à rodoviária do Tejo)
Enfim caros munícipe este mandato foi um mandato perdido, mas prometo que se votarem em mim as coisas vão ser diferentes no futuro. Esperem pelo meu programa eleitoral e vão ver as promessas que vou fazer.
Convosco, estou confiante que a Marinha Grande vai ganhar. (comigo é uma incógnita)
Apresento-vos os meus respeitosos cumprimentos.

Anónimo disse...

Amigo Municipe,

Esclareço-o que não sou da CDU nem exerço nenhuma actividade politica partidária.

No entanto, houve uma parte que eu retive e me deixa muito confuso.

Mas o PS continua a pensar que o Atrium é o local do mercado?

É bom que asclareçam a população. Parece-me que se assim for podem desde já preparar o discurso da derrota.

Anónimo disse...

Ao anónimo das 15h15.
Da CDU não, nem pensar..
Mas laranjinha, de certeza e quem derreteu o novo mercado, para além da CDU, foi o marreta mais conhecido por Artur Autocolante, agora reconvertido a MCI arrependido.
Já agora, leu os programas eleitorais do PS, que levaram as pessoas a confiar-lhe as vitórias de 1997 e 2001?
É que lá estava o Mercado previsto para o Atrium e foi para isso que se comprou o espaço da Abrigada, aprovado por unanimidade na Assembleia Municipal.

Apartidário disse...

Será que o direito a opinião é exclusiva dos partidos?
Será que não existe alternativa ao seguidismo dos partidos?
Se alguém não for CDU e se se discordar do mercado na Atrium tem de ser do PSD?

Quais são os argumentos técnicos para dizer que o Atrium é o melhor local?
E a opinião dos vendedores e os clientes não contam?
Só os senhores é que sabem?
Pensam por toda a gente?
Eu não abdicarei de pensar.

Ou ainda está para nascer quem consiga um melhor local para o mercado?

Seria bom que fizessem uma autocritica para perceberem porque é que o PS perdeu a Câmara (´que nem a CDU esperava ganhar.

Tambem Apartidário disse...

ó meu caro apartidário!

Tem toda a razão em defender que nem só os partidos têm direito a ter opinião.

Admito que o Atrium não seja o melhor sitio para o mercado, mas seguramente em termos higieno-sanitários era do melhor que conheço( e conheço muitos por esse País fora) Naturalmente que não estava isento de problemas, nomeadamente nas cargas e descargas...mas recorde-se se puder meu caro como eram feitas as descargas no velho mercado que esta coligação cdu/psd insistiu em manter.
Quanto à opinião dos vendedores e clientes, como cliente a mim não me perguntaram nada e a si?
Quanto aos vendedores a estória está mal contada... o problema tinha a ver com o preço e aí foi fácil o agitador profissional(e tambem vendedor) Saul Fragata mobilizar os vendedores...

Quanto ao resto agente já conhece.

Agora digo-lhe: Tenho vergonha de quando tenho cá algum amigo de fora de passar por aquele mercado(actual) e quando alguem me pergunta o que é aquilo eu digo que se trata de um exercicio da protecção civil, arranjando alojamento para parte da população em caso de uma qualquer calamidade..
e mais não digo até porque sou apartidário

Apartidário mas mesmo apartidário disse...

Com esse preconceito todo contra a coligação CDU/PSD. Não me parece que seja apartidário. Mas se o diz ...

Seria muito bom que o PS e o PC percebessem que a Marinha precisa que se entendam nas questões essenciais para a nossa terra.

As pessoas estão fartas do confronto que tem como expoente máximo algumas discussões inuteis e malcriadas na Assembleia Municipal.

Embora contranatura não acha que se não tivesse havido um acordo (mesmo com tudo o que se possa discutir em seu redor) teríamos tido um Camara ingovernável? Preferia isso? Do mal o menos.

Ainda sobre o mercado. Não acha que a limitação para as cargas e descargas são, só por si, um problema sufucientemente critico para inviabilizar a solução do Atrium?

E aqui só para nós que ninguém nos ouve. Não acha muito suspeita a oportunidade daquela intervenção da ASAE. Eu não sou cá de intrigas, mas há coincidencias ...

Tambem apartidário disse...

Uma coisa gira que encontrei num blogue do lado de lá do atlantico.


http://metalinguanaimprensa.blogspot.com/2008/05/duas-caras-e-movimentos-apolticos.html

Anónimo disse...

Ao "Apartidário mesmo apartidário" (está-se mesmo a ver)
Então uma aliança PCP/PSD foi a melhor solução para criar condições de governabilidade?
Acha mesmo?
Do mal o menos?
Peço desculpa, mas sei como funciona o PCP e acho que está no seu ADN a "resistência", a "tenacidade", a "competência", a "honestidade", a "coragem", isto e mais isto e mais aquilo... e teve que fazer uma coligação com os Tótós que encerraram a FEIS,que querem privatizar a Segurança Social, a CGD, etc. , etc.
Por favor, tenha dó...

Apartidário disse...

Caro anónimo,

Não misture alhos com bogalhos.

Penso que a coligação foi a solução possível. O meu amigo tinha outra solução que pudesse fazer maioria? Se tinha diga qual.

A meu ver foi menos mau ter uma Camara a funcionar menos bem do que sem poder funcionar. Não acha?

Mas é essa raiva que transmite que se vê na AM e que nos tem feito definhar.
Mas afinal não somos todos marinhenses e protugueses?

Concordo consigo quanto à privatização da Segurança Social e da CGD.

Agora a FEIS foi outra coisa. Sabe que no ano que fechou de Jan a Maio vendeu 110 mil contos e só as despesas com pessoal foram 180 mil contos? E também deve saber que houve muita gente a roubar peça da FEIS.

Sabe que a Vitrocristal custou mais de 50 Milhões de euros ao país e nada alterou a situação da cristalaria?

Sabe que para financiar todos estes despedicios alguém teve de trabalhar e de pagar impostos?

Anónimo disse...

