.
.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

(ex) ministro da economia investe... contra deputado!

10 comentários:

Cidadão incomodado disse...

Este senhor ex-ministro até poderá ter tido montanhas de razão!
Mas no momento em que teve tão baixa atitude, viu as suas 'montanhas' de razão serem integralmente terraplanadas.
Este senhor (com o qual, confesso, sempre embirrei) deve pensar que está (estava) ao serviço de um qualquer remoto país da América Latina de outros tempos!
Parabéns ao lº Ministro pela celeridade que teve em por uns patins a tal senhor.

A Assembleia da República e o Povo português merecem muito mais respeito e o governo passa bem sem tal personagem!

Anónimo disse...

Este gesto vem demonstrar como nervosos estão os xuxas!!

Atitudes como estas já eu vi no passado recente em campanhas eleitorais no concelho da Marinha Grande protagonizadas por alguns dirigentes da esquerda.

Adepto do Lisboa e Marinha disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
vinagrete disse...

Gesto irreflectido. Comportamento deplorável. Consequência imediata e inevitável, a exoneração, deve ter sido a mais rápida da nossa história democrática.
A reter:
- O PCP obteve a sua maior vitória no Parlamento. De uma cajadada, à custa de piadas de mau gosto por conta da situação dramática dos Mineiros de Aljustrel, conseguiu remover um Ministro e provocar mais danos no Primeiro Ministro, que a desbocada Manuela da TVI.
O PS que se cuide. Mais umas argoladas como esta, muito prováveis enquanto o ministro Lino estiver no Governo e lá vai o Sòcrates para lider da oposição.
Espero que isso não aconteça, mas ao nível Nacional como ao nível Local, já os vimos perder eleições por menos.

Comissão de Moradores do Largo das Calhandreiras disse...

COMUNICADO
O bitaite do Adepto do Lisboa e Marinha foi removido a pedido do próprio.

Obrigados.

Adepto do Lisboa e Marinha disse...

É evidente que concordo com a remoção, desculpem lá qualquer coisinha mas não gosto nada do homem... e como sou contra as touradas, lembrei-me dessa.Mas não é por uma questão politica... eu até votei no Homem que o nomeou...

Anacleto Fontaínhas disse...

O bitaite do Vinagrete leva-me a reflectir sobre a qualidade da política. (Não sei se será só da política portuguesa, porque não conheço bem a dos outros países com os quais nos possamos comparar, embora avalie que em muitos ela possa ser algo de parecido).
Mas continuemos: não posso dizer que o (ex)-ministro Pinho tivesse feito o melhor dos trabalhos em termos políticos pois, honestamente, duvido.
Mas de uma coisa eu não tenho dúvidas e, esta certeza é sobre a qualidade dos nossos políticos.
Ontem a discussão na Assembleia da República foi a prova provada dessa ‘qualidade’, o que se traduziu no corolário do que ao longo da legislatura se passou!.
As oposições, TODAS elas, pouco mais fizeram que, ao longo destes quatro anos, ter armado o Parlamento em locar de permanente chicana política e de caixa de ressonância de 'fait divers', passando o tempo em picardias e abstracções, sem se ocuparem da apresentação de propostas que visassem a melhorar a vida dos portugueses.
Convenhamos que, nas poucas ocasiões em que a excepção confirmou a regra, também esbarraram com a obstinação de Sócrates que, mostrou, em muitos casos, pouca humildade e ainda menos flexibilidade!
Oxalá o primeiro-ministro tenha aprendido a lição e, se vier a ganhar as eleições e tiver, de novo, a oportunidade de constituir governo, se possa apresentar aos portugueses com uma postura mais aberta e mais dialogante.
Desde o início da legislatura que as oposições, com o apoio dos sindicatos, nomeadamente o da educação e coadjuvadas pela ‘magnífica’ comunicação social que temos, não fizeram mais que contribuir para o desgaste da imagem do primeiro-ministro, sem o mínimo de proveito para os portugueses: ele foi o caso do diploma, ele foram os projectos das ‘casas da Guarda’, eles foram os rumores sobre tudo e mais alguma coisa, culminando com o caso Freeport, convenientemente posto a hibernar, para ser reactivado em tempo útil, de forma a que viesse a fazer a mossa desejada... enfim, um rol de coisas que em nada (ou em muito pouco) contribuíram para o bem nacional!...
Mas é assim a política à portuguesa! Até quando?!... Sim, até quando é que o nosso pobre país aguentará este estado de coisas?
Mas, atenção que, nós, os eleitores não estamos isentos de ‘culpas no cartório’. Não. Neste estado de coisas também nos cabem culpas, e muitas...
Cabe-nos a responsabilidade de sermos mais interventivos e muito mais atentos e mais prontos a denunciar e a fazer pressão sempre que tivermos a consciência de que nos estão a tramar os interesses colectivos.
Ah! E, sobretudo, deixarmo-nos de ver a política como se de cores clubísticas se tratasse.
...............
Mas, voltando ao caso do gesto de Manuel Pinho, que foi isso que me trouxe a comentar.
Para já, devo dizer que jamais pensei que, no meu país e no meu Parlamento, pudesse ver acontecer uma atitude daquele gosto. O senhor ex-ministro diz-se arrependido, e é bom que o esteja, pois aquele seu gesto, irresponsável e desrespeitador, vai ficar como imagem de marca do debate do estado da nação. E o governo, apesar das algumas asneiras que fez, apesar de uma certa e indisfarçada arrogância do seu chefe, mostrou ser um governo corajoso que tomou medidas de reforma que, desde há muito, outros deveriam ter tomado. Infelizmente para nós (e não só para o governo ou para o PS, tenhamos isso em conta), as coisas, por imposição da perigosa conjuntura económico-financeira em que estamos mergulhados em todo mundo, voltaram à estaca zero e, cá estamos nós, de novo, enterrados no lodo e nas dificuldades.