Claro que havia outra forma de gerir a Câmara.
Bastaria respeitar a vontade popular expressa nos votos e convidar um elemento do PS para assumir pelouros a tempo inteiro, ou, como fez o PS em 1994,que convidou um elemento da CDU a 1/2 tempo e outro do PSD, também a 1/2 tempo e olhe que os pelouros oferecidos à CDU, a julgar pelo que veio na comunicação social, eram os mesmos que agora tem o auto-colante.
Como vê, era simples. Só não compreendo é como uma pessoa que está tão bem informada e faz tantos apelos ao consenso, nem sequer equacionou a hipótese de uma coligação com o PS.
Coisas...

Coisas disse...

Há coisas que não lembra nem ao Diabo...

Coisas disse...

Eu por acaso ainda me lembro daquele dia em que o Sr. Artur de Oliveira, deitou o fogo ao cartazes do PCP expostos na praça vermelha e a escaramuça que foi... quem diria que uns anitos mais tarde, a mesma personalidade se tornaria a muleta do mesmo partido na vereação camarária... coisas

Apartidário disse...

Caro anónimo,

Antes de mais, quero esclarecer que o meu objectivo não é ter mais razão do que os outros. Simplesmente quero trocar ideias.

Talvez fosse uma hipótese e talvez a mais desejável se as pessoas quisessem.
Só que o PC e o PS já nos provaram que têm muita dificuldade em cooperar. Antes pelo contrário, sempre que tem oportunidade puxam a rasteira um ao outro. Sabe, confundem advesário com inimigo.

Independentemente de quem é a culpa, constou-me que custou muito ao municipio em pagamento de alugueres das famosas barracas do mercado até que houvesse acordo quanto à decisão de compra?
É verdade? Se sim, porque o PC e o PS não se quiseram enteder.

Nem o PSD nem o seu vereador, Sr. Artur de Oliveira, que agora se diz independente estiveram à altura. A preocupação de guardar o emprego era maior do que os interesses da Marinha.

Apartidário disse...

Já agora caro Anónimo,

Qual o seu comentário ao que eu escrevi sobre a FEIS ae A Vitrocristal?

Anónimo disse...

Ao "Apartidário"
Vamos então elevar o nível.
Quanto à Feis, devo recordar o seu percurso histórico, as crises porque passou, o desemprego que gerou no passado, cujos efeitos foram disfarçados pela contratação dos vidreiros para trabalhar nas matas, os alugueres de exploração e, finalmente, a posição assumida por um refinado ditador, de nome António de Oliveira Salazar, que não só decidiu manter a empresa, como incentivou a formação da Escola e publicou o despacho de criação do Museu do Vidro em 1968.
Espero que isto não o leve a concluir que sou ou fui um apoiante de tal figura, antes pelo contrário, eu e a minha família fomos vítimas directos da ditadura.
A questão é que o ditador percebeu o papel histórico da FEIS e assumiu os custos, considerando-os um investimento. O democrata (sem dúvida)Cavaco Silva, mais tecnocrata do que político, só olhou para os números, que também poderia tentar alterar se nomeasse gestores competentes, em vez de distribuir cargos pelos compadres, decidindo liquidar uma referência histórica da Marinha Grande, rasgando páginas de glória de que nos orgulhamos.
Não comento os eventuais roubos, porque mesmo que tenham existido, o seu valor comparado com o que caiu legalmente nos bolsos de alguns, são trocos.
Em relação à Vitrocristal, aí temos o exemplo de que uma boa
ideia não chega para se ter sucesso. Seria preciso termos empresários do vidro em vez de patrões medíocres e bons gestores em vez de pavões de mão estendida.
De qualquer forma, nada disto justifica o que se tem passado na Marinha nestes últimos quatro anos.
Como é que se pode esperar que alguém apoie a compra de barracas para instalar o Mercado, sem, pelo menos, ter experimentado antes o que era novo e estava para ser estreado, fosse testado?
Porque é que não se fez o esforço de demonstrar que o Atrium não funcionava?
Se eu tivesse capacidade de decisão, se não concordassse com a localização naquele edifício, a primeira coisa que faria era acelerar a sua instalação, para depois poder dizer, com a legitimidade de quem pode provar o que afirma, "ali não dá, vamos arranjar uma solução provisória" e depois discutir onde se deverá localizar.
Seria pedir muito?

Apartidário disse...

Caro Anónimo,

Só estou a participar neste forum para partilhar ideias.
O facto de ser apartidário não quer dizer que seja anti partidos. Aliás, o anti cheira sempre a radicalismo. O que se passa é que não me revejo na forma pouco séria como a maioria dos dirigentes dos partidos exercem a actividade politica. É que em todos os partidos também existe muita gente bem intencionada. Voto sempre mas não estou amarrado a preconceitos clubisticos. Em cada eleição voto naquele ou naqueles que, no momento, me parecem ser melhor solução possível (seja de esquerda ou de direita).

Apartidário disse...

Caro Anónimo

Não o iria deixar sem resposta sobre a FEIS, VITROCRISTAL e o MERCADO.
Permita-me que fundamente a minha opinião. Vou tentar ser breve e pragmático, porque isso é muito importante quando se fala números, sejam públicos ou privados. O dinheiro é um recurso escasso, temos que o gerir bem.

Vamos por partes

FEIS
Embora sendo uma referência para o nosso concelho não haveria retorno que justificasse a sustentação de prejuízos de tão elevado valor. Eventualmente poderia ter sido redimensionada, mas não vejo e Estado ou os gestores públicos a terem a iniciativa e a capacidade de fazerem um projecto diferenciado como por exemplo a JASMIN. A preservação da memória poderia, por exemplo ser feita através de um Museu do Vidro dinâmico e vivo e não num espaço estático como o existente.

Apartidário disse...

VITROCRISTAL
Penso que no essencial estamos de acordo. Foi uma boa ideia mal concretizada e serviu de abrigo e para o show-off de pessoas que nada percebiam nem do negócio nem de estratégia empresarial. Que sirva de exemplo e que se aprenda com os erros. Ficámos mais pobres.

Apartidário disse...

MERCADO
Francamente, permita-me discordar de si. Embora não seja especialista na matéria, estou convicto de que as acessibilidades são suficientemente criticas para obstar aquela localização. Contudo, se os nossos autarcas (todos) tivessem sido competentes certamente que já haveria um mercado novo noutro local e a cumprir todos os requisitos. Possivelmente até nem tinha havido a solução do Atrium.

curioso disse...

BOM DIA
Li com alguma atenção os comentários sobre a Feis ,Mercado,Vitrocristal sinceramente acho que todas estas situações são da maior importancia para o nosso concelho pelas mais variádas razões quer pela criação de emprego,valor histórico e melhoria das condições de vida das populaçoes, tenho pena que as diferentes forças politicas não se entendam em favor dos municipes pois nós é que somos sempre os prejudicados. E já agora se me permitem será que não haveria nada a fazer para manter a Damaso na vieira quem por lá passa vê as instalaçoes a degradarense dia após dia não tarda que aconteça o mesmo que na Ivima, mais um refúgio para os toxicodependentes.

vinagrete disse...

Apesar de parecer que todos os bitaiteiros foram a banhos, apetece-me manter viva a chama da discussão, franca e aberta, sobre temas, que sendo polémicos, não deixam de ser importantes.
Retomando o tema do anónimo das 12h52, lamento muito, mas no caso da Dâmaso, não vejo mesmo como é que se poderia relançar qualquer projecto ligado ao Vidro.
Tudo o que eram máquinas, ferramentas, infraestruturas construidas, foi vendido a um sucateiro e está a ser desmantelado para ser colocado no mercado, como sucata.
O terreno está hipotecado à Segurança Social. Os clientes, se é que os havia, já se perderam e estarão a comprar na Turquia, na Polónia, na República Checa, na China, na Roménia, etc.
Já quanto ao "Apartidário", permita-me que lhe diga que estou de acordo, face ao acto criminoso que foi encerrar a FEIS e depois aos actos de sabotagem e boicote do Sindicato Vidreiro que forçaram o encerramento da Mortensen, a alternativa para manter uma ligação histórica ao Vidro, passa pela construção de um estúdio de produção na área do Museu e a ele ligado, que poderia produzir peças numeradas, cópia de muitas que a FEIS desenvolveu, perante a assistência dos visitantes, cómodamente sentados num pequeno auditório a partir do qual teriam visibilidade perfeita sobre os movimentos da obragem montada para mostrar a arte do vidro.
Com um espaço de loja agregado e com ligação a atelier's de artesãos também aí instalados em pequenas oficinas, teríamos montado e a funcionar um projecto de promoção e divulgação da nossa tradição, mantendo vivas as raízes que nos ligam aos fornos e à história.
Já quanto ao mercado, sejamos pragmáticos.
O que se quer e o que se prometeu aos marinhenses, foi um Novo Mercado, localizado suficientemente perto do Centro, para que se mantivesse a tradição de vir ao Mercado e ele se localizar junto ao Comércio Tradicional.
Quando se assume uma posição fundamentalista de eliminar a possibilidade do Atrium sem a testar, só com base nas acessibilidades e na dificuldade das cargas e descargas, eu tenho que contrapor as condições que existem na Resinagem, local que a maioria PCP/CDU elegia como perfeito para lá manter o Mercado.
Estacionamento ZERO.
Cargas e Descargas ZERO, obrigando os comerciantes a acartar as mercadorias com carretas de distâncias consideráveis a que tinham de deixar os carros.
Se faz apelos constantes ao diálogo, apele como eu ao chamado "entendimento mínimo", para que se deixem de montagens de falsos argumentos, onde pontifica a má fé e a baixa política e, no mínimo, testem o que foi feito.
Se o problema são as taxas, isentem os comerciantes desse pagamento no período de experimentação, que pode ser de um ano, ou até se concluir que não é viável manter o funcionamento.
Valia e ainda vale a pena tentar.
As barracas parecem funcionar melhor, porque estão agregadas ao Mercado do Levante.
Não há problema. O Parque da Cerca tem uma área enorme, em frente do Campo da Portela, onde pode ser instalado o Levante, desde que os comerciantes o deixem impecávelmente limpo como acontece nos paises civilizados.
Soluções existem. Vontade política e pensamento livre é que não.

OS MALUCOS DO RISO disse...

Afinal parece que a coligação PCP/PSD fez moça nalgumas cabecinhas - ó p'ra ele a elogiar o Santana:
"Santana ganhou o debate contra Costa na SIC. Mostrou ideias e convicções, ao contrário do adversário que se limitou a chorar lamentação!"
o "nosso" EDULINO DE RÃS é um G'ANDA MALUCO!!!...

OUTROS MALUCOS DO RISO disse...

O que um gajo não faz só para meter 4 deputados em Leiria - vai lá vai... até o PCP é bom quando o a esquerda caviar ameaça o lugarzinho em S. Bento:
"Na Marinha Grande, terra de ancestrais tradições operárias, o BE supera já em eleições (nalgumas freguesias) o próprio PCP. Para quem acompanha de perto a acção do PCP, concorde-se ou não com as suas causas (e eu quase nunca concordo), a verdade é que o PCP tem rostos concretos na acção política local, defende ideias políticas e assume causas públicas que procuram ir ao encontro dos interesses dos cidadãos."
Vai-se a ver e o rapaz ainda vota no Cascalho só para o Aspirina não ganhar - já viram a vergonhaça que era para se o Aspirina tivesse melhor resultado que ele há quatro anos?
TEM PAI QUE É CEGO!!!...

Apartidário disse...

Caro Vinagrete,

Neste pequeno exemplo demonstrámos como é que, apesar de nalguns assuntos termos diferentes pontos de vista, nos podemos respeitar e até complemetar. Não é com agressões verbais e com posturas intransigentes que se encontram soluções.

Sempre me ensinaram que é fundamentalsaber ouvir (ou ler) e respeitar os outros.

folha seca disse...

Claro que nem todos os bitateiros foram a banhos, como se vê, o que permite manter por estas bandas alguma chama. Pode ser que assim a hipotetica venda do largo,aborte e se volte a ver aqui a pujança a que nos fomos habituando. A não ser que a comissão de moradores tivesse integrado as listas de algum(s) partido concorrente às proximas eleições e tenham aceite alguma imposição

Mas queria saudar mais um dos brilhantes e esclarecedores bitaites do "Vinagrete" e a resposta do "apartidário" de facto precisamos muito de discutir os problemas da nossa terra e darmos a nossa opinião desta e doutras formas existentes na nossa terra e País, para que o nosso futuro colectivo não fique só nas mão de alguns iluminados que se juntam na sede dos Partidos existentes, não tendo eu nada contra, mas considerando redutor que a democracia se esgote aí.