(Continua na página seguinte...)

Anacleto Fontaínhas disse...

(...continuação...)

Mas, aquele gesto...!
Vamos ao pomo da questão. Não foi esse desbragado gesto resultado do comportamento da oposição? Aqui, neste caso, da oposição do PCP partido que vê no PS , sempre e em todas as situações, como o alvo a abater?
Poderão vir com argumentos de defesa – que assim, que assado, que é para isso que a oposição serve, ou que tudo o que se faz (no caso deste partido) é em defesa dos trabalhadores, pensionistas, reformados e pequenos empresários, etc., etc.. Enfim conhecemos a ladaínha e a demagogia que lhe está subjacente…
Que me desculpem, mas esse discurso, esses argumentos, para mim (e para muitos que, como eu, se habituaram a usar a cabeça para pensar), já não cola, já não gruda. Isso é discurso dum tempo que não é o nosso.
No meu conceito de democracia, à oposição incumbe a responsabilidade de o ser, de facto. A ela cabe-lhe contestar as propostas com as quais não concorde, mas deve ter presente que é de sua responsabilidade apresentar propostas, realistas, de alternativa. Esse é o papel da oposição e muitos de nós não entendemos por que razão se hão-de manter infinitas discussões sem sentido e que tão pouco (ou em nada) servem os portugueses!

A bem da credibilidade da política, oxalá tal aconteça. Caso contrário estamos mal

vinagrete disse...

Caro Anacleto.
Estou de acordo com quase tudo o que disse.
Já depois de ter comentado o gesto do ministro, tomei conhecimento que afinal não houve cheque algum entregue pelo Ministro ao Clube lá da terra, que o PCP acha que é coutada sua.
O líder da Bancada do PCP, Dr. Bernardino Soares, fez chicana política com base na mentira e na calúnia, o que não desculpa o gesto do ministro, mas deveria tornar extensiva a denùncia de comportamentos censuráveis, também, à reclamada vítima de tão infeliz gesto.
A atitude de virgem ofendida, tomada por Bernardino, o mesmo que exalta a democracia popular da Coreia do Norte, é um acto de cinismo político intolerável e só o leva a sério quem pensa e age como ele.

Anónimo disse...

Esse senhor bernardino, sempre manteve esta postura ao longo da sua vida política e se calhar até pessoal, depois das muitas provocações, o tal gesto censurável, não foi um acto assim tão incoerente para quem estava com assento dentro da AR!!!
O erro foi ter sido dentro da AR!
Aqui na nossa Marinha, cada vez mais pequena, a culpa é dos técnicos, e não lhes chamam e fazem menos!
É tudo Chicana, calunia e politiquices! Os comunistas ortó, cá do burgo, deviam ser repatriados para a República Popular da Coreia do Norte, para viverem na tal democracia popular e poderem falar abertamente e também continuarem a andar montados em BMW, Mercedes e Audi, entre outros.
O pcp, é sempre igual a si mesmo!
O altruísmo, o pudor e a moral, fica bem é aos outros!