Anónimo disse...

O mercado da resinagem foi e bem encerrado pela ASAE, na 2º visita que fez ao Município, tinha sido dado um prazo para se fazerem obras, que alguém (provavelmente) se esqueceu de encomendar ou mandar fazer.
Depois do encerramento da resinagem onde funcionava o nosso mercado, pergunte-se a J.B.Duarte, o motivo porque o mercado não foi transferido provisoriamente para o Atrium?
É que no Atrium, com as mesma condições de abastecimento da resinagem, estavam reunidas as condições para a venda dos produtos e sendo embora provisoriamente os vendedores vendo a diferença para melhor, já não voltariam para a resinagem! O PCP não quer o melhor, quer o que mais lhe convém, agitação social ! Mesmo assim, Barros Duarte não vacilou e deu a sua opinião, opinião favorável aos munícipes e aos vendedores (entre os vendedores existem agitadores e negociadores).
E como para grandes males, existem grandes remédios, uns ilustres, “entre eles um que estava escondido atrás da porta” arranjaram maneira de não irem para lá e ainda não contentes, criminosamente destruíram o interior do Atrium, arrancando tudo, inclusive as bancas de inox. O senhor vereador, na altura ainda do PSD , suportado pelos votos e não menos pelo partido, ignorantemente ou não, fez a vontade politica a alguns.
Muito do que existe hoje nesta espécie de cidade de ruas e lugares sujos, passeios destruídos, com uma bandalheira eleitoral de cartazes e pendões que não se vê em mais nenhuma cidade, falta de conclusão e iniciação de projectos, dispensa do cabeça de lista vencedor, o legitimo presidente humilhado e desprezado em prol de negociatas ainda por esclarecer, dispensa de lugares no executivo actual em proveito de ajustes partidários ou serviços prestados, intrigas partidárias por ascensão política, promessas vãs, que deram lugar a lugares em duplicado nas listas, falta de confiança nos funcionários e serviços, além da ineficácia, negligencia e incompetência demonstrada por este memorável executivo CDU/PSD, deram lugar ao que temos nesta cidade e penso que até não merecemos menos!
Guerras intestinas de chefes de serviço e chefes de gabinete.
Lembram-se da última? Em que o usurpador em exercício não desmentiu!
Tentem saber o porquê?
Mais trampa menos trampa.
A Câmara Municipal da Marinha Grande passou a ser gerida como o COMITÉ CENTRAL DO PCP e o PSD no pré-acordo firmado, sabia que ia ser assim!

O vereador do PSD até pode ter razão e motivos em se comportar como comporta, ele sabe que os que o colocaram lá, têm telhados de vidro, então faz o que faz.

vinagrete disse...

Em relação a este último comentário, que poderá merecer a minha aprovação na primeira metade do texto, em que invoca factos, já me suscita algumas reservas quando entra no plano da fofoca politiqueira.
As minhas reservas nem são porque algumas das situações não sejam reais, mas porque entendo que não nos conduzem a lado nenhum.
O PCP tem que perceber que o funcionamento democrático de uma Câmara, com representação muiti-partidária, em que a oposiçãoáté teve uma maioria de votos, não pode ser comandado a partir da sede do partido, com funcionários não eleitos e que nunca deram provas, a determinar o curso das decisões na gestão corrente e até a despedir o presidente eleito, para dar lugar a uma estratégia de renovação fundada num embuste aos eleitores.
Igualmente deve perceber, que se ganhar as eleições, como um "partido de paredes de vidro" que diz ser, não pode permitir que uma promissora jovem advogada seja usada para conferir crédito à lista e depois renunciar para prosseguir a sua actividade profissional, dando lugar a um desempregado político (e não só).
A CDU, que tanto se afirma como guardiã da legalidade, não pode ignorar que tem as barracas do mercado montadas ilegalmente na Zona Desportiva, em área sugeita a Plano de Pormenor aprovado e publicado no Diário da República.
Não chega a justificação de que se trata de infraestruturas desmontáveis, porque, mais do que a forma, o que os Planos de Ordenamento obrigam é a respeitar o uso do solo e o uso é para completar a Zona Desportiva.
Um pouco de bom senso e alguém tomará a iniciativa de desmontar as tendas e asssumir a responsabilidade de tomar decisões, que sendo polémicas, exigem coragem.
Aguardemos

Vizinho Invejoso disse...

Caro Vinagrete

Com essa pedalada toda cheira-me que se está a preparar para ir (tambem) a banhos.

Espero que leve o portátil para ir dando noticias...

Boas férias

vinagrete disse...

Gostava de ir, mas o trabalho chama-me e chamamentos destes não se desperdiçam.
Um abraço

Apartidário disse...

Caro Anónimo das 10.58,

Permita-me que lhe diga que não é com esse tipo de discurso que podemos contribuir para resolver algum problema. É como lançar gasolina na fogueira.

Será que que ao fim de 35 anos de democracia não deveríamos mudar a forma de abordar os assuntos.

Sobre o mercado li com atenção o que escreveu mas continuo a ter uma opinião diversa.

Penso que temos que ir à raiz do problema. Em termos muito gerais, as boas práticas de gestão (privadas ou públicas) dizem que quando se pretende fazer algum investimento importante se deve avaliar a sua oportunidade e prioridade, definir os objectivos e os critérios de avaliação. Devem ser estudadas diferentes alternativas e só depois tomadas as decisões basedas em fundamentos objectivos.

Sobre a oportunidade e prioridade de fazer um novo mercado penso não haver dúvidas. Eu não sei se houve algum estudo (estudo objectivo feito por especialistas independentes)sobre diferentes soluções e localizações para o novo mercado. Penso que não e se houve não foi suficientemente divulgado.

Também seria interessante fazer benchmarking, isto é, ver bons exemplos quer em Portugal quer no estrangeiro, que pudessem ser total ou parcialmente aplicados.

Certamente que nesta altura a discussão, se houvesse, estaria baseada na concordancia ou não sobre alguns dos critérios. Para isso, cada um teria de analisar o estudo e tería uma opinião muito mais fundada.

Este tipo de procedimentos transparentes exigem capacidade de análise, maturidade civica, compromisssos e reduzem a margem para a manipulação.

Uma coisa é certa. Vai ter que mudar a forma de fazer politica. Se não nos anteciparmos vai ser mais penoso.

Atento disse...

Por falar em boas formas de fazer politica, alguem me pode informar porque é que um dos principais e o mais activo participante no blogue aqui do lado deixou de nele escrever? Aquele toque a silencio(ultimo post) quiz dizer que para alem de saneado da lista do PS no distrito, foi tambem saneado do blogue?

folha seca disse...

Já agora e para contribuir para manter a chama a "arder" um texto do meu blogue, para tentar que os calhandreiros que não estão a "banhos" digam qualquer coisinha sobre as questões nacionais.

A escolha dos representantes do povo na casa da Democracia

Concluída a escolha dos candidatos a deputados por praticamente todos os partidos com potencial para elegerem deputados à próxima legislatura, sinto que a nossa democracia está cada vez mais pobre.
Se o meu sentido de voto não estivesse já praticamente defenido e tivesse que escolher pelos candidatos apresentados pelos diversos partidos, teria alguma dificuldade em escolher o partido em quem votar. A luta por lugares; as traições; a ingratidão; o pagamento de favores o seguidismo ao "chefe" do momento, é confrangedor.
Não tendo eu qualquer actividade ou ligação partidária, conheço varias pessoas que a têm. Costumo perguntar qual o seu contributo para a escolha deste ou daquele candidato. Ainda não encontrei ninguém (e refiro-me a diversas tendências) que me tivesse respondido que participou numa reunião onde foram discutidos nomes e à volta de algum, foram gerados consensos.
E se a nível local ninguém fora dos aparelhos partidários é ouvido, que dizer das reuniões distritais e nacionais onde se vê a "unanimidade" demonstrada.
Não quero dizer que não há, gente de valor nas listas, mas digo que falta muita outra gente ligada à vida (a de cá de fora) que sinta na pele os reais problemas com que depara grande parte da nossa sociedade; gente que no parlamento contribuísse para a discussão e contribuisse para as decisões acertadas que urge tomar.
O espectáculo vivido nestes últimos dias é deprimente. Quando a preocupação fundamental devia ser a de voltar a trazer às mesas de voto centenas de milhares de eleitores que delas se têm afastado, parece-me que o efeito está a ser precisamente o contrário.
Já vivi muitos períodos pré-eleitorais e não me recordo nunca de ver tanto desinteresse pelos próximos resultados eleitorais.
Temo que cada vez menos Portugueses se sintam representados no parlamento o que não augura nada de bom.
Não foi para isto que se construiu a Democracia e se lutou pela Liberdade

folha seca disse...

Um endereço para uma carta publicada hoje no jornal da Marinha Grande.

Vale a pena ler e reflectir

http://rmanuelh.blogspot.com/2009/08/mentiras-e-verdades.html

calhandreiro a baños disse...

Concordo com o Folha Seca. Contudo, em minha opinião há um problema de fundo que não sei como se pode ultrapassar. Como é que um cidadão com uma vida profissional por conta de outrém ou que tenha o seu próprio negócio/actividade, pode ser candidato? É que não estou a ver um qualquer putativo candidato a deputado dizer à sua entidade patronal que se for eleito ausenta-se da empresa por quatro anos, se não for continua a trabalhar. Ou então um empresário ou um profissional liberal dizer aos seus clientes para esperarem quatro anos. É por isso que a nossa classe política é composta maioritariamente por profissionais da política e por funcionários públicos (sobretudo vindos das universidades). Esta é uma realidade que tem como consequências:
- diminuir o campo de recrutamento de candidatos;
- promover e fomentar o aparecimento de clientelas partidárias;
- afastar dos lugares executivos e de decisão milhares de cidadãos válidos e capazes;

Anacrónico disse...

Caro Folha Seca,
Fui ver a tal carta.
Se ainda tivesse dúvidas, para mim elas teriam ficado completamente desfeitas...
Continuo a pensar que Armando Constâncio sabe mais disto, de olhos fechados, do que outros com os dois bem abertos!
Depois desta evidência, que palavras ainda conseguirão balbuciar os membros deste paupérrimo executivo e os partidos que os suportaram?...
Aos marinhenses cabe dizer-lhes que estão fartos de verem o seu futuro comprometido!!!

curioso disse...

Tambem li com atençao a dita carta e se realmente e ao que parece o que se diz lá a ser verdade os marinhenses tem que penalizar este executivo nas proximas eleiçoes é mais uma das muitas trapalhadas desta maioria. Deve ter-se passado alguma coisa muito grave para que alguem como o sr Armando Constancio tenha saido da vida politica activa.

curioso disse...

Tambem li com atençao a dita carta e se realmente e ao que parece o que se diz lá a ser verdade os marinhenses tem que penalizar este executivo nas proximas eleiçoes é mais uma das muitas trapalhadas desta maioria. Deve ter-se passado alguma coisa muito grave para que alguem como o sr Armando Constancio tenha saido da vida politica activa.

Anónimo disse...

MCI.......
Cuidado eles andam ai estaõ a preparar o assalto á junta da vieira o Rei Afonso Henriques que se cuide................

menos curioso disse...

"Deve ter-se passado alguma coisa muito grave para que alguem como o sr Armando Constancio tenha saido da vida politica activa".

Mas o Curioso não sabe o que foi ? Todos os que cá estamos há muito tempo sabemos e vemos muito bem.

Abstruso disse...

"Todos os que cá estamos há muito tempo sabemos e vemos muito bem".
Este é o tipo de comentário que deixa todas as hipóteses em aberto!
Por exemplo eu, que nada sei sobre o caso, fico assim... na dúvida sobre o que o 'menos curioso' quer dizer!!...

folha seca disse...

Homenagem ao Raul Solnado


http://rmanuelh.blogspot.com/2009/08/minha-homenagem.html

anarcabe disse...

É verdade, a minha menagem também ao Sr. Raul Solnado.

curioso disse...

Que se faça a devida homenagem ao homem e actor Sr. Raul Solnado.
Caro menos curioso da para ver que o sr. sabe bem de tudo e ve tambem muito bem, mas eu tal como outros bitaiteiros nao sabemos assim tanto e tambem nao vemos muito bem, se o sr. menos curioso poder e quiser faça o fazor de nos ajudar a saber mais e a ver melhor.
Quanto ao comentario do sr. anonimo em relaçao ao MCI acha mesmo que poderam fazer frente ao todo poderoso Rei Afonso Henriques ou a qualquer outro candidato.

Anónimo disse...

ehh láaaa
tá ca guita todaaaaaa

Anónimo disse...

Vendido... Mas quem é que comprou?
Quando é que reabre o Largo?
Vai haver novidades? Remodelacões?
Hein?
Pá, a malta tá furiosamente curiosa! Superlativamente expectante! Bastantemente Intrigada!
Pá, o que a malta quer é, passo a expressão, "bater no ceguinho"! Então?...
... Acabou?...
Pá, isto de estar à espera é terrível. O tempo nao passa... Vamos todos morrer de curiosidade?

Calhandreiro em pulgas disse...

Subscrevo o que disse o anonimo anterior.

Então não chega já de férias,chiça!

Com tanto que há aí para calhandrar. eu estou em pulgas para ver amanhã no jornal do Tó Zé a resposta do Prof. Cascalho à carta aberta do A.C. mas já ouvi uns zuns zuns que quem vai responder é o acessor para as questões contabilisticas...parece que o tal acessor consegue inventar um divorcio "tecnico" entre o passado mais longiquo e o recente(heranças só as boas) isso de dar a cara parece não ser para o Professor... vamos ver???

Acintoso disse...

Mais um a subscrever o que estes anónimos escreveram. Esta direcção do Largo parece ter uma costela (ou será que é o ripado todo?) de manga de alpaca!
Vá lá deixem-se de férias e voltem à liça... Todos esperamos e... desesperamos, parece!
Há muita bordoada para dar e o tempo de férias, este ano, deveria ser mais curto.
E para que não haja para aí quem duvide do interesse deste Fórum que se apresenta como sendo da mais elevada utilidade Calhandreira, vejam só a frequência que o Largo tem: desde que foram laurear a pevide (22/7) até aos dias de hoje foram 1.153 os visitantes e 77 os bitaites deixados na respectiva caixa... E mais não têm postado nada de novo! Portanto, falta de interesse não há!
Voltem, carago...

Ainda mais em Pulgas disse...

O "Calhandreiro em Pulgas" deixou-me no mesmo estado em que se encontra, isto é, "em pulgas".
Será que os números apresentados na carta aberta do sr. A.Constâncio, sendo tirados do relatório e contas que o Cascalho propôs à AM para aprovação, podem ser contestados? Como?
São falsos? A Câmara CDU/PSD não recebeu mais de Impostos e transferências do Estado, cerca de 4 milhões em dois anos?
Não aumentou a despesa corrente?
Não investiu muito menos naqueles dois anos que o PS?
Será que alguém explica como é que as despesa com os Orgãos da Autarquia duplicou?
Espero para ver, mas não será bonito se for o "Guerrilha", especialista em análise de custo benefício dos divorciados a pronunciar-se.
Apesar de "Revisor", falta-lhe talento para tanto.

Calhandreiro em pulgas disse...

Estava a ver que isto não animava...

Caro acintoso(é a brincar) com essa contabilidade, bem podia ter dado uma ajudinha ao Guerrilha a justificar em nome do Professor Cascalho, a interpretação aos numeros apresentados pelo Constâncio que deitaram por terra os apresentados na tal carta "aos Municipes"

Calhandrisse á parte, sei de fonte segura que todas as contas apresentadas até ao fim dos mandatos do PS foram auditadas e certificadas por entidades independentes(não pelo BdP) para que não restem duvidas... e não estou a sugerir nada...

Quanto ao calhandreiro, ainda com mais pulgas que eu... pelo que sei tem razão!!!

folha seca disse...

Bolas! Estava a ver que não!

Desapareceu o "vendido" e o piquete está activo...

Valeu a pena o esforço de ir metendo umas achas na fogueira.

Vá lá! Há muito para calhandrar e muitas pulgas para sacudir!!!

Piquete disse...

Largo das Calhandreiras emite comunicado - veja em "Piquete de Serviço"

Libertador disse...

Recomeçou a palhaçada? Então não tinham vendido isto ao MCI? Ou terá sido ao Berlusconi. Parece-me mais a segunda hipótese.

Com todo o respeito pelos palhaços disse...

Este "libertador" deve ter uma grande frustação por nem palhaço ter sido capaz de ser... e então deve ter arranjado um emprego daqueles em que tem que ser "fiel".

Pirolito disse...

Sim, é um 'libertador' acorrentado!
Há gentinha assim...

Libertador disse...

O problema são os votos, meus caros... e a CDU está a um passo de conquistar a maioria absoluta, em resultado do bom trabalho realizado! Dói, não dói???
Viva o camarada Dr. Alberto Cascalho e a sua extraordinária equipa!!!

ai ai disse...

Por acaso até dói e muito, se isso viesse a contecer... Mais 4 anos de estagnação, trapalhadas. barracas na feira dos porcos (sem ofensa ao ditos)e falam no bom trabalho realizado???

Haja vergonha!!!

Anónimo disse...

Ouvi dizer que aqui o fórum foi "comprado" pelos "jovens". Será que alguém me pode esclarecer se isso é uma verdade? Ou será que há pessoas que se divertem a atirar com pó para os olhos dos outros?

só se confirma disse...

Como das contas locais já muito se falou e escreveu, faltando só o Sr. Candidato a Presidente explicar porque é que classificou de "falta de credibilidade" a gestão financeira do PS e quais as obras "despesistas inconsequentes" em que foi mal gasto dinheiro público e, já agora, se não lhe der muita maçada, pode também explicar as diferenças para mais do dobro nas despesas com os Órgão da Autarquia, vou tentar perceber como é que alguns comentadores, sem dúvida democratas, acham natural a "PURGA ESTALINISTA" que Manuela F. Leite fez nas listas do PSD à A.R., para assim ter um apoio incondicional no parlamento, mesmo que para suportar políticas que possam estar ao arrepio dos interesses dos eleitores que elgeram os deputados.
Para quem acha que se devia suspender a democracia por seis meses, esta atitude totalitária, esta diarreia do "pensamento único", dá-nos a sensação que estamos na presença de uma Salazr de saias. Oxalá me engane.

A Verdade Chateia disse...

De facto com gente a pensar como o "libertador",o "ai ai" e o "só se confirma" não passamos da "cepa torta".

São inconsequente, tendenciosos, mentirosos e fundamentalistas.

São terreno fértil para ajudar a que apareçam os "Hugo Chaves" os "Berlusconis", os "Le Pen" os "Ferreiras Torres", os "Valentins Loureiros" e outros que tais.

Não sejam ridiculos

Anónimo disse...

É pá!!!
O PCP deu ordem para os seus acólitos ripostarem com armas pesadas, importadas do Irão e da Coreia do Norte.
Aí estão eles.. Fujam...

Anónimo disse...

"a CDU está a um passo de conquistar a maioria absoluta, em resultado do bom trabalho realizado"..desculpe lá, mas faz parte do monty python? é que não consigo conhecer melhores humoristas para dizerem uma graça tão boa assim...se conseguissem enumerar 3 coisas bem feitas por esta autarquia já era um milagre.....foram realmente 4 longos anos de pesadelo onde se percebe porque e que a marinha não vai a lado nenhum com esta malta do PCP a governar ..e é pena, pois até há camaras da CDU onde as coisa andam bem e avançam, mas que infelizmente não serviram de modelo aos camarados cá da terra..mau, mau, muito mau mesmo

ai ai disse...

De facto o comentário da "verdade chateia" é duma consequência; isenção;verdadeira e liberal que até impressiona.

Contribui duma forma impressionante para que os "Hugo Chaves" os "Berlusconis", os "Le Pen" os "Ferreiras Torres", os "Valentins Loureiros" e outros que tais" não tenham qualquer hipotese...
Apetece dizer a este(a) pedante vai chatear o...

Só não percebo porque não incluio o Pirolito no seu comentário pretensioso???

Já sei vai dizer: À! a verdade chateia...

folha seca disse...

Desilusões

Transpus para aqui um escrito do Sr. Armando Constâncio publicado no Jornal da Marinha Grande (na penúltima edição) que achei interessante do ponto de vista do esclarecimento da opinião publica, tanto mais que esse texto (em estilo carta aberta) mais não fazia do que responder a uma carta aos Munícipes distribuída massivamente pelas caixas de correio do Concelho.

Nesse texto A.C. mais não fazia do que por imperativo de consciência pôr os pontos nos (is) ou seja, as virgulas nos números.

Esperei com alguma ansiedade que o Dr. Alberto Cascalho autor e alvo das duas missivas se pronunciasse, pelo menos usando o mesmo veículo de informação.
Desilusão minha! O Dr. Cascalho mostrando claramente que no que toca a valores só sabe ler bem o que lhe dão, não teve a ombridade de assumir com a postura de um candidato digno de poder vir a exercer o lugar a que se candidata, uma das duas posições: Ou de facto mentiu, ou argumentar e mostrar que escreveu a verdade. Não o fazendo por incapacidade técnica ou por falta de respeito pelos Munícipes, encarregou aquele que é o actual Presidente da Assembleia Municipal (fruto da vergonhosa coligação CDU/PSD) de o fazer, mesmo este, conhecido por ser um profissional no tratamento de números, escreveu um texto tão pobrezinho que qualquer merceeiro(sem menosprezo pelo merceeiro) de esquina faria melhor. (fraca nota caro Dr. Luís Guerra Marques). Se houvesse vontade de esclarecer e quisesse contribuir para a verdade podia contradizer os números apresentados, teria capacidade técnica para o fazer (ou obrigação para isso) ponto por ponto, alínea por alínea.

Não vou aqui enumerar o que ficou por esclarecer, outros mais preparados (tecnicamente) o farão, mas claramente ficou muito, aliás se tivesse ficado quieto serviria melhor a candidatura que apoia.

Termino com um manifestação de tristeza. Tenho de há longos anos um grande respeito pelo Dr. Alberto Cascalho. Começo a perde-la. Para se servir um ideal, para se ser coerente com os princípios do Partido em que se milita, não podemos perder nunca a nossa dignidade, nada vale isso!

A Verdade Chateia disse...

Concerteza que o Dr. Alberto Cascalho mesmo durante as férias visita o largo.

Em muitas (demais) das situações o Dr. Alberto Cascalho já nos habituou a utilizar um bom discurso (que muitas vezes não condiz com os actos). Contudo sobre o artigo do Sr. Armando Constâncio, que me parece fendamentado (aparentemente com verdades) nem isso.

Não é só no largo, mas muitas das pesssoas da marinha que leram o artigo estão curiosas em ler uma resposta objectiva, factual e baseada em documentos aos quais se possa ter acesso.

Era inetessante haver transparencia na informação.

Continuamos à espera.

Pirolito disse...

Apoiadíssimo.
Mas vai ser um osso muito duro de roer, esse de encontrar a forma de dar uma resposta "objectiva, factual e baseada em documentos aos quais se possa ter acesso".
Ai se fosse possível fazer outro 'relatório de gerência'!...

Anónimo disse...

Esta historia de uma simples licença de venda de artesanato NEGADA pelo PCP revela bem o que tem sido este governo PCP/Verdes/candidado do MCI !! É que o homem deve ter-se esquecido de dizer que era militante do PC e por isso foi o que foi... esta tem sido a historia deste executivo com perseguição, ajustes de contas e discriminação dos senhores que escondidos atrás do seus BMW ultimo modelo, afirmam sempre que podem, serem eles os unicos a defender os fracos e oprimidos..pois... pois..ve-se

folha seca disse...

Comentário(não pulicado) enviado para o blogue Praça Stephens.


Caro Dr. João Paulo Pedrosa

Tenho lido com atenção os posts que raramente vai publicando no seu blogue, mas também, o que nos jornais vai dizendo.
Li no jornal da Marinha Grande (de ontem) o seu brilhante artigo de opinião sobre o cabeça de lista do PS às próximas legislativas no Distrito de Leiria. Sobre o Dr. Luís Amado, nada tenho contra. Mas aquela dos “candidatos Para Quedistas” é forte! Só uma inteligência fora do comum poderia inventar essa expressão para os candidatos que não tendo nada a ver com a região, encabeçam e fazem parte das listas de candidatos.

Então caro J.P.P e que chamar aos candidatos do P.S que encabeçam listas e foram metidos à pressão em Distritos a que nada os liga? Que dizer de um dos mais prestigiados deputados do nosso Distrito que por iniciativa sua, foi afastado das listas e transformado num candidato Paraquedista em Setúbal? Francamente!

Quanto à importância do Dr. Luís Amado, não tenho duvidas nenhumas, na sua utilidade para eventualmente usar a sua experiência internacional para dar alguma ajuda aos sectores económicos da Marinha Grande que dependem da exportação, mas e depois das eleições? Se P.S ganhar (como é provável e desejável) e formar governo? Não voltará o Dr. Luís Amado a integrar o Governo? Continuará a dar o apoio que o seu escrito promete? Enfim! Eu vou esperar para ver.


Ps

Sei que como é habito não vai publicar este comentário e provavelmente considerá-lo ofensivo. Mas pronto, aqui fica o desabafo.

ai ai disse...

com a publicação da contabilidade do pirolito e mais um bitaite da(o) "verdade chateia" a chamar mais umas coisas, aos bitateiros sem "nível" chegamos aos 100 agora sim record absoluto e á conta do Anarcabe só foi um(por um asunto muito sério, diga-se de passagem) por falar nisso este fim de semana há lá festa cheira-me que vai haver uns festeiros de ocasião... o grande João Paulo que se cuide ainda lhe invadem a "piscina" aquela coisita minuscula a que o Traineira chamou piscina...

pronto aqui deixo o meu contributo para o record absoluto dos bitaites... a auto gestão até funciona, mas claro agora alguem tem que pagar a conta.

atento disse...

Só uma achega sobre jpp...

Eu sei que está de férias, e é até bom que continue.

Já não consegue escrever o dito para dois jornais diferentes a dizer coisas distintas? será preciso enviar a mesma noticia para o JL e para o JMG?

Será esgotamento, ou começam a faltar as "qualidades"?

Vamos vêr se consegue entrar de paraquedas no hemiciclo de S. Bento.

Vinagrete disse...

Ainda quanto às contas da Câmara.
Li com redobrada atenção o texto do Dr. Luis Marques, tanto mais que se trata de um técnico de reconhecida competência, com formação académica adequada à análise deste tipo de números e, como é sabido, Revisor Oficial de Contas, o que significa que detem competência para certificar as contas de terceiros.
Li, reli e voltei a ler, porque não consegui encontrar uma única linha de raciocínio que o levasse a afirmar que os números publicados estavam errados ou estavam manipulados, em vésperas de eleições, para servir interesses políticos.
Que se saiba, pela voz do próprio A.C. divulgada há poucas semanas no Jornal da Marinha, o autor da carta aberta ao Presidente já afirmou a sua total indisponibilidade para fazer parte de qualquer lista à Câmara nestas eleições, bem como deixou claro que não se revê em nenhuma das candidaturas. Posso concluir que é forçar muito especular com interesses políticos, quando parece evidente que o objectivo do autor da carta foi a defesa do bom nome a que tem direito.
As questões levantadas permanecem válidas e bem pode o Sr Dr. Luis Marques argumentar que aumentou a despesa corrente, porque fez mais obra e isso requere mais despesa de manutenção, porque toda a gente sabe, que "coisa nova", demora tempo até ser reparada, a menos que tenha sido mal feita e com defeitos de fabrico.
Pessoalmente, porque acredito que a matemática é uma ciência exacta, em primeiro lugar gostava que Alberto Cascalho e Luis Marques nos dissessem se os números não são correctos.
Depois, que explicassem como é que a despesa com os "Órgãos da Autarquia" triplicou em relação à do mandato anterior.
Finalmente, quais as obras em que a Câmara anterior gastou dinheiro, que nós todos possamos considerar despesismo.
Terá sido a compra ao Inst. de Gestão Financeira da Segurança Social do terreno para completar a Zona Desportiva e que agora está a servir para albergar Barracas Medievais?
Terá sido a compra à mesma entidade do Estado, dos terrenos da Cerca da FEIS para construir o Parque que lá está e que, vergonhosamente, CDU e PSD contaminaram com metais pesados?
Terá sido a Compra de 600.000 metros quadrados de pinhal para permutar com as Florestas para alargamento da Zona Industrial?
Só aqui, neste investimento em Património que passou a ser de todos os Marinhenses, está uma grossa fatia do "chamado endividamento" da Câmara. Foi um erro? Não se deveria ter adquirido aqueles terrenos?
O Dr. Luis Marques, fala em Provisões, diminuição do passivo, e depois mistura a inauguração das obras do Vale de S. Pedro. Ok. Percebe-se no político, mas fica por explicar no técnico.
Provisões, amortizações, reavaliações de activos, nada têm a ver com os números da Receita e Despesa descritos nas contas.
Sou o primeiro a concordar, que a medida de prudência da constituição de Provisões está correcta. Concordo que o passivo diminuiu, que os prazos de pagamento médio baixaram ligeiramente. Já eram bons no contexto dos Municípios Portugueses, mas agora são ainda melhores. Óptimo!
O problema é que isso não foi conseguido por força de uma gestão rigorosa, com base no controlo apertado da despesa. Pelo contrário, a despesa Corrente disparou na casa dos dois dígitos. O que a Câmara CDU fez, foi cortar nos investimentos.
Parou tudo. Mas mesmo tudo. E agora é que anda à pressa, a tentar tapar o sol com uma peneira, recorrendo a desculpas fundadas numa grosseira MENTIRA.
O Dr. Luis Marques sabe o que são os custos de oportunidade, Seria bom que em vez de escrever arrazoadas a justificar o injustificável, explicasse aos vereadores do seu partido algumas noções de gestão financeira da coisa pública.
Sem ressentimentos.

ai ai disse...

ó meu caro atento, por acaso, não visita o Praça Stephens, poi o mesmo texto tambem lá está... e vão 3.

Para o Vinagrete, só lhe posso dizer que a seguir ao Cosntãncio foi do melhor que apareceu até agora, e com grande nivel acabou com uma linda expressão..."sem ressentimentos".

Anónimo disse...

Sem ressentimentos,palmeiras ou chicotes!